A adolescência costuma trazer uma série de medos, preocupações e inseguranças para as mães. Isso porque, nesse período, os filhos passam também por muitos medos, descobertas e inseguranças. É durante a adolescência que o jovem busca mais intensamente conhecer melhor a si mesmo e ao mundo.

Com as transformações do mundo, a juventude de hoje está muito diferente de 10, 20 ou 30 anos atrás. Portanto, isso pode trazer uma série de dificuldades de relacionamento entre adultos e adolescentes. Muitos dos problemas de relação entre os jovens e seus pais são reflexo da incapacidade de ambos os lados olharem para o outro e tentarem se colocar no seu lugar.

Adolescentes sofrem por sentirem que seus pais não os entendem ou apoiam. Os adultos também sofrem por não entender bem o que está acontecendo com seus filhos e por sentir medo do futuro. Entender que seu filho está crescendo e que você terá novos desafios a cada etapa é muito importante para manter sua sanidade.

Entre outros fatores, a sexualidade é um dos temas que mais comumente geram conflitos nas famílias com adolescentes. Sendo essa problemática cada vez mais comum, criamos esta lista com 8 filmes excelentes e produzidos nos anos 2000 para você começar a entender melhor o seu filho e a diversidade sexual atual. Boa leitura!

Publicidade

A descoberta sexual na adolescência

Na adolescência os jovens estão se descobrindo. Portanto, é também aqui que as descobertas mais concretas da sexualidade, das suas preferências e das relações afetivas começam a acontecer.

Esse momento pode ser carregado de angústias, de medos e de altos e baixos. Por isso, é muito importante que os pais e adultos consigam entender melhor esse momento na vida do jovem.

XXY (2006)

Cena de filme sobre sexualidade na adolescencia: XXY

Crédito: IMOVISION

XXY é um filme argentino que narra a história de Alex.

Alex é uma jovem de 15 anos intersex. Após seu nascimento, seus pais decidem se isolar em uma cidade pequena e afastada, devido ao medo por não saberem como seria viver em uma “cidade grande” com uma filha intersex. Essa decisão foi uma tentativa, ainda que atrapalhada, dos pais de protegerem Alex.

A jovem nasceu com os órgãos genitais masculinos, mas o restante dos seus traços/características físicas aproximam-na de um estereótipo feminino. O próprio nome da criança foi escolhido pelos pais de modo a deixar seu gênero ambíguo. Eles também tomam essa decisão por não saberem de que forma a criança iria se identificar posteriormente.

Publicidade

Os conflitos de identidade parecem estar sob controle durante toda a sua infância. Somente ao chegar na adolescência, Alex parece precisar se haver com isso (e seus pais também). Isso porque ela se apaixona por um rapaz e, então, começa a buscar sua própria identidade.

A trama mostra não somente o conflito da jovem, mas também as angústias dos pais e a relação familiar.

Contra a corrente (2009)

capa do filme contra a corrente, que fala de sexualidade

Crédito: Sony

Esse é um drama norte-americano que se passa em uma cidadezinha paradisíaca do Peru.

Miguel é um jovem pescador, casado com Mariela e que está a espera do seu primeiro filho. Tudo parece normal em sua vida e nada poderia mexer em sua rotina, até que ele conhece um artista plástico que o tira dos trilhos. Miguel se apaixona por Santiago e inicia um caso extraconjugal com ele.

O protagonista sustenta uma vida dupla, entretanto, logo as contradições e o peso dessa escolha começam a aparecer. A trama apresenta a jornada de Miguel e a sua busca pela autoaceitação.

Publicidade

Além de tratar dos preconceitos da sociedade, essa história ajuda a trazer luz para o sofrimento que o jovem pode passar ao “se descobrir”, sendo algo que ele próprio discriminava.

Veja mais dicas de filmes que vão te ajudar a entender o mundo dos adolescentes.

Tomboy (2012)

cena do filme Tomboy, que fala da sexualidade na adolescencia

Crédito: Pandora Filmes

Frances, Tomboy é um filme que se passa em uma pequena cidade do interior.

Ele conta a história de Laure, criança de 10 anos que muda de residência junto com a família durante as férias. A trama conta a narrativa de protagonista. Inicialmente, parece não haver nada de errado: Laure passa os dias brincando com a irmã e com a família, que está à espera de um novo bebê.

Entretanto, a trama começa a mudar conforme Laure vai se enturmando com as outras crianças do prédio. Isso porque ela não se identifica como uma menina e acaba por se apresentar aos novos amigos como Michael. Essa situação traz uma série de problemáticas para a discussão.

A família de Laure é bastante afetuosa, mas se vê confusa e sem saber como agir nesta situação. Com muitos receios, a trama é certeira ao apresentar os dramas que atravessam a situação para além das descobertas de Laure, mas também sob o ponto de vista familiar.

Azul é a Cor Mais Quente (2013)

cenas do filme Azul é a cor mais quente

Crédito: IMOVISION

Obrigatório para quem quer entender melhor a experiência da adolescência, Azul é a Cor Mais Quente é sensível ao trabalhar as angústias dos jovens e as descobertas sobre sexualidade e relacionamentos dessa etapa.

A trama acompanha a história de Adele, uma jovem de 15 anos que está no auge de sua adolescência. Adele está descobrindo seus desejos e sentimentos. A protagonista se sente atraída por outra moça com os cabelos azuis que viu na rua. Depois disso, ela passa a fantasiar com a desconhecida. Essa confusão de sentimentos gera angústia na jovem.

Adele acaba por conhecer e por se relacionar com Emma, a jovem dos cabelos azuis. O filme conta sobre a força do amor e sobre o papel da descoberta da sexualidade na adolescência. Mostrando as incertezas, as dificuldades, a confusão e as maravilhas desta etapa, Azul é a Cor Mais Quente entrega questões preciosas para quem quer entender melhor os adolescentes de casa.

Conheça algumas dicas para cuidar da pele da sua filha adolescente.

Capa do filme Clube de Compra Dallas

Crédito: UNIVERSAL PICTURES

Inspirado em uma história real, esse filme estadunidense narra a história de Ron, um texano que trabalha como eletricista, é declaradamente homofóbico e leva uma vida sem muitas regras.

Ron vive na década de 1980 e leva uma vida sem muitas bordas: bebe muito, consome e trafica drogas líticas e ilícitas e tem relações sexuais com diversas parceiras.

Ron precisa fazer um exame de sangue devido ao trabalho e acaba por descobrir que é portador do vírus HIV/AIDS. A trama mostra como Ron sofre ao precisar abrir mão de seu papel construído desde jovem de “machão” ao se aliar a um amigo travesti. O protagonista luta contra a indústria farmacêutica norte-americana para ter direito a investigar tratamentos alternativos para o diagnóstico.

A trama mostra os perigos de uma vida pautada exclusivamente no prazer e os desafios que Ron, homofóbico convicto, precisará enfrentar para garantir uma vida melhor. O filme mostra a relação do protagonista não somente com seu amigo travesti, mas também com outras pessoas infectadas pelo vírus, sendo muitos deles homossexuais.

Love (2015)

Cena do filme Love

Crédito: IMOVISION

Love é um filme belga e francês que não poupa em cenas mais picantes – fica aqui a dica para as mães que podem não se sentir confortáveis com cenas mais cruas de sexo.

Alguns críticos acreditam que esse filme deveria ser obrigatório para quem se propõe a entender o universo da adolescência e da juventude, mas isso não quer dizer que a tarefa de o assistir será fácil.

Noé, diretor, afirma que Love é uma história de amor contada sob o ponto de vista da relação sexual. Um dos objetivos do filme foi mostrar os impactos de uma relação afetiva no sexo – e vice-versa.

A trama acompanha Murphy, um jovem estudante que precisa romper seu namoro com Electra por ter engravidado outra moça. Desagradado na nova relação, com Omi, Murphy é contatado pela ex-sogra. A partir disso o filme apresenta uma série de flashbacks não-lineares que vão e voltam no tempo e que vão contando a relação com as duas jovens e mesmo a relação entre elas.

Este é o único filme da lista que não prende os personagens em relações heterossexuais ou homossexuais, mas que orbitam entre outras possibilidades. O trisal (relacionamento com três pessoas) é um assunto cada vez mais comum, e cada vez mais famílias estão precisando se haver com essa nova forma de se relacionar dos jovens.

Veja aqui algumas dicas de como trabalhar em família as emoções.

Filme Moonlight - Sob a luz do luar

Crédito: Diamond Films