Picadas de insetos no filho: Será que seu filho tem alergia? Descubra tudo sobre o assunto no post de hoje!

Primeiramente, as picadas de inseto podem ser um problemão para crianças de pele sensível. Essa sensibilidade que aparece na infância recebe o nome de prurigo estrófilo ou urticária papular, e é sobre ela que vamos falar hoje.

É muito comum na prática clínica ouvirmos as mães se queixarem que a criança recebeu apenas uma picada de inseto e que deu alergia no corpo todo.

As lesões costumam incomodar muito pela coceira que produzem e é muito comum deixar marcas e manchas na pele após um certo tempo de evolução, além de uma reação mais grave como o inchaço em todo o membro.

Publicidade

Para esses casos mais graves, é preciso se atentar e saber o que fazer caso aconteça.

Isso porque as picadas de inseto causam uma pequena reação alérgica em todas as pessoas, caracterizada por um leve inchaço no local da picada, coceira e vermelhidão.

Os pequenos costumam ser mais afetados, principalmente nas épocas mais quentes, pois os insetos se proliferam mais e tendemos a utilizar roupas mais leves e que deixam mais partes do corpo expostas.

Mas por que a reação alérgica pode acontecer? A alergia à picadas pode acontecer por uma reação à saliva do inseto ou, dependendo do inseto, às toxinas presentes no veneno injetado durante a picada.

Se você tem observado alguns sinais de alergia à picadas de inseto no seu filho mas tem dúvidas em como lidar, continue a leitura e confira as nossas dicas.

Picadas de insetos no filho

Menininha asiática com várias picadas vermelhas no rosto. Crédito da foto: Freepik

Publicidade

Como é a lesão de picada de insetos no filho?

Picadas de insetos no filho: Primeiramente, a picada de inseto costuma ter uma apresentação clássica: lesões elevadas (que não estão no mesmo nível da pele), avermelhadas, geralmente aos pares (mais de uma lesão junta) e que geralmente se encontram em uma mesma linha imaginária.

O número de lesões é habitualmente variável e a picada mais inflamada, avermelhada, costuma se resolver em algumas horas, deixando uma picada de inseto residual que pode demorar até de 4 a 6 semanas para resolução completa.

Além dessa picada de inseto clássica, podem também haver lesões com crostas na superfície (parece um machucadinho), assim como lesões com bolhosas, apresentação incomum.

Afinal, quem pode ter essa sensibilidade aumentada para picada de insetos no filho?

Picadas de insetos no filho: Os candidatos ao prurigo estrófilo são sempre crianças, na faixa etária entre 2 e 10 anos. O quadro nunca aparece antes dos 6 meses, pois são necessárias várias picadas para haver sensibilização.

Quadros mais leves podem se iniciar entre 12 e 24 meses, e a tolerância ao quadro se desenvolve em torno de 10 anos.

Quais insetos podem provocar o quadro?

Mosquitos, pulgas, carrapatos e quaisquer outros insetos que utilizam sangue para se alimentarem.

Publicidade
Picadas de insetos

Ilustração de menina levando picada de um pernilongo. Crédito da foto: Freepik

Quais são os locais mais acometidos por picadas de insetos no filho?

As regiões expostas sem roupas são disparadas as mais acometidas. Para mosquitos e pernilongos, antebraços e pernas são as regiões  preferidas.

Lesões em tronco ou na linha divisória de roupas (como linha da fralda, cueca ou calcinha. da meia ou da calça) são mais associadas a pulgas e percevejos. Nesses casos, geralmente aparecem de 2 a 3 picadas em linha próximo a essas regiões citadas.

No geral, independente de qual picada de inseto, são encontradas poucas lesões em face, raras lesões em plantas dos pés, palmas das mãos e axilas, e não são encontradas lesões na região de genitais e perianal.

Como evoluem essas lesões?

Picadas de insetos no filho: Como dito anteriormente, as lesões ficam bem vermelhas nas primeiras horas após picadas. Após esse tempo, elas reduzem e podem durar de 4 a 6 semanas. Se a criança coça a picada de inseto, pode haver escoriações e casquinhas.

Após essas 6 semanas, fica uma manchinha que pode ser mais clara ou mais escura no nível da pele, que pode demorar alguns meses para apresentar resolução espontânea. Algumas crianças mais sensíveis podem ter o corpo todo manchado dessas lesões.

Quais os possíveis sintomas decorrentes de uma picada?

Para um pequeno número de pessoas alérgicas a himenópteros, picadas podem ser ameaçadoras à vida. Essas reações alérgicas graves são chamadas de anafilaxia.

Sintomas podem incluir: coceira generalizada; erupção no corpo; inchaço na pele, língua e até na garganta; tosse e dificuldade para respirar; tontura; dor de barriga; náuseas e diarreia.

Nos casos mais graves, uma queda rápida da pressão arterial pode resultar em choque e perda de consciência. A anafilaxia é uma emergência médica e pode ser fatal. Se o seu filho apresentar os sintomas acima após uma picada de inseto, procure atendimento médico imediatamente.

Como tratar as reações à picadas de inseto?

Se a abelha deixar o ferrão na pele, remova-o em até 30 segundos para evitar que mais veneno seja inoculado. Uma rápida arranhadura com a unha costuma ser o bastante para remover o ferrão e o saco de veneno.

Evite apertar o ferrão, pois isso pode fazer com que mais veneno seja inoculado na pele. Para todos os insetos que picam, tente permanecer calmo e afastá-los da sua pele. Então, saia do local imediatamente.

Estes passos podem ajudar a tratar reações locais a picadas de insetos:

  • Eleve o membro afetado e aplique uma compressa fria para reduzir o inchaço e a dor.
  • Lave a área afetada gentilmente com água e sabão para prevenir infecções secundárias; não estoure bolhas.
  • Use um corticóide tópico ou um anti-histamínico oral para aliviar o prurido.

Procure um médico se o inchaço progredir ou se o local da picada parecer infectado.

Picadas de insetos

Foto das pernas de uma menininha, cheia de pernilongos em volta. Crédito da foto: Freepik

Picadas de insetos: Saiba quais são os principais

Pernilongos

As picadas de pernilongo são as mais comuns, principalmente durante o verão e a primavera. O local picado fica com um ponto branco elevado e uma vermelhidão em volta e costuma coçar muito nas primeiras horas.

A reação alérgica excessiva que pode ocorrer nesse caso, é a pele fica toda vermelha. O que gera a alergia à picada dos pernilongos são as substâncias presentes na saliva do inseto.

Existem cremes específicos que ajudam a aliviar a coceira e podem te ajudar quando os pequenos forem picados por pernilongos.

Pulgas

As mordidas de pulgas geram pequenas bolinhas vermelhas na pele e costumam aparecer em grande quantidade. A região costuma ficar bem dolorida e a pele ao redor das mordidas fica irritada.

Costumam causar muita coceira e a alergia também é devido à saliva da pulga. É importante lavar a região da mordida para evitar infecções. A pulga deve ser combatida para evitar novas mordidas.

Carrapatos

A mordida do carrapato causa uma mancha vermelha na pele que remete a um hematoma. O maior cuidado neste caso, é que os carrapatos costumam ficar grudados na pessoa por muito tempo se alimentando do seu sangue e a mordida não causa dor.

Se você foi com sua família para o interior, dê uma olhada no corpo dos pequenos antes de voltar para casa para garantir que nenhum carrapato está vindo de carona.

Após retirar o carrapato, a mancha no local da mordida deve desaparecer após alguns dias. Caso isso não aconteça, procure um médico pois os carrapatos podem transmitir outras doenças.

Abelhas, marimbondos e vespas

As picadas de abelhas, marimbondos, vespas e algumas formigas são um grupo de insetos conhecido como himenópteros e causam reação alérgica pela toxina presente no veneno injetado.

As pessoas que apresentam uma hipersensibilidade à picada desses insetos produzem anticorpos chamados IgE (imunoglobulina E). Ao ser picado o veneno reage com esse anticorpo IgE, liberando substâncias que causam reações alérgicas.

Em geral, a alergia é de apenas um dos insetos desse grupo. Por exemplo, se o seu filho tem alergia à picadas de abelha, dificilmente terá alergia à picadas de vespas.

Tenho certeza de que meu filho não levou várias picadas mas o corpo está todo manchado, como isso é possível?

A maioria da lesões aparece alguns dias após a picada do inseto. Como é uma reação alérgica, 1 contato na semana é considerado suficiente para manter várias lesões.

Como cada lesão dura até de 4 a 6 semanas, poucas picadas são suficientes para manter a criança sempre “empolada”, como as mães costumam dizer.

Mão de criança com alergia. Crédito da foto: Freepik

Como então prevenir as picadas de inseto?

Prevenindo as picadas

Fique longe! Esses insetos têm maior probabilidade de picar se forem incomodados em seus ninhos, portanto é importante destruir aqueles localizados próximos à sua casa, com a ajuda de profissionais especializados.

Se insetos voadores que picam estão próximos, fique calmo e se distancie lentamente.

Como o cheiro de comida atrai insetos, tome cuidado ao cozinhar, comer ou tomar bebidas doces, como refrigerantes, ao ar livre. Fique atento para a presença de insetos dentro de canudos ou bebidas enlatadas. Mantenha os alimentos cobertos até que você vá comê-los.

Use sapatos fechados e evite andar descalço em ambientes abertos. Evite também usar roupas muito largas, que podem prender insetos entre o tecido e a pele.

Picadas de insetos no filho – Outros cuidados são necessários, como:

1) Medidas mecânicas: mangas longas e calças compridas são sempre bem vindas quando a temperatura permitir. Roupas finas e transparentes permitem picada de inseto através das mesmas

2) Telas em janelas e portas: essenciais para impedir que os insetos entrem para o interior da casa.

3) Mosquiteiros na cama: conferir se há furos ou insetos dentro antes de colocar a criança. Borrifar permetrina para aumentar eficácia. (nome comercial disponível no Brasil Exposis para uso em tecidos- durabilidade de 72 horas após cada aplicação).

4) No caso do mosquito Aedes, lembre-se que ele tem hábitos previsíveis: no nascer o pôr do sol manter janelas fechadas e evitar atividades da criança ao ar livre nesse horários. Se for o único horário disponível para brincadeiras, proteger a criança com roupas e repelentes.

5) Ambientes com ar condicionado são eficazes na prevenção.

6) Para insetos outros que não pernilongos, dedetização por empresa especializada é desejável.

7) Repelentes elétricos de tomada podem ser usados, desde que colocados próximos à janelas e portas, sendo obrigatória distância do local de sono da criança de 2 metros. Não se esqueça que crianças são muito curiosas e que podem ingerir o líquido desses protetores de forma acidental, portanto, posicione longe do alcance das mesmas.

8) A clássica recomendação de limpeza do terreno, lotes vagos, retirada de lixos e entulhos é mais do que válida e necessária.

9) Tratar animais de estimação com orientação de veterinário. Pulgas são o principal inseto a ser combatido, mas não podemos esquecer de carrapatos e outros insetos.

10) O uso de vitamina B1, a tiamina, nos meses de verão, apesar de muito propagado, ainda carece de mais estudos para sua indicação como prevenção.

11) Repelentes: usar sempre que for realizar passeios em locais sabidamente de risco para picadas de insetos, como sítios, chácaras, praias, fazendas e locais com vegetação mais abundante, como parques. Nunca utilizá-los para dormir ou por períodos prolongados.

12) Óleos naturais: são muito voláteis e protegem por pouco tempo. De todos os disponíveis, o óleo de capim limão é considerado o mais efetivo dentre os óleos. Lembrando que todos os óleos naturais podem cursar com reações alérgicas e seu uso deve ser cuidadoso

13) Pulseiras de citronela: possuem baixa eficácia e risco de alergia local.

Picadas de insetos no filho: Orientações gerais sobre repelentes:

  • Primeiramente, nunca aplicar na mão para a criança espalhar. A criança pode levar o produto para boca e olhos gerando reações indesejáveis.
  • Da mesma forma, aplicar na quantidade e intervalo que o fabricante recomenda.
  • Bem como, nunca aplicar próximo à boca, nariz e olhos, assim como regiões em que a pele esteja machucada.
  • Após uso, dar banho na criança com água e sabão para retirar o produto.
  • Do mesmo modo, a criança não deve dormir com repelente.
  • Locais com temperatura ambiente > 30oC exigem reaplicações mais frequentes, como recomendado pelos fabricantes.
  • Além disso, é importante evitar repelentes com hidratante ou protetor solar, por reduzir efeito protetor de ambos. Aplique primeiro o filtro, e 30 minutos após o repelente.
  • Por fim, opções cremosas e gel são os veículos mais seguros para uso em crianças e devem ser preferidos ao spray.

Talvez esse outro artigo te interesse: Melhorar a imunidade – 12 alimentos para ajudar. Confira!

Braço de menina com vários pernilongos em volta. Crédito da foto: Freepik

Picadas de insetos no filho: Tem tratamento?

O tempo é o melhor tratamento. À medida que a criança envelhece vai criando tolerância até os 10 anos de idade. Mas enquanto isso, para alívio dos sintomas, existem algumas opções.

  1. Loção de cânfora, calamina ou mentol: alívio dos sintomas. Suspender se irritar a pele ou arder na aplicação.
  2.  Corticóide de média potência para uso local: conversar com o seu pediatra para receber orientações adequadas quanto ao uso. Tem como objetivo melhorar a reação local e reduzir a coceira.
  3. Antialérgicos orais: conversar com o seu pediatra para receber orientações adequadas quanto ao uso. Tem como objetivo reduzir a coceira.
  4. Se houver sinais de infecção na lesão, como pus, mal cheiro ou vermelhidão em aumento, o uso de antibióticos se faz necessário. O pediatra deve avaliar a lesão e definir o tratamento.
  5. Corte as unhas do seu filho bem curtas. Isso minimiza os problemas quando a mesma coça a picada de inseto.

A closeup shot of a honeybee on a purple lavender flower with a blurred background

Picadas de insetos no filho: Identificando os insetos

É muito importante identificar qual inseto causou a reação. Conhecendo os seus hábitos, facilita a identificação:

Abelhas: Abelhas europeias não são agressivas e picam apenas quando provocadas. No entanto, as abelhas africanizadas, muito comuns no Brasil, são mais agressivas e podem picar em enxame.

Abelhas domesticadas vivem em colônias artificiais feitas pelo homem, enquanto as selvagens vivem em colmeias construídas em árvores ocas ou em cavidades de prédios. Quando picado, a abelha deixa um ferrão no local da picada.

Marimbondos e vespas: vivem em ninhos circulares construídos com material semelhante a papel, que se abrem em sua extremidade inferior; são normalmente encontrados embaixo de calhas e telhados, atrás de janelas, em arbustos, galhos de árvores ou pilhas de madeira. Os marimbondos não deixam ferrão no local da picada.

Por fim, caso o seu filho tenha alguma reação mais grave devido a alguma picada, procure um médico para ter o tratamento mais adequado.

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos e familiares. Esperamos ter ajudado com as dicas!

Para ficar por dentro de mais assuntos como esse, continue no nosso blog e acesse nossos artigos.

Até mais!