Maternidade real: sim, filho dá muito trabalho!

Por 1 Comentário


Sem meias palavras: filho dá muito trabalho. Isso quer dizer que a mãe que faz esta afirmação está arrependida de ter tido filhos? Não, quer dizer simplesmente que filho dá muito trabalho sim, não dá para negar. Quer dizer que a mãe que reclama dessa trabalheira toda não ama ter filhos? Não, quer dizer apenas que, sem firulas nem disfarces, ela sabe e admite que filho dá muito trabalho, puxa vida.

Chega de tentar suavizar (ou silenciar) essa verdade que precisa ser dita pelos quatro cantos do mundo sem que nenhuma mãe precise se justificar a respeito. Ter um bebê ou uma criança em casa é assumir tarefas diárias que exigem muito e cansam loucamente. Alimentar, vestir, ninar, entreter, ensinar, limpar, cuidar, acolher, consolar, atender, servir, levar, trazer, responder, mostrar, advertir, acudir, tratar, convencer, explicar. Em looping, sem folga, 24 por 7. Eis uma pequena amostra da rotina de uma mãe. Pequena mesmo, porque um resumo em forma de vinte verbos não dá conta de traduzir a imensidão que é se responsabilizar pelo dia a dia e desenvolvimento de um pequeno ser humano.

filho dá trabalho

Imagem: 123RF

É chocante como o mundo insiste em perpetuar a invisibilidade do trabalho materno. As estratégias e artimanhas usadas para fazer da maternidade uma missão sublime e angelical vêm de toda parte. É um tal de fazer propaganda com mãe plena e sorridente, cuidando da casa e dos filhos como se sempre dormisse a noite toda e nem precisasse trabalhar incansavelmente fora e dentro de casa, que dá até raiva. Cadê a mãe esgotada e cheia de olheiras, pegando brinquedo, fazendo lição de casa com um filho e carregando o outro no colo, enquanto termina o jantar? Ninguém sabe, ninguém viu…

O homem engravatado, que sai cedo e volta tarde, pode falar em alto e bom som o quanto sua jornada cansa que todos ao redor são capazes de entendê-lo e lhe dar razão. Mas a mãe não pode assumir que os filhos dão trabalho e que dedicar-se a eles é pra lá de cansativo. Ah, como isso é feio! Parece desamor, parece exagero, parece incoerência.

“Esse trabalho todo não foi uma escolha?” Muitos perguntam. E a resposta é: não, não foi! Quando nós, mães, escolhemos ter filhos, nós nos comprometemos sim em assumir funções e dificuldades que a maternidade traz. Mas, em geral, nós não escolhemos seguir nessa empreitada sozinhas. Nós queremos que o pai da criança esteja junto nessa missão – dando apoio, compartilhando tarefas e se responsabilizando por essa vida criada em conjunto. Nós queremos empregos acolhedores para as mulheres-mães que, de vez em quando, precisam se ausentar, sair mais cedo ou levar o filho junto, se for o caso. Nós queremos transporte público eficiente para tornar mais fácil nosso trajeto de ir para o trabalho e voltar para casa. E isso só para citar alguns pontos que poderiam sim aliviar bastante o trabalho duro que os filhos, por mais amados que sejam, nos dão.

Por tudo isso, vamos repetir sem engasgos ou sussurros: filho dá muito trabalho. E se alguém fica muito incomodado ao ouvir isso talvez seja porque ou está com medo de ter de dividir esse trabalhão todo ou porque não está a fim de cutucar esse vespeiro.


Você também pode gostar desses posts:

Será que somos uma geração de pais mimados demais?

Sobre minha admiração extrema pelas mães que não trabalham fora

 

 

 

 


 



Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (1)

Trackback URL

  1. Shhh… cuidado, daqui a pouco as pessoas desistem de ter filhos, porque dá trabalho… ou será que não é isso que está acontecendo mesmo?

Deixe seu comentário