Uma criança com medo é capaz de fazer o possível para se apartar da causa do desconforto. Na realidade, qualquer pessoa tende a agir assim quando um medo não é bem gerenciado, seja adulto ou criança.

Por isso, é papel dos pais saber lidar com essa situação de uma forma equilibrada, racional e, acima de tudo, muito respeitosa. Ou seja, nada de “forçar a barra” para a criança abandonar o medo da noite para o dia. Não é assim que funciona.

Basta você mesmo pensar em um medo que possui: você conseguiria enfrentá-lo sem nenhum preparo? Pois é! Com as crianças não é diferente.

Assim sendo, elaboramos este conteúdo com diversas dicas, reflexões e sugestões que possam servir de alicerce para você lidar com o medo do seu filho. Acompanhe-nos.

Publicidade

Depois aproveite e veja este conteúdo: Como ajudar uma criança a se sentir mais segura? 10 dicas!

Criança com medo

Vetor de menino tendo pesadelo. Foto: Freepik

Entendendo a função do medo: Criança com medo não é só “coisa ruim”

O primeiro ponto que devemos levar em consideração é a função que o medo tem em nossas vidas. Basicamente, é algo natural que todo ser humano saudável possui, pois é uma forma de manter a nossa sobrevivência e segurança.

Por meio do medo o nosso cérebro impede que nos coloquemos em situações de risco à nossa integridade física e psicológica. Além disso, o medo pode ser um mero sinal de uma falta de habilidade.

Por exemplo, uma pessoa que tem medo de dirigir pode perder esse receio à medida que vai pegando mais prática ao voltante. Quanto mais a habilidade é explorada, mais facilmente ela conseguirá agir naturalmente enquanto dirige.

Em suma, o medo é uma necessidade natural de proteção, pois nos ajuda a pensar antes de agir. E também pode ser gerenciado à medida que vamos conquistando uma nova habilidade.

Publicidade

Portanto, parta desse pressuposto antes de querer simplesmente extinguir o medo do seu filho. Entenda que os medos são naturais e que farão parte da vida do seu filho para sempre, mas que caberá a você aprender a manejar, juntamente dele, as intensidades desses medos.

Leia mais: Educando filhos emocionalmente inteligentes – 9 sugestões

Criança com medo: Como ajudar o meu filho a perder o medo?

Mas e quando o medo passa dos limites? Como ajudar meu filho a perder o medo?

Bom, precisamos ter muita cautela na hora de analisar o que é um medo que passa dos limites. Se o medo está impedindo que a criança siga a sua vida de maneira saudável, pode ser que a intervenção profissional seja necessária.

Criança com medo

Menina assustada. Foto: Freepik

Ao mesmo tempo, se o medo é até “brando”, mas mesmo assim você deseja ajudar o seu filho a superá-lo, afinal, isso é importante, então veja as nossas dicas a seguir.

Publicidade

Lembre-se de que acima de tudo uma criança com medo precisa de carinho, amor e sensação de acolhimento, está bem? Apenas assim os apontamentos abaixo serão úteis. Continue lendo!

1- Jamais diminua uma criança com medo

Nunca diminua a criança ou o medo dela como meio de fazê-la superá-lo. Isso porque ao invés de ajudar a criança a enfrentar o medo que sente, você simplesmente fará com que ela se sinta fraca, inferior e fracassada.

Por isso, em hipótese alguma diga que o medo é algo pequeno e bobo. Mas sim, sempre demonstre compreender que a criança sente medo, mas que, juntos, vocês poderão lidar com isso de uma forma tranquila e segura.

Veja também estas dicas: Como ensinar Educação Financeira para o seu filho

2- Não use o medo como punição

Sim, a gente sabe que às vezes as crianças “passam dos limites” e aprontam poucas e boas. Mas isso não é gatilho para você usar o medo como punição. Afinal, quanto mais você associar o medo da criança com algo ruim, maiores serão as chances de ela sentir cada vez mais medo.

Quer um exemplo? Não diga à criança que você irá deixá-la no quarto escuro se não fizer o dever, pois isso fará com que a mente dela instaure ainda mais a ideia de que o escuro é verdadeiramente ruim.

Criança com medo

Menina com médico. Foto: Freepik

3- Não obrigue a criança com medo a enfrentá-lo a qualquer custo

Cuidado com a forma como você quer fazer com que a criança com medo aja diante do gatilho de perigo! Jamais force a barra para que a criança enfrente o problema sem nenhum tipo de suporte ou preparo.

Isso porque mesmo que a criança perceba que nada de ruim aconteceu, as sensações que o medo provoca no corpo (e as reações químicas no cérebro) não darão margem para que ela verdadeiramente absorva essa informação. E na próxima vez que o gatilho aparecer, pode ser que ela ainda sinta um medo maior, pois temerá que você a force mais uma vez.

Devemos aprender a respeitar os sentimentos das crianças. Não é só porque estão em desenvolvimento que os pais têm o direito de forçar alguma coisa nesse sentido. Dê espaço para que o seu filho se desenvolva sem se sentir um boneco nas suas mãos!

Leia outras dicas aqui: Tocofobia: quando o medo do parto paralisa

4- Escute o que o seu filho tem a dizer

Quando a criança com medo demonstrar a insegurança que está sentindo, jamais ignore. Os sentimentos e as emoções das crianças devem ser trabalhadas para que elas aprendam a se expressar, a se compreender e lidar com o que sentem.

Sendo assim, busque dialogar com o pequeno. Peça para que ele conte sobre o que medo provoca em seu corpo, na sua mente… Converse sobre o que está causando medo e o que ele acha que pode acontecer.

Lembre-se de que por meio do conhecimento é possível diminuir o medo de muita coisa. Nós mesmos, quando temos medo de algo, estudamos, lemos e aprendemos, certo? Para nos sentirmos mais seguros diante do que pode vir a acontecer.

O desconhecido assusta. Ajude seu filho a tornar o medo algo familiar e mais simples de ser entendido.

5- Mostre tranquilidade para a criança com medo

Mostre que você está tranquilo e seguro diante do que está prestes a acontecer. Por exemplo, se a criança com medo de injeção está desesperada para ir ao médico, mostre serenidade. Não fique brigando ou demonstrando nervosismo.

Criança com medo

Menina com a  mão na boca. Foto: Freepik

Quanto mais confiança você passar, mais a criança (e o cérebro dela) poderão entender que está tudo bem. Claro que não é só isso que fará a criança parar de ter medo de injeção, mas, já é um bom começo.

6- Conte uma experiência sua

Conte para o seu filho uma experiência que você teve e que sentiu muito medo. Conte sobre algo que realmente mexeu com você e fale sobre como você superou o medo e não era nada demais.

Se contar que tinha medo de algo que a criança não tem, melhor ainda! Pois ela perceberá que o medo é algo que acontece com qualquer um, mas que não necessariamente demonstrar que exista um perigo real.

  • Exemplo: Se você tinha medo de andar de bicicleta e superou, conte isso para o seu filho que ama bicicleta! Ele perceberá que o fato de você ter tido medo da bike não quer dizer que ela seja assustadora. E assim, perceberá que o próprio medo dele pode estar destoando da realidade. Compreende?

Depois dê uma olhada neste conteúdo: Guia educacional para explicar às crianças porque a lua muda

7- Invista em histórias para incentivar a criança com medo

As histórias infantis também podem ser uma excelente fonte de superação do medo. Você pode contar para o seu filho diversas histórias fáceis de encontrar na internet. Mas conte com emoção! Interprete as frases, mostre que o personagem tem medo e supera no fim, etc.

Tudo isso fará com que a criança se sinta motivada a superar o próprio medo e suas limitações pessoais.

8- Ajude a criança com medo a criar um “recurso de enfrentamento”

Ajude o seu filho a encontrar o próprio recurso de enfrentamento para o medo que ele vive. Ajude-o a enxergar uma solução para o medo que sente, sem necessariamente se esquivar da situação.

Se o seu filho tem medo de andar de avião, incentive-o a encontrar uma forma de se sentir seguro dentro da aeronave. Vale fechar a janela, sentar na poltrona do meio, etc. Mas permita que ele mesmo saiba encontrar, dentro de si, uma maneira de enfrentar a situação.

Menina chorando. Foto: Freepik

9- Permita que a criança com medo enfrente-o gradativamente

Dê a chance para que a criança enfrente o medo gradativamente. Lembra quando comentamos que o medo pode ser a ausência de uma habilidade, e à medida que vamos desenvolvendo-a tendemos a perder o receio? Pois é. E para desenvolver uma habilidade precisamos de que? Tempo e paciência.

Portanto, permita que o seu filho vá desvendando novas formas de lidar com o medo. Isso ajuda o pequeno a passar por um processo de adaptação.

  • Exemplo: Se a criança tem medo de inseto, comece assistindo desenhos que contenham aquele inseto. Depois, mostre a ele uma foto e analise as partes do corpo daquele inseto. Vá aumentando a interação até que a criança consiga ficar no mesmo ambiente que o inseto, mas sem tocá-lo (não há necessidade disso!). Sua função é ajudá-lo a perceber que não há o que temer, mas, novamente reiteramos: sem forçar a barra, por favor!

Veja também: Criança de 4 anos: desenvolvimento e educação

Como tirar o medo de uma criança facilmente?

Não existe uma fórmula mágica para tirar o medo de uma criança facilmente. É preciso respeitar o tempo de adaptação dela e oferecer um ambiente seguro e acolhedor. Quanto mais você demonstrar ser o porto seguro da criança com medo e permitir que ela vá evoluindo aos poucos, melhor.

Menina com medo da aranha. Foto: Freepik

Em casos onde o medo for muito intenso e atrapalhar o desenvolvimento infantil, busque apoio na psicoterapia para crianças. Essa é uma excelente medida (e saudável) para elevar a qualidade de vida do seu filho. Só não espere mágica, pois isso não existe.

Leia mais: Educação socioemocional – Dicas para trabalhar em casa

Como trabalhar o medo infantil psicologia – 11 dicas rápidas

Com o intuito de lhe dar ainda mais suporte para lidar com a criança com medo, fizemos uma breve lista com dicas rápidas que podem ser úteis no dia a dia. Veja:

  1. Incentive o seu filho a falar sobre o medo dele.
  2. Faça a criança entender que ela tem mais força do que imagina, aumentando a autoestima e autoconfiança dela.
  3. Ajude a criança a compreender por que devemos superar nossos medos e como isso muda a nossa vida.
  4. Respeite o tempo do seu filho.
  5. Não seja super protetor, não é porque o seu filho tem medo que é você quem deverá executar a tarefa.
  6. Ajude a criança a encontrar as soluções para o medo.
  7. Ajude a criança com medo a organizar a sua imaginação, pois o receio pode estar associado com uma imaginação que cria situações de perigo.
  8. Estimule a leitura de histórias que falem sobre o medo.
  9. Elogie o comportamento corajoso.
  10. Nunca diminua a criança com medo.
  11. Ofereça-se como um porto seguro que poderá ser buscado quando o medo sair do controle.

Menina com a mão no rosto. Foto: Freepik

Brincadeiras para trabalhar o medo

Agora que você já viu uma série de dicas para lidar com uma criança com medo, veja também algumas sugestões de brincadeiras que podem ajudar nesse processo:

  • Histórias: Já mencionamos isso algumas vezes, mas o fato é que usar histórias, filmes e desenhos para falar sobre o medo é uma forma eficiente de diminui-lo.
  • Jogos: Jogos educativos também podem ajudar a lidar com o medo.
  • Encenações: Brinque com a criança, fingindo que estão “em perigo” (diante do medo) e brinquem de bolar um plano para lidar com a situação.
  • Brincadeiras com fantoches: Faça teatros de fantoche contando sobre uma superação de medo.
  • Aprendendo sobre a causa do medo (escolinha): Brinque de escolinha e ensine o seu filho sobre o que ele tem medo. Vale ele ser o professor e explicar detalhes sobre a situação. Exemplo de tema: injeção (para que serve, quais os benefícios, dói ou não dói? etc.).

Viu só como é possível lidar com uma criança com medo de diversas maneiras diferentes? Invista em boas estratégias e lembre-se que em casos intensos a busca por um profissional da saúde pode ser bem interessante. Boa sorte!

Fique agora com outros conteúdos aqui do blog: