Depois de 4 meses de isolamento social mais rigoroso, no início de julho aconteceu a reabertura oficial de bares e restaurantes no estado de São Paulo (e também em outros estados). Mais especificamente, foi no dia 06/07 que os restaurantes e os bares de São Paulo tiveram autorização para reabrirem – mas com uma série de cuidados especiais, é claro.

Muitos estabelecidos estão reclamando desses protocolos de segurança exigidos para a reabertura. Isso porque eles afirmam que tantas regras e cuidados acaba inviabilizando a reabertura efetiva.

Mas será que já é seguro sair e frequentar esse tipo de ambiente? Será que vale a pena fazer esse movimento neste momento? Ou será que é melhor aguardar um pouco mais? Veja neste artigo os cuidados obrigatórios que os estabelecimentos precisam tomar para usufruírem dessa possibilidade de reabertura. Veja aqui também a resposta dos paulistanos a estas duas semanas com o comércio reaberto, para tomar sua decisão e decidir se já é seguro voltar a frequentar restaurantes. Boa leitura!

Movimentação na reabertura de restaurantes e bares em São Paulo

Restaurante reabertura coronavírus

Comemoração em restaurante – Crédito da foto: Freepik

Publicidade

O movimento na reabertura dos restaurantes e bares de São Paulo foi bastante forte. A busca por uma “saída” depois de meses de isolamento mais rígido fez com que os estabelecimentos ficassem até com filas de espera. Por exemplo, em algumas churrascarias tradicionais da capital, o movimento de carros foi intenso e as filas de espera chegaram a durar mais de 2 horas.

O primeiro dia de reabertura em São Paulo ocorreu em uma segunda-feira. Ainda assim, as mesas e os salões dos restaurantes estavam muito mais ocupados que o habitual para dias de semana. Mas aqui vale lembrar que os locais ainda não tem autorização para funcionar após as 17 horas e precisam espaçar bem as mesas. Por isso, a sensação de multidão pode ser exacerbada por estes detalhes: menos mesas para ocuparem e horários restrito de funcionamento, o que faz com que as pessoas busquem pelo espaço em horários próximos.

A reabertura já aconteceu, mas não é tudo que está “liberado”

No entanto, o movimento atípico para dias de semana de dentro dos restaurantes não é refletido pelas calçadas dos pubs e bares. Isso porque o decreto de reabertura ainda não permite a colocação de mesas nas calçadas e nem o atendimento nas ruas. Por isso, não houve movimento significativo de clientes nas áreas externas dos bares, pubs e restaurantes mais tradicionais da capital. Esse tipo de atendimento ainda está proibido como uma forma de tentar evitar aglomerações.

Além disso, muitos restaurantes e bares seguem com as portas fechadas. Isso porque as restrições impostas para reabertura parecem inviabilizar a reabertura de alguns locais menos tradicionais, com menos dinheiro em caixa para investir nessa reabertura.

Alguns proprietários afirmaram que sem a possibilidade de funcionamento a noite, os custos para retomar as atividades apenas a tarde não compensariam. Evidentemente, são necessários sim muitos cuidados e precauções para que o comércio possa voltar a funcionar – ainda que isso custe o atraso na reabertura de alguns lugares. No entanto, parece que a opinião desses proprietários são comungadas entre muitos donos de estabelecimentos. Isso porque apenas 40% dos bares e restaurantes da capital abriram. Ou seja, mais da metade (60%), optaram por continuar com as portas fechadas, mesmo com a autorização para abertura.

O gerente de uma rede tradicional de restaurantes de São Paulo contou que os números realmente ficarão no vermelho com a reabertura apenas no turno da tarde. Ele conta que inicialmente os números parecem não compensar. No entanto, ele decidiu abrir as portas porque o objetivo é anunciar para a população que eles estão trabalhando e que as pessoas podem voltar a frequentar o espaço quando se sentirem confortáveis. De acordo com ele, essa notícia “boca a boca” do retorno as atividades provavelmente fará diferença lá na frente, quando as pessoas se sentirem mais confortáveis para sair de casa.

Publicidade

Transito em São Paulo após reabertura de comércio

Vista de cima de cruzamento com movimento de carros reaberura coronavirus são paulo

Vista de cima de cruzamento com movimento de carros – Crédito da foto: Freepik

Sim, o movimento no comércio de São Paulo registrou uma alta em comparação com o esperado para a mesma época nos anos anteriores. A alta mais significativa ocorreu no dia 11/07, primeiro sábado após reabertura, de acordo com os estabelecimentos.

Esse cenário acabou impactando o transito da cidade, famoso no país todo pelos congestionamentos. Então, este pode ser um dado muito importante se voce está pensando em sair de casa, principalmente se estiver pretendo levar as crianças para passear. Isso porque as crianças tendem a ser bastante impacientes e um trajeto extenso de congestionamento pode ser bem torturante com crianças entusiasmadas para saírem de casa e sem muitas paciência.

No primeiro fim de semana depois da reabertura, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou quase 4 quilômetros de congestionamento na capital paulista. Pelas projeções da CET, a tendência é que o congestionamento se acentue nos próximos fins de semana. Isso porque a tendência é que cada vez mais comércios abram as portas e mais famílias decidam sair de casa.

Por isso, pode ser uma boa ideia buscar por estratégias de manter seus pequenos entretidos e distraídos durante a viagem, caso voce opte por dar umas voltas nos próximos dias.

Quais cuidados os estabelecimentos estão tomando para proteger minha família?

Mãe colocando máscara de proteção em filho reabertura de comércio pandemia coronavírus

Mãe ajudando filho a colocar máscara de proteção – Crédito da foto: Freepik

Publicidade

É claro que ficar em situação da isolamento social não é nada fácil. E essa tarefa pode ser particularmente difícil se você precisas dar conta de tarefas do trabalho, arrumações da casa e cuidados ininterruptos com crianças. Por isso, sair para se distrair, jantar fora ou “respirar novos ares” pode ser bem tentador.

E, veja: não há necessariamente nenhum mal em fazer estas pausas, pensar em algo que não sejam problemas e relaxar. No entanto, alguns cuidados e precauções são essenciais, voce concorda?

A reabertura do comércio pode ser uma notícia boa para muita gente, principalmente para aqueles que sentem mais falta dessas saídas. Mas, quais são os cuidados que os restaurantes estão tomando para manter a segurança nessa retomada? Será que eles estão tendo todas as precauções que você considera fundamentais para permitir que sua família volte a frequentar esses ambientes?

Veja abaixo as normas impostas pelo decreto de reabertura do comércio, e verifique se voce se sente segura para retornar a um ambiente assim:

  • Restrição de 6 horas de funcionamento (e fechamento obrigatório até as 17:00, no mais tardar)
  • Limitação da capacidade máxima de clientes a até 40% da capacidade total do espaço
  • Proibição de mesas e atendimento em calçadas
  • Obrigatoriedade do uso de máscara por todos os clientes, incluindo crianças de qualquer idade
  • Utilização de viseiras e luvas por todos os garçons e funcionários do estabelecimento
  • Ampliação significativa na distância entre as mesas

Como mencionado anteriormente, 60% dos estabelecimentos decidiram não abrir as portas, mesmo com a autorização para reabertura. Ainda assim, são muitos os restaurantes e bares que decidiram abrir suas portas. Por isso, há muitas e diversas opções para aquelas famílias que desejam e se sentem seguras para sair de casa neste momento.

A reabertura foi autorizada, mas já é seguro sair?

Mulher de óculos pensando em fundo amarelo

Mulher de óculos pensando em fundo amarelo – Crédito da foto: Freepik

Certo, os restaurantes e estabelecimentos do tipo já estão abertos. Mas é realmente seguro sair de casa nesse momento? Será que já é possível frequentar esses espaços com segurança e tranquilidade? Será que os cuidados tomados pelos restaurantes são suficientes para proteger a você e sua família?

É verdade que o número diário de mortes por Covid-19 está caindo em São Paulo há mais de duas semanas. E é verdade também que este dado foi fundamental para o decreto de reabertura do comércio local. No entanto, é importante destacarmos que os casos ainda são muitos frequentes e que a situação segue sendo extremamente perigosa.

Infelizmente, já são quase 20 mil mortos em São Paulo devido ao novo Coronavírus (e isso sem pensarmos na subnotificação dos números). Além disso, só em São Paulo há quase 400 mil casos confirmados de vírus. Ainda que os números diários estejam caindo, a verdade é que a doença ainda está circulando por São Paulo e tem muita, mas muita gente sendo contaminada todos os dias.

Então não é seguro?

Lamentavelmente, a verdade é que não existe resposta “certa” ou “absoluta” para essa importante pergunta: Quando será seguro sair de casa?

Cada pessoa e cada família vai precisar tomar a sua própria decisão, principalmente considerando o decreto de reabertura dos restaurantes. Qual o momento mais adequado para voltar a frequentar este tipo de ambiente? A resposta é que depende: depende de cada pessoa, de cada situação, de cada família.

Nossa geração nunca passou por essa situação, o que significa que tudo isso é muito novo para todos. Naturalmente, experiências novas e desconhecidas podem gerar medos, receios, angústias. É normal não sabermos o que fazer nem como agir frente ao novo, ao inusitado, ao desconhecido. Não é fácil lidarmos com o nosso próprio não-saber.

No entanto, este pode ser um momento oportuno para nos experimentarmos na posição de autores e protagonistas de nossa história, de nossas vidas e nossas decisões. Quais cuidados você considera essenciais para a proteção própria e de sua família? Quais possíveis benefícios e quais possíveis prejuízos essas saídas podem ter para sua família? E para você?

O quanto você se sente segura para sair de casa?

Não há resposta certa nem resposta errada. Cada família vai precisar colocar na balança os prós e contras desse cenário para tomar sua decisão. E você pode aproveitar este momento para refletir e pensar sobre o que vale a pena para você, quais efeitos estas saídas podem ter sobre você, e quais as suas expectativas saindo de casa. Afinal, o que te faz sair? E o que te mantém em casa?

E então, o que você acha? Você já se sente preparada para frequentar bares e restaurantes? Ou você prefere esperar um pouco mais antes de ir nestes lugares? Deixe um comentário e conte pra gente sobre sua decisão de sair ou de ficar, e sobre sua experiência de quarentena em família. Nós queremos conhecer sua história e sua experiência nesse momento tão atípico.