São muitos os benefícios do contato pele a pele com o bebê, sobretudo durante os primeiros meses de vida do neném.

Durante a gestação, o bebê fica protegido no ventre materno e não precisa se preocupar com o frio, fome, excesso de luminosidade, entre outros fatores.

Mas logo que nasce essas sensações se tornam reais, fazendo com que o bebê se sinta desamparado e com medo. Por isso, é essencial estimular o contato imediatamente após o parto.

Publicidade

No colo, a criança se sente protegida, conseguindo se acalmar e equilibrar os batimentos cardíacos e a respiração.

Nos primeiros momentos de vida o contato é essencial, mas isso continua sendo importante em outras fases do desenvolvimento. Então, é preciso incluir esses momentos preciosos na rotina do bebê.

Continue lendo esse texto para saber quais são os benefícios do contato pele a pele e as melhores maneiras de estimular isso.

A origem do método pele a pele

Inicialmente, o método foi usado para ajudar os bebês que nasciam prematuros a se desenvolverem melhor, ou seja, uma maneira de complementar o tratamento deles ainda no hospital.

Isso porque muitos bebês prematuros passam longos períodos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o que dificultaria o contato com a família, prejudicando, assim, seu desenvolvimento e aumentando a sensação de medo.

Publicidade

Diante disso, os profissionais dessas unidades especiais passaram a oferecer orientações para que a família pudesse ter contato com o bebê de maneira adequada e segura.

Os países nórdicos foram os primeiros a utilizarem esse método na UTI neonatal e perceberam rapidamente o quanto isso poderia contribuir para a saúde da criança e o bem-estar da família.

O chamado “Método Canguru” diminuiu consideravelmente o índice de morte neonatal. E logo os profissionais começaram a indicar o contato pele a pele também para os bebês maiores.

Como não poderia deixar de ser, rapidamente os primeiros efeitos positivos foram percebidos em mães e filhos.

Mas o que é exatamente o contato pele a pele?

Basicamente, o contato pele a pele é a proximidade entre um adulto e o bebê, em uma posição confortável e segura para ambos.

Isso é feito principalmente com a mãe e o seu filho, preferencialmente de modo que a pele de ambos se toque diretamente. Para isso, é ideal que o bebê esteja usando apenas fraldas. A mãe também deve ficar com a superfície da pele exposta.

Publicidade

Esse contato bem próximo é essencial para que o bebê se sinta protegido e para que a mulher seja inundada de ocitocina, o hormônio do amor e bem estar.

Tal contato estimula a mãe a cuidar adequadamente do pequenino, além de permitir o reconhecimento entre ambos. Já para o bebê, o toque é importante para o seu próprio autoconhecimento e desenvolvimento adequado.

Com o vínculo estabelecido, a mulher se sente muito mais segura e disposta a cuidar do seu filho, enquanto que o bebê se sente protegido para progredir com o seu desenvolvimento.

Infelizmente, esse contato ainda é pouco estimulado. Mas é importante que os pais e cuidadores entendam o quanto isso é importante para os bebês e, assim, comecem a dedicar algumas horas do dia para isso.

A hora do banho e os momentos de amamentação são os mais importantes para a estimulação desse tipo de contato entre os pais e o bebê.

Benefícios do contato pele a pele

O contato pele a pele traz muitos benefícios tanto para o bebê quanto para os adultos que cuidam dele.

No caso da mãe, o contato pele a pele ajuda a aumentar a liberação de ocitocina, o hormônio do amor e da calma, que contribui positivamente para a amamentação, além de diminuir a tristeza e depressão pós parto.

Com isso, é possível ter um puerpério muito mais tranquilo, sem grandes problemas. Com o bebê mais calmo, tudo fica mais simples. Então, veja quais são os benefícios para a criança:

  • O bebê fica tranquilo por se sentir protegido;
  • Alívio de cólicas;
  • Controle térmico;
  • Equilíbrio do sono;
  • Estabilidade dos níveis respiratórios e cardíacos;
  • Diminuição do choro;
  • Melhora do desenvolvimento sensorial, devido a uma maior percepção dos ambientes.

De acordo com uma pesquisa feita na Universidade de Bar-Ilan, em Israel e publicada no jornal científico Biological Psychiatry, as crianças que tiveram o contato pele a pele com os seus cuidadores, se desenvolveram bem melhor e mais rapidamente.  

Além disso, durante toda a infância essas crianças se mostraram muito mais seguras, confiantes e independentes.

Nas mães, também foram observados vários benefícios, como o aumento da produção de leite, diminuição dos níveis de estresse e diminuição da sensação de dor.

Ao perceberem os seus filhos tranquilos, as mães conseguem trabalhar melhor as suas próprias inseguranças e, assim, ficam emocionalmente mais estáveis. Com isso, os episódios de ansiedade e tristeza pós-parto são bem menos frequentes.

Outra questão muito relevante sobre o método pele a pele é a contribuição do vínculo afetivo para a percepção do mundo e formação da personalidade da criança.

Essas são questões extremamente importantes para o desenvolvimento físico e psicológico dos pequenos.

Quando a criança recebe afeto e cuidado, isso se reflete imediatamente na sua memória cognitiva, fortalecendo o seu desenvolvimento emocional, imprescindível para a autoestima e convívio social.

O contato pele a pele é a melhor forma de deixar o bebê tranquilo

Uma das maiores queixas e problemas que os pais e cuidadores enfrentam durante os primeiros meses de vida do bebê diz respeito à privação de sono.

E essa é mais uma questão a qual o contato pele a pele pode contribuir de maneira eficiente. Isso porque o contato diminui os níveis de estresse e agitação. 

Pode ser que você esteja se perguntando quais são os motivos para que o bebê fique estressado, sendo que ele não tem problemas como os adultos.

Isso é verdade em partes, pois os desafios dos bebês são enormes e, muitas vezes, negligenciados.

Eles sentem frio, fome, dor, sono e, muitas vezes, não são compreendidos rapidamente. Mas entre os seus problemas, estar desamparado é o pior deles.

Chorar e não ser consolado. Gritar durante vários minutos sem ser atendido. Isso provoca uma enorme sensação de abandono.

Tudo piora ainda mais com a impaciência e expectativa que os pais depositam sobre os bebês para que eles aprendam a dormir durante a noite toda.

Infelizmente os bebês não nascem programados e nem muito menos são programáveis. Apesar disso, muitos pais insistem em deixar o bebê chorando até que ele “aprenda” a dormir.

Na verdade, o que acontece nesse caso é que o bebê desiste e se conforma com a sensação de abandono ou simplesmente dorme devido ao esgotamento físico e emocional.

O choro faz com que o organismo libere uma série de endorfinas, que servem para reduzir o estresse. Com isso, o bebê acaba se acalmando e dormindo.

Por outro lado, existem os pais que alegam que a criança não para de forma alguma no berço ou carrinho e que só dorme se estiver no colo.

Isso acontece porque dessa maneira a criança se sente bem e protegida. Então, para diminuir o estresse para o bebê e para os seus cuidadores, é possível usar um sling.

Esse é um tipo de pano que deve ser amarrado de maneira adequada para que o adulto possa carregar a criança por onde vá.

Dessa forma o bebê tende a ficar mais calmo, dormindo por mais tempo e desenvolvendo-se emocionalmente de maneira adequada.

Além do conforto emocional, a criança sente ainda o conforto físico e pode até ouvir as batidas do coração do adulto, que a ajudam a se acalmar.

Dessa forma, é possível transformar os maiores momentos de angústia das crianças em memórias afetivas, proporcionando carinho, atenção e amor.

Melhores estímulos dos cuidados pele a pele

Você já deve ter entendido o quanto o contato pele a pele é benéfico para as crianças pequenas.

Então agora chegou o momento de aprender as principais formas e momentos para colocar isso em prática ao longo da rotina do bebê.

1. Amamentação

Para as mães que podem e desejam amamentar os seus bebês, essa é a melhor hora para se fazer contato pele a pele e oferecer carinho, proteção e nutrição adequadas ao bebê.

Se a temperatura estiver agradável, procure deixar a criança só de fralda e, se preferir, você também pode tirar a blusa para intensificar o contato com a pele da criança.

Adote uma posição que seja muito confortável para ambos e, então, amamente o seu bebê sem pressa, na medida do possível. Só não se esqueça de observar se a pega está correta.

2. Contato pele a pele na hora do sono

A hora do sono do bebê é mais um momento em que o contato pele a pele deve ser intensificado.

Como já foi dito, é possível usar um sling para deixar que a criança durma em contato com o adulto, sem que isso atrapalhe a execução de tarefas do dia a dia, visto que as mãos do adulto ficam livres.

Isso deixa o bebê confortável, protegido e faz com que ele tenha conforto térmico também.

3. Hora do banho

Na hora do banho, você pode aproveitar que o bebê está sem roupas para massagear e acariciar a sua pele.

Lave o bebê tranquilamente, sem pressa. Você pode colocar um pouco de sabonete líquido nas suas mãos e, então, ir espalhando pelo corpo da criança vagarosamente, limpando cada cantinho de maneira eficiente.

4. Troca de fraldas

Aproveite o momento da troca de fraldas para agradar o seu bebê e fazer o contato pele a pele. Você pode brincar com ele um pouco nesse momento.

Além disso, limpe bem a pele do bebê usando um lencinho umedecido adequado e seguro, que seja livre de substâncias químicas que possam agredir e prejudicar a criança.

Uma fralda adequada também é essencial para esse momento. Escolha um produto seguro e que te ajude a cuidar do seu bebê. A nova Pom Pom Derma Protek é uma fralda pensada especialmente para o cuidado e proteção da pele delicada do bebê, possui loção hidratante com extratos naturais que auxiliam na prevenção de irritações na pele e canal superabsorvente que garante uma pele 2x mais sequinha.

5. Invista em massagens diárias

Hidratar a pele do bebê é essencial para garantir a saúde e maciez dela. Para isso, deve-se utilizar um hidratante elaborado especificamente para as crianças, que não tenha nenhum composto nocivo.

Com o produto certo em mãos, você deve colocar o bebê deitado em uma posição confortável e, então, massagear a sua pele delicada e calmamente.

Isso ajuda a deixar o bebê tranquilo, relaxado e, ainda evita o surgimento de problemas de pele devido ao ressecamento excessivo.

O colo vai mimar o meu bebê?

Muitos pais e cuidadores acreditam que dar colo ao bebê pode deixá-lo mimado, fazendo com que nunca mais fique sozinho no berço ou carrinho.

Obviamente isso não é verdade, visto que conforme o bebê cresce, necessita cada vez menos do contato com os adultos.

Dessa forma, a independência acontece no tempo adequado, de acordo com o desenvolvimento da própria criança.

Mas é preciso ter muita paciência durante esse processo, visto que o nascimento é um evento muito importante para o bebê e para a sua família.

Ao sair da proteção do útero, o bebê precisa aprender um monte de coisas novas e lidar com o imenso desafio da sobrevivência e desenvolvimento.

Isso pode não ser nada fácil e faz com que o pequeno se sinta inseguro e desprotegido, o que provoca altos níveis de estresse.

Diante disso, o melhor lugar do mundo para o bebê estar é justamente ao lado dos seus pais e cuidadores, que são as pessoas que podem lhe dar proteção, amor e carinho.

É claro que o bebê prefere estar no colo do que no carrinho ou berço, que são lugares frios e desconhecidos.

Mas não se preocupe, pois conforme a criança for crescendo, começa a se afastar e criar sua independência.

Então aproveite ao máximo os momentos de contato pele a pele!

Conclusão

Os benefícios do contato pele a pele com o bebê podem ser observados na criança e na família de maneira geral. Por isso, é essencial estimular que eles aconteçam com frequência.

Para saber mais sobre isso, baixe o Guia Pele a Pele Pom Pom.