Hipotonia em bebês: entenda o que é um “floppy baby”

Por 0 Comentários


Você já ouviu falar nos floppy babies? Esse termo em inglês é usado para se referir à hipotonia em bebês, ou seja, a crianças que têm diminuição do tônus muscular. Esses pequeninos têm o pescoço e o tronco moles e apresentam dificuldades para fazer movimentos como sustentar a cabeça e se sentar. Já imaginou como você ficaria preocupada se fosse seu filho?

Pois a condição realmente merece atenção, pois pode esconder outros problemas de saúde, e requer tratamento específico. Geralmente, a hipotonia em bebês é reconhecida entre o primeiro e o segundo ano de vida. A seguir, entenda mais sobre ela.

hipotonia em bebês
Imagem: 123RF

Hipotonia em bebês: como saber se meu filho tem?

Entre os sintomas mais frequentes observados nesses bebês estão a falta de controle da cabeça (ao sustentar o bebê, ela cai para a frente, para trás ou para o lado) e flacidez. Por exemplo, ao segurar uma criança com hipotonia com as mãos sob as axilas dela, os braços do pequeno geralmente se erguem e ele escorrega, pois não há firmeza em seu corpo.

Mais uma característica comum é a disposição dos braços e das pernas, que ficam sempre em linha reta. Os bebês com hipotonia dificilmente descansam como os outros, que ficam com os joelhos, cotovelos e quadris um pouco flexionados.

Se desconfiar que o seu filho possa ter hipotonia, consulte o pediatra. O diagnóstico é concluído por meio de vários exames, como tomografia e ultrassom do crânio.

Vale saber que a suspeita pode ser levantada ainda durante a gestação. No pré-natal, por meio do ultrassom, é possível saber se a criança se mexe pouco, uma das suspeitas para a hipotonia.

Quais problemas a hipotonia pode esconder?

A hipotonia em si não costuma ser um grande problema. A questão é que ela pode ser um sintoma de condições mais sérias, musculares ou nervosas. Ela também pode ser consequência de outras doenças, como meningite e zika.

Bebês prematuros, nascidos com Síndrome de Down ou ainda aqueles que sofreram com falta de oxigenação antes ou depois do nascimento também podem apresentar hipotonia.

Qual o tratamento para a hipotonia em bebês?

Primeiramente, o médico precisa chegar à causa da hipotonia para indicar o tratamento mais adequado. No caso da hipotonia especificamente, o tratamento é feito em conjunto com médico, fisioterapeuta e terapeuta ocupacional. Esse cuidado multiprofissional, com diversos exercícios de fisioterapia, é fundamental para fortalecer os músculos e melhorar a coordenação da criança, garantindo seu desenvolvimento sem complicações futuras.


 



Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário