Um estudo recente demonstrou que o leite materno é muito mais do que a refeição mais completa e saudável para o bebê.

De acordo com este achado, o leite produzido pela mãe tem estrutura e composição para ajudar o bebê a desenvolver a saúde circadiana. Isso significa que o pequenino está sendo ajudado, por meio da amamentação, a equilibrar seu ritmo diário com base em ciclos de 24 horas.

A pesquisa foi conduzida por psicólogos da University of Southern California (Estados Unidos) e foi publicada este ano, em 2019. Entenda melhor os resultados deste estudo e de que forma estes achados contribuem para o desenvolvimento do seu bebê. Boa leitura!

O ritmo do bebê ao nascer

Crédito: Freepik

Publicidade

Toda mamãe sabe que o bebê não nasce com o ritmo já adaptado ao ciclo de 24 horas, não é mesmo?

A noção de transição entre os momentos do dia e a diferenciação entre dia e noite é algo que é desenvolvido pelo pequeno após o seu nascimento. As primeiras semanas e os primeiros meses são fundamentais nesse processo. Até então a ciência acreditava que os sinais externos, como a claridade e a escuridão, eram os principais fatores de estabelecimento desse ritmo.

Além disso, existem diferenças de caso para caso. Por exemplo: há bebês que mostram flutuações previsíveis e adequadas à organização do dia. De modo geral isso acontece por causa dos hormônios vinculados ao estado de alerta, ao sono e ao apetite. Esses bebês conseguem dormir toda a noite e sentem fome nos horários das refeições. Entretanto, também há aqueles bebês que parece que nasceram com este equilíbrio virado do avesso, não é mesmo?

Enquanto há mamães que conseguem desfrutar de noites de descanso, há também aquelas que precisam lutar arduamente para darem algum senso de rotina aos bebês. Os resultados deste estudo norte-americano demonstraram que há algo no leite materno que ajuda o recém-nascido a estabelecer o ritmo diário. Com isso, não são somente os aspectos externos (como luz e escuridão, barulho e silêncio, etc) que contribuem para o estabelecimento de sua saúde circadiana.

Os resultados do estudo: O que acontece com o leite materno?

leite materno

Crédito: Freepik

Além de todos os benefícios já conhecidos da amamentação, o estudo estadunidense demonstrou que o leite materno é muito mais versátil do que se imaginava. De acordo com os seus achados, ele também consegue fornecer ao bebê informações muito importantes sobre o momento do dia.

Publicidade

Como essas informações são transmitidas ao bebê?

Simples: através da composição do leite materno.

Os pesquisadores descobriram que a sua composição vai mudando ao longo do dia. Isso quer dizer que o leite produzido pela mulher de manhã não é igual ao leite produzido perto do meio dia, à tarde ou depois de escurecer.

Leite materno diurno

O leite materno produzido pela manhã é mais “energizado”, por exemplo. Isso acontece porque ele conta com até 3 vezes mais cortisol do que o leite produzido durante a noite. O cortisol é o hormônio responsável pelo estado de alerta, o que faz os cientistas entenderem que o leite materno diurno tem uma composição que ajuda o bebê a se manter desperto de dia. Além disso, este mesmo leite diurno também conta com mais aminoácidos, que são promotores de atividades. Minerais também estão presentes em quantidade mais alta neste mesmo leite da manhã. São eles:

  • Magnésio
  • Potássio
  • Zinco
  • Sódio

Foi descoberto também que o leite produzido perto do meio dia é muito mais rico em ferro do que aquele produzido em qualquer outro horário.

Leite materno noturno

Crédito: Freepik

Entretanto, o leite materno produzido no fim do dia não conta com essas características energizantes. Pelo contrário, o leite noturno parece ser uma mistura de ingredientes que tem como objetivo reconfortar o bebê.

Publicidade

Exemplo disso é a melatonina, que é responsável pela digestão e pelo sono. Este elemento é quase indetectável de manhã, mas aumenta significativamente no leite materno da noite. Foi descoberto que o momento que ela se faz mais presente é próximo da meia noite. Além disso, o leite produzido no turno da noite conta com muito mais vitaminas.

Por fim, foi descoberto que este leite do final do dia contém uma série bastante ampla de blocos de informações importantes de DNA, que contribuem para a promoção de um sono saudável.

Crononutrição

Os pesquisadores acreditam que essa diferença nutricional no leite materno de acordo com o período do dia é uma forma da natureza ajudar no estabelecimento da biologia circadiana dos bebês. Ou seja, é plausível acreditar que o leite materno ajuda o bebê a desenvolver um senso de rotina baseado em ciclos de 24 horas. Essa conclusão parece fazer muito sentido na medida em que quase todos os seres vivos também constroem seus ciclos biológicos através de ciclos de 24 horas, de acordo com os cientistas.

Desta forma, o aleitamento materno parece contribuir não somente para a nutrição do bebê, mas também para o seu aprendizado do que é dia e do que é noite.

Além disso, os pesquisadores dizem acreditar que as diferenças nos padrões de alimentação dos bebês podem ter associação com as diferenças que vemos no desenvolvimento destes ritmos.

E o leite materno armazenado?

leite materno

Crédito: Freepik

Existe uma série de artifícios para ajudar as mulheres a amamentarem, desde conchas até as bombas para armazenar e a mamadeira para oferecer ao bebê. Independente da utilização ou não dessas estratégias, é muito comum que as mulheres armazenem o leite materno para oferecer para a criança posteriormente. Essa prática se torna rotineira quando a mamãe precisa voltar ao trabalho, mas mesmo antes disso já é normal entre algumas mulheres.

Os cientistas do estudo presumem que oferecer um leite produzido de manhã no horário da noite pode fazer com que o mesmo tenha dificuldade para dormir. Afinal de contas, o alimento estava cheio de elementos energizantes. Se a conclusão do estudo estiver correta, então os bebês que consomem o leite em horários diferentes do momento em que foi produzido podem ter mais dificuldade de estabelecer rotinas de sono, digestão e desenvolvimento.

Uma estratégia para dar conta dessa situação e levantada pelos próprios pesquisadores é a de fazer etiquetas com o horário em que o leite foi produzido. Com o cuidado de dar o leite materno da manhã nesse horário, o leite do almoço como refeição de meio dia e o leite noturno mais tarde, é possível que este pequeno problema possa ser solucionado. Entretanto, os próprios estudiosos alertam que não têm muita certeza sobre essa situação. De acordo com eles, este estudo trouxe um avanço muito importante para o conhecimento sobre o desenvolvimento da saúde circadiana do bebê e mais pesquisas precisam ser feitas, para que outras informações sejam obtidas.

O que achou deste conteúdo? Já tinha lido sobre este estudo? Deixe um comentário e compartilhe conosco sua opinião.