Que as crianças adoram usar a internet e TV em casa é um fato! Mas até que ponto esses dois dispositivos são saudáveis? Como os pais podem regular o uso deles em casa?

Sabemos que esta não é uma tarefa fácil, afinal limitar o uso de telas (sejam celulares, videogames ou computadores) é difícil para quase todas as famílias, já que as crianças não ficam lá muito felizes.

Isso acontece porque, hoje em dia, as crianças praticamente já nascem com a tecnologia e possuem muito mais facilidade de mexer nos aparelhos do que os adultos. Não há dúvidas que estamos vivendo na era digital.

Portanto, as crianças não só dominam a tecnologia desde muito cedo, como também estão viciadas nesse mundo virtual. É aí que está o perigo!

Publicidade

Nesse momento surgem várias dúvidas dos pais: “devo proibir meu filho de ficar no computador?”, “a internet está fazendo mal para o meu filho?” ou “como vou controlar o uso da internet das minhas crianças?”.

Se essas são algumas de suas preocupações, continue lendo e descubra como lidar com esse dilema!

internet e TV

Menino sentado com um notebook e fones de ouvido. Crédito da foto: Freepik

Quais são os riscos de usar internet e TV?

Antes de mais nada, os riscos de usar internet e TV em excesso são grandes. Mas por quê?

Em primeiro lugar, alguns cientistas afirmam que o uso exagerado da internet pode causar atrofia da massa cinzenta do cérebro e isso afeta a concentração e a memória da criança, dificultando na hora de tomar decisões e definir objetivos.

Além disso, muitas crianças e jovens navegam pela internet sem monitoração de um adulto, ficando assim expostos a todo tipo de conteúdo, principalmente aos nocivos e aos jogos que estão cada vez mais violentos.

Publicidade

Sem contar no perigo de algum estranho tentar se aproximar do seu filho, que pela ingenuidade e inocência pode acabar caindo em golpes.

A internet é sim não é ruim, mas sim seu uso indevido!

A internet em si não é ruim, porém seu uso em excesso e indevido acaba sendo e não faz bem às crianças, que estão passando pela fase de descoberta e aprendizagem.

Isso pode causar consequências graves à longo prazo, já que algumas crianças e adolescentes chegam a perder a capacidade de socializar e fazer amizades fora do mundo virtual.

Portanto, se seus filhos ficam trancados o dia inteiro dentro do quarto, este é o momento dos pais tomarem uma atitude! Continue lendo para descobrir o que fazer nesse caso para regular o uso da internet e TV em casa.

Será que devo proibir o uso da internet e TV?

Apesar dos nossos alertas, a resposta é: não, não deve! Proibir e banir o uso total desses aparelhos não é a solução correta, mas sim regular seu uso através de ensinamentos e atitudes.

Talvez essa não seja a resposta que você estava esperando, mas proibir o uso da internet e de aparelhos eletrônicos pelas crianças não é a melhor solução.

Publicidade

Os pais precisam entender que a tecnologia faz parte do dia a dia das crianças. Elas vão, de uma forma ou de outra, entrar em contato com o mundo digital, seja através de amigos ou da escola.

Privar o seu filho dessas tecnologias só vai afastá-lo de sua realidade, acabando por deixá-lo excluído no seu círculo de amigos, por exemplo.

Afastar as crianças das interações sociais não é o objetivo, não é mesmo? E ele também pode ficar com raiva e mais rebelde, o que não ajudará em nada.

Portanto, o segredo é o equilíbrio! É dever dos pais administrar o uso do computador (ou de qualquer outro aparelho eletrônico) pelas crianças e tentar fazer com que essa experiência seja a mais proveitosa possível.

internet e TV

Mãos de uma garotinha mexendo no laptop. Crédito da foto: Freepik

Mas afinal, como controlar o uso da internet e TV em casa?

Converse com seu filho sobre os riscos na internet de uma maneira que ele não fique traumatizado mas também não se deixe levar pelos perigos, muitas vezes, tentadores, esclarecendo que ele não deve fornecer informações pessoais a estranhos.

Além disso, você pode tentar restringir o uso das crianças baixando aplicativos com filmes e jogos próprios para a idade dos pequenos.

Outro segredo para monitorar o tipo de conteúdo que os jovens consomem é deixar o computador ou televisão em um lugar de grande movimentação na casa.

Ofereça outros tipos de atividade para as crianças, preencha a rotina delas com outras coisas, como por exemplo: esportes, natação, dança, jardinagem, desenho, pintura, instrumentos musicais, etc.

Você pode ter outras atitudes simples e eficazes, como essas:

1) Incentive-os aprender coisas novas

Para mantê-los ocupados, ajude seus filhos a aprender coisas novas. Se você acha que seus filhos têm potencial para cantar, inscreva-os em aulas de música.

Se eles têm paixão em dançar, envie-os para uma escola de dança.

É importante que as crianças desenvolvam suas habilidades e talentos por meio de aprendizado baseado em ações, onde podem também socializar com outros colegas.

Isso os ajudarão a ter mais tempo dedicado a outras atividades e não depender dos celulares e computadores.

2) Envolva-os em atividades físicas

Quando as crianças gastam grande parte do seu tempo em videogames ou assistindo a filmes e séries seu estilo de vida se torna sedentário, o que pode levar a várias consequências negativas de saúde, por exemplo.

Assim, é importante que você incentive seus filhos a terem um estilo de vida ativo participando de atividades físicas na escola ou introduzindo-os em esportes.

Os esportes oferecem muitos benefícios à saúde para as crianças, incluindo o desenvolvimento da autoestima e um relacionamento mais forte com outras pessoas.

3) Defina um limite no uso dos dispositivos

Devemos começar pelo básico: definir uma quantidade de horas permitidas. A criança precisa entender que existe um limite e, se ele for ultrapassado haverá uma punição, como ser proibida de usar o computador no dia seguinte, por exemplo.

O ato de proibir o uso total pode causar um efeito contrário e estimular ainda mais a vontade de alguém fazer algo. Isso pode ser levado em conta ao tentar proibir seus filhos de usarem a tecnologia em casa.

Em vez de cortar radicalmente o hábito, você pode definir um limite para o tempo permitido de uso deles. De acordo com a pesquisa da Academia Americana de Pediatria, é melhor limitar o tempo de tela das crianças em até duas horas. Ou em uma, no máximo, se for considerar os mini internautas entre 2 a 5 anos.

Também é aconselhável dar às crianças uma programação que declare a hora ou o dia em que elas têm permissão para acessar a tecnologia.

4) Não use a tecnologia como recompensa emocional

Celulares, televisões e computadores podem ser muito eficazes para manter as crianças calmas e tranquilas, mas não deve ser a única maneira em que elas podem aprender a se acalmar.

As crianças precisam aprender como identificar e lidar com emoções fortes, desenvolver atividades para controlar o tédio ou acalmar-se respirando.

Além disso, é importante que saibam expressar e falar sobre maneiras de resolver o problema e encontrem outras estratégias para canalizar suas emoções.

5) Seja um bom modelo

Ensine sobre o uso da tecnologia em casa de forma consciente. Como as crianças procuram ser reflexo dos pais, procure moderar seu próprio uso tecnológico na frente dos pequenos.

Além de isso ajudar a regular o uso da tecnologia em casa, isso te ajudará a se conectar verdadeiramente com os seus filhos eles, em vez de simplesmente olhar para uma tela.

6) Crie zonas livres de tecnologia

Mantenha as refeições das famílias, outras reuniões familiares e sociais e os quartos das crianças como lugares em que celulares e videogames não entram.

Desligue as televisões que não estiverem assistindo, porque a TV de segundo plano pode atrapalhar o tempo presencial com as crianças.

Recarregue dispositivos durante a noite e fora do quarto do seu filho para ajudá-lo a evitar a tentação de usá-los quando deveriam estar dormindo.

Essas mudanças encorajam mais tempo para a família, hábitos alimentares mais saudáveis e melhor sono.

7) Certifique-se de que durmam no horário correto

A privação do sono é um dos principais efeitos negativos do uso da tecnologia.

Computadores, tablets e outros dispositivos móveis emitem radiação e luzes brilhantes que podem suprimir a produção de melatonina, o hormônio responsável por nos fazer dormir.

Assim, certifique-se de que as crianças vão para a cama no horário combinado.

Além disso, lembre da sugestão anterior: não torne acessível nenhum celular ou ferramenta tecnológica ao alcance delas.

8) Acompanhe suas atividades online

A vantagem dos computadores e outros dispositivos tecnológicos é que as crianças podem acessar facilmente informações e pesquisas.

Por outro lado, também pode ser uma desvantagem, pois a internet não tem um limite no conteúdo que fornece às crianças.

Eles podem acessar conteúdos impróprios que são prejudiciais ao seu desenvolvimento.

Lembre-se: as crianças serão crianças. As crianças vão cometer erros usando a tecnologia. Tente lidar com erros com empatia e transformar um erro em um momento de aprendizado.

Além disso, é importante ficar atento também a alguns perigos, como bullying virtual.

Os pais devem observar cuidadosamente o comportamento de seus filhos e, se necessário, pedir ajuda profissional de apoio, incluindo o pediatra da família.

Essas tecnologias estão aqui para ficar, devem ajudar a todos a longo prazo, e não temos escolha senão aceitar sua onipresença no mundo das nossas crianças e adolescentes.

Dito isso, pais, professores e outros adultos ao redor estão em posição de influenciar ativamente o papel que essas tecnologias têm em suas vidas.

Assim como criar usuários informados da mídia e diminuir grande parte dos efeitos sociais e cognitivos potencialmente prejudiciais.

Afinal de contas, nada melhor do que ensinar as crianças a serem usuários conscientes nessa cultura digital em que vivemos!

Mais dicas para regular o uso da internet e TV em casa:

Outras dicas são: nada de telas durante as refeições e desconectar uma hora antes de dormir; crie regras de segurança, senhas e filtros apropriados para toda família, incluindo momentos de desconexão e mais convivência familiar; explique e encontros com desconhecidos online ou off-line devem ser evitados!

Em vez de liberar as telas por mais tempo nos fins de semana, use este período em que a família tem menos compromisso para fazer alguma atividade juntos. Além de afastar os filhos das telas, a família se aproxima.

Por fim, outra dica é usar brincadeiras lúdicas, como desenhar, ler livros, brincar com jogos de tabuleiros para preencher o tempo de seu filho e aproximá-lo de você.

 internet e TV

Duas crianças estão sentadas na mesma cadeira, em frente a um notebook. Crédito da foto: Freepik

Direcione o uso para algo positivo

Em vez de controlar o uso da internet das suas crianças, que tal direcionar esse interesse por tecnologia para algo positivo?

Busque cursos de programação e robótica para os pequenos, eles ensinarão boas ferramentas. Seu filho vai aprender a fazer os próprios jogos, criar aplicativos, sites e até robôs.

Esse pode ser o início de um direcionamento profissional ou, pelo menos, os jovens vão aprender um pouco sobre uma profissão. As crianças dominarão a tecnologia de uma forma benéfica.

Ou então para alguma atividade online, mas que seja produtiva, como um curso online, jogos educativos, vídeos que ensinem conteúdos relevantes, etc.

Conclusões

A tecnologia ajudou a melhorar vários aspectos da vida em sociedade, como nos negócios, educação, entretenimento e saúde.

Devemos ter consciência de que a inovação continuará a ajudar as pessoas a viver e trabalhar de forma mais eficiente e produtiva. Com isso, as crianças crescerão cada vez mais com conhecimento sobre computadores, TV, smartphones e internet.

E a tecnologia pode auxiliar no crescimento e desenvolvimento das crianças, especialmente em seu aprendizado. No entanto, como vimos acima, seu uso em excesso pode ser ruim.

Siga as nossas dicas acima para usar essas tecnologias de forma moderada, regulando o uso da internet e TV em casa com as crianças e jovens! Assim, o uso será mais consciente e saudável.

Agora que você já viu como regular o uso da internet e TV em casa com as crianças, leia também esses outros conteúdos:

Até a próxima!