Seu filho sofre de ansiedade e estresse? Veja no artigo de hoje dicas para lidar com essa situação e trazer mais qualidade de vida para ele!

Se ele anda muito ansioso ou estressada, saiba que isso não é normal, principalmente nessa idade. Por isso, é muito importante que os pais se atentem aos sinais, afinal, crianças também podem sofrer com esses problemas.

E, por incrível que pareça, é mais comum que muitos pais podem imaginar – principalmente nessa geração em que a rotina é tão corrida e as redes sociais podem acabar atrapalhando também.

Portanto, é importante observar a criança e todas as indicações quando passa por estes problemas. Quer conhecer dicas para lidar com ansiedade e estresse do seu filho no dia a dia? Então você está no lugar certo!

Publicidade

Continue a leitura deste artigo e saiba mais!

 ansiedade e estresse

Criança emburrada, de olhos fechados e tampando os ouvidos com as mãos. Fundo azul. Crédito da foto: Freepik

Ansiedade e estresse infantil: Conheça os sintomas 

Em suma, muitas pessoas acreditam que nossos pequenos não sofrem com a ansiedade ou estresse.

Entretanto, a dura rotina que muitas delas têm, faz com que os problemas apareçam mais cedo do que imaginamos. Aulas regulares, aulas de reforço ou acompanhamento escolar, dois ou três esportes semanais e tudo o que compõem a agenda infantil pode deixá-la sem tempo de ser apenas criança.

Deve-se salientar que os sinais podem ser físicos e psicológicos.

Conheça alguns deles:

Publicidade
  • Dificuldade para dormir (incluindo insônia e pesadelos);
  • Dores de cabeça;
  • Sensibilidade aflorada (choro excessivo e sem motivo);
  • Desobediência;
  • Falta ou excesso de apetite;
  • Medo excessivo;
  • Diarreia crônica;
  • Impaciência;
  • Agressividade e outros.

Agora você já sabe quais os principais sintomas que a ansiedade e o estresse podem causar no seu filho, use as dicas que iremos passar abaixo para tratar e evitar estes problemas com os seus pequenos.

Confira a seguir algumas dicas para trabalhar com a ansiedade e estresse que seu filho vem apresentando.

1. Cuidado com o excesso de atividades

Já falamos anteriormente sobre a carga horária excessiva que algumas crianças possuem. Muitas fazem mais atividades que os adultos e acabam não tendo tempo de serem apenas crianças.

Por isso, é sempre bom reforçar: Cuidado com o excesso de atividades. Vale ressaltar que é de suma importância conversar com a criança para saber se ela está gostando ou não da atividade que vem praticando e dos profissionais que a auxiliam.

Isto permite que você crie um laço e perceba mais rapidamente qualquer alteração que seu filho apresentar.

Ansiedade e estresse – 2. Qualidade do sono

Você já deve ter percebido que quando o seu sono não é bom, o seu rendimento diário cai, não é mesmo? E isso funciona também com nossos pequenos!

Publicidade

Quando elas passam a apresentar sinais de estresse e ansiedade, um dos primeiros sintomas que percebemos é a mudança no sono. São noites mal dormidas ou excesso de sono, pesadelos que não a deixam dormir e tudo isso influência diretamente na qualidade de vida dos nossos filhos.

Portanto, observe se há mudanças e tente organizar o sono, lembre-se de oferecer um local confortável com ventilação adequada (nem quente ou frio demais).

Atenção: se o seu filho já tem episódios de pesadelos, procure deixar um abajur ou uma luz mais fraca por perto, até que seu sono volte a melhorar e ele confie em dormir no escuro.

 ansiedade e estresse

Criança triste, com as mãos na cabeça, olhando para baixo. Fundo azul. Crédito da foto: Freepik

Veja dicas para lidar com a ansiedade e estresse infantil

3. Brincar também é importante

Muitos pais acreditam que estudar e atividades extracurriculares são fundamentais para a aprendizagem da criança, mas esquecem que brincadeiras também ajudam no conhecimento.

Além disso, brincar com outras crianças melhora a comunicação e permite que elas saiam de seu mundo particular. Fique atento e observe se seu filho brinca somente com o computador, tablet e celular.

Leve-o ao parque, faça passeios de bicicleta e interaja com ele a fim de fazer parte da vida do pequeno. Brincadeiras também são importantes para o desenvolvimento cognitivo e motor.

O ato de brincar é, portanto, fundamental para toda criança! Principalmente brinquedos que não sejam em celulares e aparelhos eletrônicos, mas sim ao ar livre e com brinquedos palpáveis e lúdicos, que estimulem sua imaginação, criatividade, raciocínio e coordenação.

Ansiedade e estresse – 4. Converse com seu filho

Por fim, e não mesmo importante, trazemos a dica que pode mostrar que seu filho passa por algo: converse com ele!

Afinal, se a criança apresenta preocupações excessivas, é importante buscar entender os sentimentos e as apreensões dela, mesmo se elas aparentarem ser irracionais.

Para isso, busque conversar diariamente, mesmo que você esteja cansado e estressado. Separe um momento de vocês, ele vai ser fundamental para estreitar laços familiares e torná-los mais próximos.

Lembre-se ainda de ouvi-lo e não de apenas falar. Pergunte sobre suas atividades na escola, se tem algo errado e até se você está agindo de maneira estranha com ele.

Além disso, torne a relação leve e tranquila, para que quando ele crescer, a relação se mantenha e facilite a resolução de problemas.

5. Não evite por completo os medos da criança

Continuando nossas dicas, vale ressaltar que as crianças podem apresentar medos muito imaginativos! Podem se originar de filmes ou desenhos animados, ou surgirem da própria imaginação.

E saiba também que até mesmo em adultos é comum que a ansiedade seja alimentada por medos que não costumam fazer sentido para a maioria.

Embora seja necessário reassegurar a criança que não é preciso se preocupar, não descarte os medos como “coisa da cabeça dela”. A conduta mais adequada nesse cenário é ensinar maneiras saudáveis de lidar com o superar o medo.

Para tanto, pergunte à criança como ela se sente e demonstre empatia antes de aconselhá-la. Por exemplo, diga: “Eu sei que é complicado/ difícil. Está tudo bem se sentir triste/ bravo”. Essa é uma ótima maneira de validar a sua experiência e suas emoções.

E só então forneça um conselho para lidar com o objeto da ansiedade – com empatia, respeito e sem menosprezar os medos da criança.

Novamente, ressalta-se a importância de procurar um psicólogo para fazer uma avaliação completa da condição da criança, talvez seja necessário um acompanhamento com um psicólogo e também medicamento em casos mais sérios.

Com as orientações de um profissional e adaptações na rotina, seu filho com certeza irá melhorar!

ansiedade e estresse

Criança estressada no canto da parede, com as mãos no seu rosto, olhando para baixo. Crédito da foto: Freepik

Seu filho sofre de ansiedade e estresse? Veja dicas para lidar com isso!

6. Tome cuidado com as palavras

Outro ponto é que os pais devem cuidar do que falam a respeito da COVID-19 para não assustar ou preocupar os filhos. Essa cautela deve se estender para os demais assuntos do dia a dia.

Respostas raivosas ou muito vagas podem alimentar a ansiedade da criança. Portanto, sempre opte pelo diálogo sincero, paciente e aberto com a criança.

Ansiedade e estresse – 7. Oferecer apoio constante

Em momentos de dificuldade, demonstre o seu apoio e as formas como pode ajudar a criança a superar os seus desafios.

Não reaja com o famoso “não é mais que sua obrigação” ou passando o sentimento de que “é só uma fase” porque esse tipo de afirmação pode dar origem a comportamentos ansiosos e perfeccionistas no futuro.

Oriente-a para saber que poderá sempre contar com você e entenda que você confia no que ela sente.

8. Seguir a rotina diária o mais adequadamente possível

Por fim, procure manter uma rotina diária consistente para fornecer uma sensação de controle à criança. Lembre-se que os filhos observam o comportamento dos pais e os interpretam como corretos.

Conclusões: 

Não perca tempo e coloque as dicas para lidar com ansiedade e estresse do seu filho em prática agora mesmo! Mas se tiver qualquer dificuldade, não hesite em contar com um profissional especializado.

Aproveite que o plano de saúde cobre psicólogo e marque uma consulta. Caso não dependa de um convênio médico, busque atendimento gratuito de um profissional da área em sua cidade.

Agora que você já sabe tudo sobre como lidar com a ansiedade e estresse do seu filho, aproveite para ler também: 

Continue acompanhando o nosso blog Mil Dicas de Mãe. Até a próxima!