O oitavo mês finalmente chegou (e a ansiedade está aumentando a cada dia, não é mesmo?). Com ele, é normal que os desconfortos pelo peso adicional da barriga e os receios pela proximidade com o momento do parto se intensifiquem.

Você sabia que somente 5% dos bebês passam pelo nascimento exatamente na data que havia sido prevista? A maior parte dos bebês nasce entre a semana de número 38 e de número 42. Ou seja, conforme o oitavo mês vai avançando, corre-se o risco de você entrar em trabalho de parto a qualquer momento.

Claro que este momento vai te trazer uma montanha de emoções, não é mesmo?

Mas acalme-se e leia neste resumo completo do oitavo mês de gravidez os principais sintomas e tudo que você pode (e não pode) fazer. Boa leitura!

Publicidade

Sintomas do oitavo mês de gravidez

Gestante no oitavo mês de gravidez de lado segurando a barriga

Crédito: Freepik

No oitavo mês de gestação é normal que a gestante permaneça com alguns sintomas recorrentes da gravidez (e do terceiro trimestre), além de também enfrentar novos sintomas.

Veja aqui a lista com os principais sintomas desta etapa da gravidez:

Entretanto, não são somente as mudanças físicas que se apresentam com força nesta reta final da gravidez.

Veja também quais mudanças acontecem no equilíbrio emocional da futura mamãe no oitavo mês de gestação.

Emoções no oitavo mês de gestação

Coração de tecido em tapete felpudo branco com luzes de led no fundo

Crédito: Freepik

Publicidade

É super normal que nas fases finais da gestação não seja somente as mudanças no corpo que a aflijam. Isso porque provavelmente as suas emoções também estão super sensíveis, o que provavelmente está te fazendo se sentir bem mais sentimental que o normal, não é mesmo?

É normal sentir medo, angústia e receio sobre o futuro: o parto, a chegada do bebê, a mudança na rotina, as novas responsabilidades e tudo mais.

Além disso, o crescimento da barriga também costuma ser motivo para as pessoas começarem a dar tudo que é tipo de conselhos (mesmo quando você não pediu e tampouco está interessada!).

Esta sobrecarga afetiva pode mexer (e muito) com o seu estado mental, e com o seu equilíbrio emocional. Por isso, tente ficar tranquila: é normal que você esteja se sentindo irritada, nervosa, ansiosa, sobrecarregada ou impaciente (e você não está sozinha).

Lembre-se sempre que nesta fase o seu bebê está praticamente pronto para te conhecer (e isso vai acontecer em breve, falta tão pouquinho agora!).

Aproveite e leia também sobre os efeitos emocionais de um nascimento prematuro na família.

Publicidade

Como lidar com esta montanha-russa de sentimentos?

Ilustrações de corações

Crédito: Freepik

É muito importante que você se dê o direito de sentir todo esse turbilhão de emoções. Isso porque somente quando você aceitar que estes sentimentos são legítimos e que está tudo bem você passar por eles que você conseguirá, em alguma medida, os contornar.

Uma forma super adequada de trabalhar todos estes sentimentos é compartilhar eles com pessoas que possam os entender. Muitas vezes é difícil falar sobre isso com o parceiro ou com a mãe. Isso porque o seu parceiro não tem nenhuma ideia do que é estar gestando uma nova vida (e ver a sua de cabeça para baixo) e porque a mãe passou por isso há tanto tempo, em outra época, que talvez ela não consiga acolher os teus sentimentos.

Claro que isto não é uma regra: é super possível que você encontre nessas figuras todo o apoio que você necessita. Entretanto, caso você sinta que eles não estão conseguindo te ouvir, talvez seja importante buscar por outras pessoas, como mulheres que estão passando também pela gestação neste momento ou que passaram recentemente (talvez os grupos de pré-natal possa te ajudar neste sentido).

Procurar por grupos de gestantes ou de mães pode ser uma oportunidade incrível para você fazer novas amigas e para ver que existem outras pessoas no mundo que também estão emotivas, se sentindo preocupadíssimas e com medo do futuro.

Além disso tudo, sempre existe a possibilidade de você procurar suporte profissional para lidar com as emoções. Existem hoje psicólogas especialistas em perinatalidade que fazem acompanhamento terapêutico em gestantes e em novas mamães.

Independente da estratégia que você escolha, o importante é que conseguia arranjar espaços (e pessoas) que te deem o direito de sentir tudo que você está sentindo. E lembre-se: você não está só.

Leia mais sobre estes sentimentos aqui.

A chegada do colostro

Gestante segurando flor amarela na barriga

Crédito: Freepik

No oitavo mês da gravidez é normal que os seus seios estejam já há algum tempo doloridos e inchados. A novidade é que normalmente é nesta fase da gravidez que ele começa a expelir dos bicos um líquido amarelado.

Este líquido se chama colostro e ele é uma excelente notícia. Isso porque com a chegada do colostro quer dizer que os seus seios estão prontos para começar a produzir leite materno. É sempre importante lembrar que o colostro não é o leite, mas sim, o indicativo que o leite vai chegar em breve.

O líquido tende a se acumular no entorno dos mamilos, o que pode ser bem desconfortável para algumas mulheres. Por isso, é fundamental que os seios recebam higienização adequada com óleos específicos.

Além dos óleos para os seios, você também pode passar cremes hidratantes na barriga e nas coxas, para reduzir o impacto do estriamento da pele. Veja aqui uma lista com alguns dos melhores hidratantes sem cheiros, para as mulheres que ainda tem algum nível de enjoo no oitavo mês de gravidez.

O que a mulher pode fazer no oitavo mês de gravidez (e o que evitar)?

Gestante no oitavo mês de gravidez segurando a barriga com as mãos

Crédito: Freepik

Com a chegada do oitavo mês de gestação, é muito importante que alguns cuidados extras sejam tomados. Veja a lista das coisas mais importantes que você precisa estar atenta neste momento.

Preparação para o parto

Caso você ainda não esteja fazendo isso, já está na hora de ler e de se informar sobre os sinais do trabalho de parto.

Provavelmente aqui você já está acostumada com as contrações de treinamento, mas é fundamental que você consiga ter clareza sobre a diferença dela para as contrações de parto.

Algumas dicas para verificar são: a regularidade e o intervalo entre as contrações. É normal que quando for o momento do parto, você vá sentir dores na região lombar, cólicas ou pressão na área pélvica. Também é possível que sua bolsa estoure e que você perceba sangue na secreção vaginal, que é a conhecida eliminação do “tampão” mucoso.

Pesquise sobre o trabalho de parto, sobre o parto e sobre os sinais de parto prematuro. Uma excelente forma de fazer isso é perguntando diretamente ao médico sobre o assunto e procurando material na Internet em sites seguros.

Plano de parto

Caderno aberto e caneta em mesa

Crédito: Freepik

O ideal é que o plano de parto já esteja sendo elaborado nesta altura. Agora, no oitavo mês de gravidez, é importante que você o finalize e garanta que terá cópias impressas suficientes para a equipe médica, seu acompanhante e a doula (caso você tenha uma).

O plano de parto pode ser produzido em conjunto por você e seu médico obstetra nas consultas de pré-natal ou por você e a doula, caso tenha contratado uma. Neste documento haverá todas as suas preferências para as mais diversas situações, desde posições para o parto até estratégias para alívio de dor e primeiro contato com o bebê.

Infelizmente, boa parte dos médicos obstetras ainda não tratam a mulher como protagonista deste momento, sendo muitas vezes difícil para a gestante construir o documento com ele. Nestes casos, você pode ser acompanhada também por uma doula ou pode pesquisar sobre o assunto e tentar elaborar o planejamento sozinha, apesar desta última alternativa ser mais complicada.

Lembre-se de ter cópias impressas do seu plano na mala de maternidade, para garantir que você não deixará este documento para trás na corrida pro hospital.

Aproveite e leia aqui sobre a doula: veja de que forma essa profissional maravilhosa pode te ajudar em um dos momentos mais importantes da sua vida.

Bolsa de maternidade

Bolsa de maternidade aberta com roupinhas de bebê, mamadeira e fraldas

Crédito: Freepik

Além de pesquisar sobre os sinais de trabalho de parto e concluir o plano de parto, também é fundamental que você deixe a sua mala de maternidade pronta.

Algumas futuras mamães começam a pesquisar sobre o assunto lá pelo sexto mês e até o final do sétimo mês estão com ela prontinha. Mas se você ainda não fez, não tem problema. O que não dá é para postergar mais, tudo bem?

Então leia sobre a elaboração da mala de maternidade e faça a sua. Lembre-se também de a deixar bem pertinho da porta de saída da casa.

De modo geral, nesta bolsa você precisará colocar todos os itens que você, seu acompanhante e o bebê precisarão não somente no momento do parto e durante a estadia no hospital, mas também no momento de saída de lá e regresso para casa. Por isso, é importante que você faça uma lista completa antes de “colocar tudo pra dentro”, porque assim você pode fazer um check list no final (e garantir que não está faltando nada).

Conheça o hospital e a maternidade

Recepção de hospital

Crédito: Freepik

Faça uma (ou mais) viagem(ns) ao hospital. Conheça o caminho, os melhores trajetos e rotas alternativas (principalmente para os horários e maior trânsito). Aproveite estes conhecimentos sobre o caminho para planejar como você fará para chegar na maternidade no grande momento.

Converse com a equipe do hospital e verifique se é possível também conhecer a ala de maternidade do local. Isso também pode ser muito importante, porque assim você já conseguirá ter uma noção de onde especificamente deverá ir quando chegar o momento do nascimento.

Além disso, conhecer a maternidade pode reduzir a sua ansiedade também. Isso porque o lugar vai deixar o campo do imaginário e vai se tornar concreto, o que ajuda a não fantasiar demais.

Outra dica muito importante associada ao hospital e à maternidade é ter os telefones e o endereço do local salvo no celular, escrito em bilhete na geladeira da cozinha, escrito em um caderninho na mala da maternidade e onde mais você achar prudente. Evite ao máximo precisar pegar este tipo de informação básica no último segundo, entre uma contração e outra.

Aproveite e leia também sobre a maternidade não-romantizada.

Ajustes finais

Quarto de bebê em construção

Crédito: Freepik

Aproveite o oitavo mês de gestação para fazer os ajustes finais no ambiente. Por exemplo:

  • Instale a cadeirinha de bebê no carro, caso ela ainda não tenha sido instalada
  • Termine de instalar as medidas de segurança na casa, como portões em escadas e trancas nas portas
  • Dê os toques finais no quartinho do bebê

Além destes ajustes finais, você também pode aproveitar esta fase para descansar (e muito). Lembre-se que se sentir relaxada é muito importante neste momento. Por isso, aproveite para descansar e tente deixar sua agenda livre.

Atividades e exercícios saudáveis

Grávida no oitavo mês de gestação fazendo caminhada e tomando garrafinha de água

Crédito: Freepik

Existem algumas atividades simples que podem ser adotadas pelas futuras mamães nesta reta final da gravidez. Por exemplo:

  • Exercícios de Kegel e de respiração
  • Manter-se hidratada
  • Exercitar práticas de boa postura
  • Tomar banhos mornos (e de banheira, quando for possível) de 10 minutos ao menos 3 vezes ao dia
  • Praticar exercícios físicos leves, como caminhadas curtas

Estas atividades te ajudarão a se sentir mais confortável no oitavo mês de gravidez, além de também auxiliar na redução da ansiedade.

Apesar destas dicas, lembre-se que é fundamental questionar o médico sobre o assunto e seguir as suas recomendações.

Leia aqui sobre atividades físicas que são super indicadas na gravidez.

Pré-Natal

Grávida no oitavo mês de gestação em consulta médica

Crédito: Freepik

É muito recomendado que entre a metade do sétimo mês e o início do oitavo mês de gestação a mulher aumente a frequência das consultas de pré-natal.

Este cuidado é especialmente importante porque neste acompanhamento o profissional conseguirá acompanhar o desenvolvimento final do bebê e avaliar o risco de um trabalho de parto prematuro.

Além disso, o acompanhamento mais próximo também ajudará o médico a diagnosticar precocemente possíveis problemas de saúde materna, por exemplo: pré-eclâmpsias e hemorroidas.

Por isso, peça para fazer mais consultas com o médico, caso ele não solicite. Lembre-se que você está na reta final e nenhum cuidado é demais.

Pré-eclâmpsia e Eclâmpsia no oitavo mês de gravidez

Gestante no oitavo mês de gravidez em consulta médica

Crédito: Freepik

A pré-eclâmpsia é o nome dado à hipertensão arterial que acontece no período da gravidez. Este é um sintoma muito comum de gestação, principalmente no terceiro trimestre. Por isso, é muito comum que entre o sétimo e oitavo mês de gravidez a mulher venha a sofrer deste problema.

A eclâmpsia, por sua vez, é a forma grave desta doença. Ela coloca em risco tanto a vida da mulher quanto a vida do bebê. Infelizmente, é super comum que mulheres com pré-eclâmpsia que não são tratadas adequadamente tenha seu quadro agravado, chegando a níveis mais sérios da patologia e, por isso, desenvolvam a eclâmpsia.

Por isso, é fundamentalmente importante que você realmente aumente a frequência de consultas médicas nesta reta final. Lembre-se também de relatar ao profissional possíveis sinais de hipertensão arterial, por exemplo:

Aproveite este momento e leia o relato de uma mãe de gêmeas que precisou passar por parto prematuro devido a este diagnóstico.

Alimentação no oitavo mês de gravidez

Gestante preparando salada

Crédito: Freepik

É comum que com a proximidade do parto e com o crescimento do bebê, as futuras mamães se descuidem da alimentação: afinal, o filhote já está grande e bem desenvolvido, certo? Errado. O bebê ainda está em desenvolvimento no oitavo mês de gravidez, ele ainda tem demandas nutricionais altas e exigentes. Por isso, tome cuidado para não se descuidar, ok?

É super importante que você mantenha na dieta alimentos ricos nos seguintes nutrientes:

  • Vitamina A: Fígado, gema de ovo, peixes, cenoura e manga, por exemplo
  • Vitamina C: Acerola, goiaba, kiwi, morango e pimentão, por exemplo
  • Ácido fólico: Couve, espinafre, abacate, nozes e castanhas, por exemplo
  • Fósforo: Carnes em geral (peixe, suíno, gado), ovo, feijão, ervilha e lentilha, por exemplo
  • Ferro: Carne vermelha, brócolis, espinafre, couve, aveia e tofu, por exemplo
  • Cálcio: Feijão branco, cereais de milho, chia, grão-de-bico e brócolis, por exemplo
  • Fibras: Feijão preto, batata doce, ervilha, grão-de-bico, chia, maçã e pera, por exemplo

Estes cuidados na alimentação não garantem somente o bom desenvolvimento do bebê, mas também ajudam na prevenção das hemorroidas (problema muito comum no final da gestação).

Além destes nutrientes, também é muito importante que a gestante consuma bastante água, para manter o corpo hidratado.

Como prevenir ou controlar as azias?

Ilustração divertida do estômago queimando de azia

Crédito: Freepik

É provável que a esta altura do campeonato as futuras mamães já tenham deixado para trás os enjoos do primeiro trimestre de gravidez. Entretanto, neste momento é normal que as gestantes costumam começar a sofrer de episódios de azia.

A azia no período de gestação pode ser bem incomodo para as mulheres. Por isso, também pode ser uma boa ideia tomar alguns cuidados para evitar ou reduzir o problema.

Evitar

Para tentar prevenir ou reduzir o problema de azia no oitavo mês de gravidez uma boa ideia pode ser evitar o consumo de alguns alimentos. Por exemplo:

  • Café
  • Frutas e outros alimentos ácidos
  • Açúcar em excesso
  • Gordura em excesso
  • Temperos e alimentos picantes

Leia aqui algumas dicas para montar uma dieta vegana saudável na gestação.

Hábito alimentar

Garfo com macarrão, tomate cereja e tempero verde em fundo preto

Crédito: Freepik

Além de dicas sobre o que incluir ou excluir da dieta, também é muito importante que as gestantes lembrem que a forma que você come faz diferença.

Ou seja, além “do quê”, o “como” também é importante para tentar reduzir o problema de azia.

Por exemplo, evite fazer refeições muito grandes (com grandes quantidades de comida no prato) e/ou muito espaçadas. Ou seja, não fique horas e mais horas sem se alimentar.

Mesmo que você não esteja sentindo fome, tente comer alguma coisa a cada três horas, mais ou menos. Uma vez que você vai se estar se alimentando frequentemente, não deve ser difícil fazer com que cada refeição conte com pequenas quantias de comida.

Além disso, também é muito importante que você não tenha pressa e não se sinta ansiosa na hora de comer: mastigue os alimentos com calma. Este pequeno detalhe pode te ajudar (e muito) a evitar problemas de azia.

Durante o episódio

Infelizmente, mesmo tomando todos os cuidados é possível que você venha a se incomodar com a azia neste oitavo mês de gestação. Por isso, uma outra dica importante é beber líquidos gelados quando o episódio ocorrer.

Dê preferência para água gelada porque ela é a melhor alternativa reduzir o desconforto (e ainda te mantém hidratada).

Aproveite e descubra também porque é tão importante incentivar o seu futuro filho a beber água (mesmo nas épocas mais frias do ano).

Desenvolvimento do bebê no oitavo mês de gestação

Ilustração de quatro gestantes apresentando o processo de crescimento do bebê no útero

Crédito: Freepik

No oitavo mês o seu bebê deve estar crescendo cada vez mais. Isso porque é provável que a maior parte dos seus órgãos e funções já estejam totalmente ou quase totalmente desenvolvidos, então o pequeno está focando suas energias no ganho de peso e no crescimento.

No fim do oitavo mês, ele deverá estar medindo mais ou menos 45 centímetros de comprimento e deverá ter 2,5 quilos, em média.

Posição do bebê no oitavo mês de gestação

Neste momento o seu bebê já deve ter “descido” para a pélvis, se posicionando de cabeça para baixo. Isto acontece nesta fase final da gravidez como uma preparação para o parto, que está a cada dia mais perto.

O bebê ainda está crescendo e, por isso, o espaço na barriga vai ficando cada vez mais apertado. Com menos espaço para se mexer, é normal que nesta fase você sinta muito menos movimento. Caso isso esteja acontecendo: fique tranquila, é algo normal. O seu bebê não se movimenta tanto porque ele não tem mais tanto espaço.

Líquido amniótico

Ultrassom do bebê no útero

Crédito: Freepik

O volume do líquido amniótico continua aumentado, de modo que é normal que você vá se sentindo a cada dia mais pesada. Afinal, além do crescimento do bebê, seu corpo estará cheio de mais líquido amniótico.

É provável que você apresente cerca de 700 ml de líquido ao longo do oitavo mês de gravidez, em média.

Além do aumento no volume do líquido amniótico, o bebê também vai ganhando cada vez mais gordura corporal. Por isso, nesta fase a sua pele deve ficar menos enrugada.

Lembre-se que é normal se sentir cansada com este peso extra, então aproveite para descansar sempre que possível.

Paladar

O líquido amniótico não está somente aumentando de volume no oitavo mês de gestação, mas também está ganhando um sabor característico. O gosto dele varia de acordo com a alimentação da mulher.

Devido a este fator, no oitavo mês de gestação o bebê já consegue perceber diferenças sensoriais no paladar ao longo do dia, como doce, azedo e salgado, por exemplo.

Aproveite que estamos falando disso e veja aqui algumas dicas sobre introdução alimentar.

Desenvolvimento do bebê

Gestante com desenho de "82% carregando" na barriga

Crédito: Freepik

Além do aumento regular de massa corporal, no oitavo mês de gestação o bebê também está aprimorando os seus cinco sentidos.

Todos os sistemas (cardiovascular, digestório, endócrino, excretor, muscular, etc) do bebê já estão bem desenvolvidos no oitavo mês de gestação, à exceção do sistema respiratório. Isso porque o sistema respiratório precisa de mais tempo para seu desenvolvimento adequado.

Muito disso se deve a complexidade do sistema, bem como ao atraso no início de seu desenvolvimento, porque para este sistema ser desenvolvido é necessário primeiro o desenvolvimento adequado do diafragma.

Nesta reta final o bebê já consegue tossir e já desenvolveu bem a sua capacidade de sucção, que o ajudará tanto no desenvolvimento do sistema respiratório quanto na amamentação, depois de nascido.

A cabeça e o cérebro do bebê estão crescendo em medidas ao longo do oitavo mês de gravidez, de modo que na segunda metade deste mês o seu filhote já deve estar apresentando um aspecto bem semelhante ao que ele terá no momento do nascimento. Ou seja, nesta fase o pequenino já deve ter um corpo bastante proporcional.

Além disso tudo, é neste período que a íris do seu bebê deixará de parecer opaca, tornando-se semelhante ao de um bebê recém-nascido. E assim como no sétimo mês, no oitavo mês de gravidez a estrutura óssea do bebê segue se fortalecendo (com exceção do crânio, que permanecerá flexível até depois do parto, para facilitar a travessia no nascimento).

Diafragma

Com o avanço do desenvolvimento do diafragma (e do sistema respiratório e nervoso), o bebê certamente vai apresentar soluços. Afinal, ele está aprendendo como isso tudo funciona.

Estes soluços podem ser sentidos pela futura mamãe, que pode até se surpreender em um primeiro momento. É possível que estes soluços sejam um tantinho incômodos para as mulheres, mas eles são muito importantes.

Isso porque quando os soluços chegam quer dizer que o bebê está se desenvolvendo de forma adequada e seus sistemas estão ficando cada vez mais prontinhos para o momento que ele for “sair do forno”.

O que você achou deste resumo do oitavo mês de gravidez? Deixe um comentário e compartilhe sua experiência conosco.