Educação socioemocional

Crédito: Freepik

A educação socioemocional é a novidade do momento no desenvolvimento das crianças. O Brasil tem até 2020 para implementar atividades que trabalhem essas competências no currículo obrigatório das escolas. Entretanto, você sabe o que é educação socioemocional? Sabe por que ela é importante e quais benefícios seus filho receberá com esse item na sua educação?

Antes de apresentarmos tudo que voce precisa saber sobre a educação socioemocional, é importante voltarmos alguns passos e lembrarmos do ambiente onde esses ensinamentos serão passados: a escola.

Desenvolvimento infantil e ambiente escolar

A escola está entre os ambientes mais importantes da vida das pessoas, mesmo depois de adultas. A importância desse espaço se dá pelo fato do mesmo ser amplamente considerado o primeiro laboratório de experiencias das crianças – fora do seio familiar, é claro.

Publicidade

É na escola que as crianças começam a conviver e a fazer trocas com seus pares, outras crianças. Também é nesse ambiente que a criança vai se relacionar com outros adultos, para além de seus familiares. Diversos estudos do campo da educação e do desenvolvimento infantil demonstram que a escola é um espaço de vital importância para as crianças, para muito além dos conteúdos que são aprendidos.

Na escola seu filho vai aprender a negociar, dialogar, trocar experiencias, dividir e muito mais. Entretanto, esse também é um ambiente que gera uma série de sentimentos negativos, como medo e ansiedade. É comum que a escola contribua para os receios e as fantasias da criança sobre a avaliação, julgamento e cobranças externas. Isso pode ocorrer mesmo quando as professoras e o ambiente escolar forem super acessíveis.

Sendo apresentado desde cedo a tantos desafios, é fundamental para o bom desenvolvimento infantil que as crianças possam aprender sobre seus sentimentos. Com a educação socioemocional seu filho terá oportunidade de aprender a lidar de forma saudável com as suas emoções.

Educação socioemocional

Educação socioemocional

Crédito: Freepik

A educação socioemocional vem se tornando um tema importante na escola e nas casas desde o ano de 2017. Isso está ocorrendo porque na última definição da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi estipulado que até o ano de 2020 todas as escolas do país precisarão incluir o tema no seu currículo obrigatório. Por esse motivo, quanto mais próximo chegamos de 2020, mais intensa a discussão sobre o assunto se torna.

Entretanto, você sabe o que é educação socioemocional? Sabe quais são os seus objetivos? Já pesquisou sobre as mudanças que ocorrerão nas escolas?

Publicidade

O que é?

A educação socioemocional trata da inclusão formal nas escolas de estratégias que auxiliem as crianças a aprenderem a lidar com as suas emoções. Com a inclusão dessa matéria no ambiente escolar, seu filho aprenderá a refletir sobre os seus sentimentos e a aplicar formas mais saudáveis de lidar com eles.

Legal! Mas… O que será ensinado?

Responsabilidade, empatia, solidariedade, colaboração, amizade, ética, organização, honestidade e cidadania são alguns dos assuntos que deverão ser transmitidos para as crianças. Ao contrário do que muitos acreditam, estes elementos não nascem necessariamente com as pessoas. Estudos demonstram que é possível ensinar uma série de características comportamentais para as pessoas, e quanto mais cedo, melhores os resultados.

O autoconhecimento, autogerenciamento e a tomada de decisões responsável são alguns dos principais pilares da educação socioemocional, assim como a consciência social e o desenvolvimento de habilidades de relacionamento interpessoal.

História da educação socioemocional

Educação socioemocional

Crédito: Freepik

A educação socioemocional vem sendo formalmente estudada e desenvolvida desde o ano de 1994, tendo sua origem em pesquisas norte-americanas.

Publicidade

Um grupo de pesquisadores criou uma organização mundial com objetivo de promover aprendizado acadêmico, emocional e social de forma integrada. O objetivo principal foi garantir uma educação integrativa a todas as crianças, desde a educação infantil até o ensino médio. Esta organização ficou conhecida como CASEL e foi criada no ano de 1994.

Naquele momento, o sistema de educação passava por problemas relacionados ao consumo de drogas e a violência. Por isso, os temas inicialmente trabalhados eram a prevenção as drogas e a violência, a educação moral e cívica e a educação sexual.

Inclusão de educação socioemocional na escola

Assim como mencionado anteriormente, a educação socioemocional passará a ser conteúdo obrigatório nas escolas devido ao último encontro da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

A Base Nacional Comum Curricular ocorre no formato de encontros/reuniões regulares com diversos especialistas e profissionais da educação. Com base nas discussões geradas, é elaborado um documento que apresenta todas as competências mínimas que todas as instituições de ensino deverão garantir aos seus alunos. Ou seja, é um documento que garante que todas as crianças e adolescentes do país terão direito a uma série de aprendizagens mínimas, independente da escola ser privada ou pública.

Foi definido que até o ano de 2020 todas as escolas do Brasil precisarão ensinar habilidades socioemocionais aos seus alunos, por isso vários movimentos vêm ocorrendo dentro dos ambientes escolares desde 2018.

O que vai mudar no ambiente escolar?

Educação socioemocional

Crédito: Freepik

É importante as mamães e os papais saberem que, apesar da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) estipular quais competências serão ensinadas, ela não define de qual forma isso deve ocorrer. Por esse motivo, cada instituição de ensino tem autonomia para tomar as suas decisões e para elencar a melhor forma de transmitir os conhecimentos. Nesse modo de trabalhar, é garantido que cada escola poderá adequar o formato e as técnicas utilizadas de acordo com a sua região, com o perfil de seus alunos e com a estrutura e condições da escola.

Entretanto, existem algumas recomendações que são importantes de serem seguidas. Por exemplo, especialistas acreditam que a melhor maneira de trabalhar a educação socioemocional com crianças é através de atividades lúdicas.

Uma forma de abordar o tema, por exemplo, é fazer uso da personalidade e das características pessoais de desenhos infantis e de personagens. Isso pode ocorrer por meio de histórias ou de vídeos, pois são atividades que as escolas costumam estar acostumadas a trabalhar.

Assim sendo, é esperado que, em termos concretos, muito pouco seja alterado nas escolas após a inclusão da educação socioemocional. Entretanto, isso não quer dizer que as mudanças não ocorrerão no desenvolvimento infantil. O ideal é que cada escola construa sua própria maneira de trabalhar este tema, fazendo uso de seus próprios recursos e também colocando em prática a criatividade e o protagonismo das crianças.

Educação socioemocional e desempenho acadêmico

Educação socioemocional

Crédito: Freepik

A longo prazo, é esperado que haja uma série de mudanças no desempenho acadêmico das crianças em geral. Essa estimativa está associada com a necessidade das escolas adaptarem seus currículos à educação socioemocional. Essa melhora no desempenho escolar é esperada porque o aprendizado das emoções não deve impactar somente na relação das crianças consigo mesmas e com o mundo ao seu redor, mas também em aspectos acadêmicos.

Estudos realizados com o apoio da Associação para Supervisão e Desenvolvimento Curricular (Association for Supervision and Curriculum Development) demonstraram que alunos estimulados desde cedo com práticas de educação socioemocional conseguem alcançar níveis mais altos de desempenho acadêmico. Isso provavelmente ocorre porque trabalhar sentimentos e emoções faz com que a criança se sinta mais segura e mais acolhida na escola.

Pesquisas conduzidas em diversos lugares do mundo já mostraram que o aprendizado infantil ocorre de forma mais adequada e alcança melhores resultados quando realizado em ambientes saudáveis e seguros para as crianças. Ou seja, a aprendizagem da criança está associada com o seu contexto social e com as suas emoções em relação a esse espaço. Especialistas afirmam que é difícil fazer uma separação entre os aspectos emocionais, os aspectos sociais e os processos de aprendizagem.

O que achou deste artigo? Já conhecia a educação socioemocional? Deixe sua experiência nos comentários.