É chamado de corrimento vaginal fisiológico a secreção saudável e natural que tem por objetivo manter a saúde do canal vaginal. Além disso, ele está associado com as cargas hormonais do corpo da mulher, sinalizando que há uma maior quantidade de estrogênio no organismo, por exemplo.

O aumento desse hormônio, por sua vez, está associado ao ciclo menstrual da mulher, denunciando que esta está no seu período fértil. Da mesma forma, esse corrimento também pode aparecer durante a gravidez, e por um motivo semelhante: as oscilações hormonais durante a gestação podem ser bem intensas e resultam no aparecimento dessa secreção.

Porém, é importante saber visualizar as características de um corrimento vaginal saudável, a fim de não deixar nenhum sintoma além disso passar despercebido. Abaixo você verá mais informações sobre o tema.

Corrimento vaginal fisiológico

Mulher de calcinha segurando uma flor. Foto: Freepik

Publicidade

Para ler mais tarde: Ciclos menstruais irregulares: É possível engravidar?

O que é o corrimento vaginal fisiológico? Como tratar?

Como vimos acima, o corrimento vaginal fisiológico é comum e sinaliza que o corpo da mulher está entrando no período fértil. Além disso, é através deste corrimento que o corpo expulsa células mortas e mantém o equilíbrio da flora vaginal, garantindo a umidade na região íntima.

Esse corrimento costuma ter uma coloração levemente transparente, semelhante à clara de ovo, mas também pode ser mais esbranquiçada em algumas situações. A cor branca remete ao fato de que há uma maior concentração de estrogênio no organismo, enquanto que a secreção mais transparente dá a entender que os níveis hormonais não estão tão altos.

Outra característica evidente deste corrimento vaginal é que ele não apresenta odor. Ou seja, se você tem notado mau cheiro na região íntima, a secreção pode estar associada a outra questão. Neste caso, vale a pena investigar a situação, ok?

Veja mais: Aplicativos para mulheres que estão tentando engravidar

Corrimento vaginal fisiológico

Calendário menstrual. Foto: Freepik

Publicidade

O corrimento vaginal fisiológico também não provoca dor, ardor e tampouco coceira, por não estar associado com nenhuma doença, mas sim, apenas com o equilíbrio hormonal do corpo da mulher.

Sendo assim, você não precisa tratar o corrimento fisiológico, tendo em vista que ele é um sinal de que tudo está bem. Porém, você pode apostar no uso de calcinhas de algodão e uma higiene íntima equilibrada para evitar a proliferação de bactérias e o aparecimento de corrimentos nocivos.

Ao mesmo tempo, se você tem percebido outros sintomas ao mesmo tempo em que está com o corrimento branco ou transparente acontecendo, converse com o seu ginecologista para ter mais informações sobre o seu caso.

Protetor diário durante o corrimento vaginal fisiológico: Usar ou não usar?

Uma dúvida que muitas mulheres têm é com relação ao uso do protetor diário durante os dias em que o corrimento vaginal fisiológico fica mais intenso. Afinal, podemos usar todos os dias ou faz mal à saúde?

Mulher segurando seu calendário menstrual. Foto: Freepik

Na realidade, tudo depende do quanto você usa o protetor. Ficar sem o absorvente diário pode ser sim mais saudável, já que assim a região íntima não ficará abafada, porém, nem sempre isso é possível.

Publicidade

Algumas mulheres possuem um corrimento tão intenso que chega a passar sobre a roupa, e por isso recorrem ao protetor diário por dias seguidos. Nestes casos, recomenda-se o uso de absorventes de algodão, que são reutilizáveis, não abafam e não causam alergias e coceira.

Leia mais: Fralda de pano: ainda estamos na Idade da Pedra?

Da mesma forma, o ideal é sempre deixar a região íntima mais “livre”, para que a oxigenação aconteça naturalmente. Outra maneira de impactar menos na saúde vaginal com o uso de protetores diários é dormindo sem calcinha, por exemplo, já que durante a noite a secreção pode ser menor.

Mulher em dúvida entre os absorventes. Foto: Freepik

Conhecer o seu corpo é fundamental

Agora que você já sabe que o corrimento vaginal fisiológico faz parte do seu ciclo menstrual, compreende que ele não necessita ser “tratado” e tampouco precisa receber algum tipo de acompanhamento medicinal.

Sendo assim, perceba o quanto é importante você conhecer o seu corpo e compreender o que acontece durante o ciclo menstrual. Tudo isso permitirá que você não se assuste com os famosos “alarmes falsos” e saiba observar sintomas que possam estar representando algum tipo de desequilíbrio no seu corpo.

Aplicativos como o Clue, também são uma ótima forma de manter um acompanhamento mais efetivo do que acontece no seu ciclo. Neste tipo de app você consegue monitorar os sintomas, as fases do seu ciclo e reconhecer o que é cíclico e o que é “novo” e estranho.

Mulher com roupa íntima. Foto: freepik

A partir dessas informações mapeadas, você poderá saber se necessita de acompanhamento médico ou não, tendo mais conhecimento sobre o seu corpo.

Lembrando ainda que a visita regular no ginecologista também é importante, ok? É nesta consulta que você pode tirar todas as suas dúvidas sobre o seu aparelho reprodutivo. Não tenha vergonha de questionar e cuide da sua saúde!

Leia agora: