O sétimo mês de gestação é um momento muito especial para a futura mamãe e para toda a família. Isso porque é com ele que você ingressa no tão esperado terceiro trimestre da gestação. Ou seja, você finalmente chegou na reta final da gravidez. Quanta emoção, não é mesmo?

É normal que neste momento a ansiedade venha com todas as forças. Afinal, o que esperar dos momentos que se aproximam?

Ilustração de gestante apoiando a mão na barriga

Crédito: Freepik

No sétimo mês de gravidez o seu bebê já está bem maiorzinho (e beeem mais espertinho também!), mas isso não significa que você pode se descuidar. Pelo contrário, é fundamental que você se mantenha atenta aos detalhes, para garantir que o pequenino nasça com saúde.

Além disso, é importante que você comece a pesquisar sobre o momento do parto, caso não tenha feito isso ainda.

Leia neste artigo um resumo completo de tudo que ocorre (com você e com o seu pequeno) no sétimo mês de gravidez. Boa leitura!

Sintomas do sétimo mês de gravidez

Gestante no sétimo mês segurando a barriga com as mãos e olhando pela janela

Crédito: Freepik

É super normal que a partir do sétimo mês de gestação (ou seja, com a entrada do terceiro trimestre) você sinta com muito mais intensidade os efeitos do seu barrigão e o progresso da gravidez. Isso acontece porque nesta fase o seu bebê já está muito mais desenvolvido e a proximidade do momento do parto tem efeitos sobre seu corpo.

Veja aqui os principais sintomas que ocorrem no sétimo mês de gestação:

Aproveite esta reta final da gravidez e leia sobre o Carrinho Smartbe, o carrinho de bebê inteligente.

Estrias

Mulher grávida colocando creme na barriga

Crédito: Freepik

É normal o aparecimento de estrias na barriga, peitos, coxas e nádegas desde o quarto mês de gravidez, mais ou menos. Entretanto, neste período final da gestação elas costumam aparecer com maior intensidade. Isso acontece com maior frequência aqui porque é a partir do sétimo mês de gravidez que você vai sentir sua barriga crescendo significativamente a cada dia.

Em muitos casos, as estrias se apresentam como linhas rosadas ou avermelhadas na pele. Mas é normal que depois do nascimento vão desbotando (apesar do processo de desaparecimento pode levar muito mais tempo do que o desejado pelas novas mamães).

Uma forma de reduzir os impactos estéticos das estrias é manter uma dieta saudável (e de acordo com a recomendação médica), e também avaliar periodicamente o ganho de peso (para garantir que ele seja gradual). Além disso, praticar exercícios físicos leves (sempre sob orientação médica!) e hidratar a pele com cremes também ajuda muito na redução dos danos causados pelas estrias.

Coceiras

Mulher com coceira nas costas

Crédito: Freepik

Assim como no caso das estrias, a coceira também é efeito do esticamento da pele. Isso acontece porque conforme a pele estica, ela fica mais fina e, consequentemente, mais sensível.

Uma boa forma de reduzir os impactos da coceira no sétimo mês de gravidez é usar óleos ricos de vitamina E ou hidratantes suaves.

Além disso, você também pode tomar banho com água morna. Evite banhos muito quentes, porque a águe excessivamente quente tem efeito de ressecamento sobre a pele. Ou seja, além de piorar o quadro de coceira, ela também pode agravar o surgimento de estrias e deixar a pele quebradiça.

Leia também algumas dicas de como ajudar o seu futuro bebê a desenvolver a fala de forma saudável.

Efeitos do barrigão sobre o corpo

Grávida com expressão facial de surpresa

Crédito: Freepik

Você sabia que é a partir do sétimo mês de gravidez que o espaço no seu útero começa a ficar apertadinho para o baby?

Isso acontece porque é nesta fase da gestação que o filhote já está praticamente pronto para vir ao mundo. Ou seja, ele já está bem maior.

Evidentemente que este aumento no tamanho do bebê faz com que o espaço para os movimentos seja reduzido significativamente. Por isso, não estranhe se você perceber que seu filho está se movimentando muito menos (em comparação com o quinto ou sexto mês de gravidez, por exemplo).

Mas calma: isso não quer dizer que ele vai parar totalmente de se mexer. Seu filho ainda vai te deixar sentir suas movimentações, mas elas tendem a ser menos frequentes (e mais intensas, podendo causar dor).

Além do espaço interno estar diminuindo, é normal que o seu centro gravitacional mude conforme a barriga cresça. Isso quer dizer que o seu senso de equilíbrio pode ter mais dificuldade de te manter em pé. Por isso, é provável que nesta fase você perceba que está mudando seu jeito de caminhar.

Insônia e mudanças na rotina de sono

Grávida no sétimo mês deitada na cama sem conseguir dormir

Crédito: Freepik

A insônia é um dos sintomas mais comuns entre o segundo e terceiro trimestre de gravidez e, por esse motivo, ela acompanha o sétimo mês de gestação. Isso acontece porque a insônia é uma espécie de mistura de todos os outros sintomas:

  • O aumento da barriga, que dificulta as posições para dormir
  • A frequência de micção, que aumenta a quantidade de vezes que a mulher precisa levantar para ir ao banheiro de noite
  • As dores no corpo e nas costas, que deixam a gestante desconfortável para relaxar na cama
  • Os medos e inseguranças, que fazem com que a cérebro da mulher não consiga “se desligar”

Todos estes sintomas influenciam significativamente na saúde do sono, de modo que é normal que a insônia se faça presente em quase todas as gestações.

Entretanto, o lado positivo é que há alguns cuidados que podem ajudar a mulher a retomar uma rotina de sono mais ou menos equilibrada. Por exemplo:

Veja também algumas estratégias de como estimular o bom comportamento nas crianças.

Equilíbrio emocional: Medos, ansiedades e angústias

Grávida segurando a barriga com expressão nervosa

Crédito: Freepik

A dificuldade de se manter emocionalmente equilibrada na gestação é normal. Este não é um sintoma apenas do sétimo mês, mas de toda a gravidez.

Isso costuma acontecer porque os hormônios da mulher estão em uma verdadeira montanha russa. Entretanto, para além do desequilibro hormonal, a perspectiva de se tornar mãe mexe com qualquer mulher: são muitas responsabilidades e muitas mudanças em um intervalo muito pequeno de tempo.

Imagine todo o seu corpo e sua vida mudarem em poucos meses: Como não pirar de vez em quando?

Todas as mudanças que ocorrem com as mulheres nesse momento fazem com que hajam momentos em que tudo que precisamos é sentar e chorar. E… Tudo bem: Isso é normal, e isso passa.

Tantas mudanças podem afetar drasticamente a autoestima e a autoimagem das futuras mamães, o que pode prejudicar a sua saúde emocional.

Uma boa forma de tentar contornar essas situações é distrair a mente. Por exemplo:

  • Planeje o chá de bebê
  • Compre produtos para o enxoval
  • Converse com pessoas queridas, como seus amigos, familiares e companheiro (preferencialmente, compartilhe dos seus medos)
  • Tire suas dúvidas com outras mães, que já tenham passado por uma gravidez e possam te acolher

Caso você sinta necessidade, é muito comum que algumas mulheres iniciem tratamentos psicológicos ao longo da gravidez. Este cuidado consigo mesma costuma auxiliar não somente na manutenção da sua saúde emocional, mas também no desenvolvimento do vínculo entre mãe e bebê e na superação dos conflitos e das inseguranças após o nascimento.

Barriga da grávida no sétimo mês de gestação

Grávida no sétimo mês com marido abraçando a barriga

Crédito: Freepik

Com a proximidade do momento do parto, o bebê tende a “descer” para o pubis. É conforme o momento do nascimento vai se aproximando que o bebê vai se colocando na posição de cabeça para baixo (para a sua saída do útero e chegada ao mundo externo).

Por isso, é normal que a partir do sétimo mês (com a aproximação deste momento) a futura mamãe perceba que a sua barriga está endurecendo. Ou seja, não há motivos para ficar nervosa, caso você venha sentindo que ela está mais rígida do que há poucas semanas (ou mesmo dias) atrás.

Aproveite e leia sobre as melhores brincadeiras para fazer com crianças nas férias.

O que a mulher pode fazer no sétimo mês de gravidez (e o que evitar)?

Mulher gravida no sétimo mês olhando pela janela e sentada no chão

Crédito: Freepik

  • Descanse: Aproveite para descansar o máximo possível, porque logo mais você estará com um bebê recém nascido que demandará toda a sua energia.
  • Leia sobre parto prematuro: É normal ter medo de um parto prematuro, assim como também é normal confundir as contrações do parto com as contrações de treinamento. Por isso, leia sobre o parto prematuro e se informe sobre o assunto.
  • Cuide do seu estado emocional: É normal sentir que você perdeu o controle de sua vida (e do seu corpo) no sétimo mês de gravidez. Por isso, cuide de você conversando com pessoas queridas, fazendo atividades que te tragam satisfação ou procurando um profissional para terapia, caso você sinta necessidade (ou desejo).
  • Escolha o nome do seu filhote: Caso ainda não tenha definido, leia sobre os nomes de bebês e escolha como seu filhotinho vai ser nomeado.

Além destes cuidados básicos consigo mesma (e com o bebê), também é super importante que no sétimo mês de gravidez as mulheres com Rh negativo (tipo sanguíneo negativo, como A-, B- ou O-, por exemplo) recebam uma injeção específica.

Esta injeção é de imunoglobulina Rh e previne a eritroblastose fetal. Este é um cuidado fundamental para o caso do seu bebê ter tipo sanguíneo positivo.

Alimentação no sétimo mês de gravidez

Grávida no sétimo mês comendo sentada no sofá

Crédito: Freepik

É sempre importante lembrar que a mulher precisa seguir o máximo possível a recomendação alimentar do médico obstetra ou do nutricionista de sua preferência. Isso porque somente estes profissionais conseguirão fazer orientações pautadas no seu quadro específico.

Entretanto, existem algumas recomendações gerais que diversos estudos e mesmo a Organização Mundial da Saúde (OMS) utilizam quando se trata de alimentação de gestantes.

Veja aqui as principais orientações para você, que está no sétimo mês de gravidez.

O que ingerir?

Bife suíno com feijão verde e cenouras em panela de ferro

Crédito: Freepik

Um dos elementos mais importantes na dieta das grávidas é o ferro. Isso porque os alimentos ricos em ferro vão ajudar o sistema digestivo da mulher e vão também prevenir problemas com câimbras. Ou seja, fazer refeições ricas neste nutriente vai ajudar (e muito) a reduzir alguns dos sintomas do sétimo mês mais chatinhos.

Alguns alimentos ricos em ferro e que são super indicados para mulheres gestantes são, por exemplo:

Além do ferro, o cálcio também é fundamental para as mulheres que estão gestando. Você sabia, por exemplo, que durante a gravidez a demanda por cálcio aumenta em cerca de 50%?

Isso acontece porque o bebê demanda muito, mas muito cálcio no seu processo de desenvolvimento. Ou seja, boa parte do cálcio que a mulher consome não vai para ela, mas para o feto. O que significa que, caso a mulher não aumente seu consumo de cálcio, é muito possível que ela venha a sofrer de osteoporose materna.

Alguns  alimentos ricos em cálcio que você pode incluir na dieta são:

  • Agrião
  • Alface
  • Salsa
  • Brócolis
  • Aveia
  • Batata-doce
  • Milho
  • Couve
  • Cebola

Aproveite que o grande momento está chegando e veja estas dicas imbatíveis para montar a bolsa de maternidade perfeita.

O que evitar na alimentação?

Xícara de café com espuma em mesa de madeira

Crédito: Freepik

É expressamente desaconselhável que a gestante consuma alimentos com cafeína, álcool ou nicotina durante a gestação (e isso não é novidade). Mas conforme a gestação vai chegando ao fim, a recomendação vai também se tornando mais e mais importante.

Nesta fase final é essencial que a gestante deixe estes hábitos, ao menos temporariamente.

Isso é particularmente importante neste momento porque o consumo de alimentos com cafeína e o consumo de bebidas com álcool estão associados a maiores chances de ocorrer um parto prematuro, de acordo com diversos estudos. Isso parece acontecer devido a aceleração do metabolismo causada por estas substâncias.

O cigarro e a nicotina também são considerados os “grandes vilões” da gravidez porque eles interferem diretamente na saúde do bebê. Inclusive, você sabia que existem estudos que associam a qualidade do leite materno ao consumo (ou não consumo) de cigarro pelas mulheres?

Portanto, tente passar o mais longe possível de:

Substituições alimentares

Vidro de azeite ao lado de um buquê de azeitonas cruas

Crédito: Freepik

Infelizmente, nós sabemos que abrir mão de algumas delícias e de alguns hábitos nem sempre é fácil, principalmente quando falamos de um período tão prolongado quanto os nove meses de gravidez e mais os dois anos de aleitamento. Por isso, muitas vezes é inviável seguir a risca todas as proibições alimentares.

Entretanto, isto não quer dizer que não existem algumas mudanças menos radicais que não possam ser feitas, não é mesmo?

Veja aqui algumas substituições que você pode tentar fazer para ter uma alimentação mais saudável (e menos radical):

  • Sal: Substitua o sal pelo vinagre balsâmico em saladas. Ele é menos calórico e ajuda na digestão e no combate aos radicais livres
  • Frituras: Evite ao máximo. Quando isso não puder ser feito, substitua o óleo normal por azeite de oliva extravirgem. Ele previne a arteriosclerose e melhora o funcionamento digestivo e do pâncreas, além de também acelerar o metabolismo e facilitar a absorção do cálcio (lembra da importância do cálcio, né?)

Veja aqui também as melhores formas de educar o seu filho, de acordo com especialistas.

Exames que devem ser realizados no sétimo mês de gravidez

Estetoscópio sobre fundo azul

Crédito: Freepik

No sétimo mês de gestação a futura mamãe já deve estar acostumada com as consultas médicas e com os inúmeros exames. Mas talvez você não tenha claro quais são os exames mais importantes desta fase específica da gravidez.

Por isso, veja aqui quais os principais exames que você provavelmente será submetida ao longo deste mês.

Ultrassom dopplerfluxometria

Basicamente, avalia o desenvolvimento do feto.

Este ultrassom consegue verificar quais os nutrientes que estão sendo enviados ao bebê através do cordão umbilical. Ou seja, é um exame fundamental para garantir que a dieta prescrita pelo médico está sendo suficiente para manter o desenvolvimento saudável do bebê.

Apesar de não ser obrigatório, é possível que você seja submetida a este exame mensalmente (caso seu médico ache necessário).

Pressão arterial

Gestante no sétimo mês medindo pressão em consulta médica

Crédito: Freepik

A pressão também é um exame essencial ao longo de toda a gestação e, por isso, certamente estará incluído na consulta médica do sétimo mês.

É normal que a pressão seja medida da primeira até a última consulta. O acompanhamento da pressão da mulher é tão importante porque é através dele que o médico consegue evitar a pré-eclâmpsia. A pré-eclâmpsia é uma doença muito comum na gestação e que coloca seriamente em risco a saúde do bebê.

Portanto, se acostume com este exame, ok?

Desenvolvimento do bebê no sétimo mês de gestação

Ilustração de bebê no útero de mulher grávida

Crédito: Freepik

No sétimo mês o bebê já não dorme tanto, passando a maior parte do dia acordadinho dentro do seu útero. Apesar disso, é normal que você sinta bem menos movimentações. Isso acontece porque ele já está grande e, portanto, não há tanto espaço disponível para ele se mexer.

Nesta etapa o corpo do bebê cresce bem mais que sua cabeça. Por isso, ele vai desenvolvendo o desenho de um ser humano mais proporcional. Lembra que até pouquíssimo tempo você via ele com um cabeção e um corpinho? Então, agora isto está mudando.

Apesar de não ser uma regra, é provável que seu filhotinho termine o sétimo mês de gravidez com 2 quilos (ou um pouco mais) e com cerca de 40-43cm de comprimento. Ou seja, ele já deverá ter peso e tamanho de um repolho grande.

Prepare-se para ocupar o papel de mamãe e veja aqui algumas dicas para não se tornar uma mãe superprotetora.

Posição e ossificação do bebê

Silhueta de mulher grávida com bebê no útero

Crédito: Freepik

É no sétimo mês de gravidez que o bebê “desce” e que ele se posiciona na conhecida posição cefálica. Ou seja, é aqui que ele vai aos poucos se preparando para o momento de sua saída do útero.

Esse deslocamento do bebê pode ter como efeito uma pressão muito maior na bexiga da mulher. Por isso, é super comum que nesta fase a vontade de ir ao banheiro aumente significativamente.

Entretanto, o mesmo deslocamento também costuma ter como efeito a redução na pressão sobre os pulmões. Então, aqui nesta etapa talvez você sinta que está com mais facilidade para respirar.

É neste momento da gestação também que o desenvolvimento dos ossos do bebê dá um salto. Isso porque é no sétimo mês que seus ossinhos vão ficando mais rígidos (e fortes). Quer dizer, seus ossos com exceção do crânio. Isso porque os ossos da cabeça do bebê continuam flexíveis para facilitar o momento do parto.

É justamente devido a este retardamento natural do rigidez dos ossos do crânio que muitos bebês nascem com a cabeça no formato de cones. Mas fique tranquila: isso é super normal e a cabecinha do seu filhote vai voltar ao normal em pouquíssimo tempo (dentro de alguns dias, de modo geral).

Gordura corporal

Ilustração de bebê dentro de um coração

Crédito: Freepik

É super normal que do sétimo mês em diante o crescimento do seu bebê fique bem mais lento.

Isso costuma acontecer porque nesta fase final o pequenino precisa focar toda a sua energia no ganho de peso e de gordura corporal. Portanto, espere vê-lo cada vez mais pesado nas próximas semanas.

Isso acontece porque é este ganho de peso e de gordura que vai o proteger no momento da transição de saída do útero para o mundo externo (principalmente no que tange a diferença de temperatura, que é bastante significativa para um bebê do seu tamanho).

Portanto, neste sétimo mês de gestação o bebê tende a engordar bastante (e todos os dias!).

Neste momento o seu bebê está quase pronto para vir ao mundo. Isso significa que se, por ventura, um nascimento prematuro acontecer, ele têm boas chances de sobreviver (tendo suporte dos equipamentos hospitalares adequados, é claro). Aproveite e leia aqui sobre os efeitos emocionais para a família que teve um bebê prematuro.

Outras informações sobre o desenvolvimento do bebê no sétimo mês de gravidez

Ilustração de bebê no sétimo mês de gestação no útero

Crédito: Freepik

As mãos e os olhos do bebê no sétimo mês de gestação já estão bem desenvolvidos. Por isso, nesta fase o pequenino já consegue abrir e fechar de acordo com a sua vontade.

A pele do bebê é super rosada neste momento. Isso acontece porque está em desenvolvimento a formação dos capilares sanguíneos.

Além disso, o cérebro e as terminações nervosas do bebê já estão relativamente desenvolvidos. Por isso, o seu sistema imunológico está avançando. Ah, e ele também já consegue ter sensações táteis, além de ter sua audição mais aguçada e sua percepção da luz e da escuridão.

Nesta etapa o bebê costuma adorar ouvir sons, então se lembre de cantar para ele, conversar com ele e colocar músicas agradáveis durante o dia.

No sétimo mês o seu filhotinho já conseguiu abrir as narinas e os seus pulmões já estão suficientemente desenvolvidos. Por isso, ele já está conseguindo respirar pelo nariz e ter seu sistema respiratório em funcionamento perfeito (o que é particularmente importante entre mulheres que correm risco de terem um parto prematuro).

Se ele for um menininho, é nesta fase que ele vai ter seus testículos descendo.

Além disso, é aqui no sétimo mês que o baby vai começar a distinguir os sabores amargos e doces. A distinção ocorre de acordo com a alimentação da futura mamãe.

O que achou deste resumo completo do sétimo mês de gravidez? A sua experiência está sendo diferente? Então escreva um comentário e compartilhe sua vivência conosco.