Meu filho não quer dormir no quarto dele. Dicas certeiras para resolver!

Por 0 Comentários


Nesses 7 anos de blog, uma das questões mais frequentes que recebi das leitoras, pedindo ajuda para solucionar, foi a dificuldade para colocar a criança para dormir em seu próprio quarto. “Meu filho não quer dormir no quarto dele, e não sei como resolver. Já estou cansada, quero ter espaço na minha cama, e até meu casamento não anda muito bem porque o pequeno não sai do quarto do casal”. Se isso também acontece aí na sua casa e você está sentindo essa dificuldade, esse post traz dicas que podem ser bastante úteis.

Por que a criança não dorme no quarto dela?

Em primeiro lugar acho importante identificar o motivo que leva seu filho a não querer dormir no quarto dele. E normalmente ele tem três possíveis causas diferentes:

  1. A criança acostumou com o hábito de dormir no quarto dos pais e acha que isso faz parte do processo de sono.
  2. A criança sente falta dos pais, principalmente da mãe, por isso chora se fica sozinho em seu quarto.
  3. A criança desenvolveu medo de ficar em seu próprio quarto.

Veja também: Medo na infância: quando é preciso procurar ajuda?

Filho não quer dormir no quarto dele
Imagem: 123RF

Assim, a primeira pergunta que você precisa responder para ajudar a dormir no quarto dele é essa. Em geral bebês e crianças bem pequenas foram acostumados a dormir no quarto dos pais, e consideram que isso faz parte do processo de sono. Portanto, podem se recusar a dormir no berço ou na sua cama já no início da noite, ou se acordam na madrugada.

Há também fases, como a que ocorre por volta dos 8-9 meses de vida do bebê, em que há uma dificuldade maior de afastamento da mãe. É a chamada ansiedade de separação, que acontece quando o bebê se dá conta de que é um ser independente da mãe – e que esta pode, portanto, se afastar. Até lá dificilmente seu filho não quer dormir no quarto dele por sentir sua falta, ou porque tem medo. Mas a partir daí seu pequeno pode, de fato, ter receio do afastamento e chorar.

Crianças maiores, com mais de 3 anos, podem ter medo de ficar sozinhas. É quando começa a aparecer o medo do escuro, e de alguns monstros. Só mais para frente seu filho terá outros tipos de medo mais concretos, como o de um assaltante (por volta dos 7 anos).

Táticas para fazer seu filho dormir no quarto dele

Depois que você identificou a causa do problema, é hora de partir para a ação. A seguir eu listei alguns passos que ajudarão demais na resolução do problema (lembrando que algumas serão mais efetivas do que outras, dependendo da causa do problema. Por exemplo, se o problema é a ansiedade de separação, ficar no quarto do seu filho até que ele adormeça é uma ação importante. Já se o que causou a dificuldade foi o hábito, você terá que ser firme ao não levar seu filho para sua cama, apesar das reclamações.

Seja consistente

Independente da causa, se você decidiu que é hora de seu filho deixar de dormir na sua cama (lembrando que isso é uma opção muito pessoal e que a cama compartilhada pode ser bem bacana para algumas famílias, pelo menos por um tempo), seja consistente. Não adianta insistir para que ele durma no quarto dele quatro dias seguidos, se no quinto e no sexto você permite que ele volte para a cama do casal. A partir do momento que ele perceber que você não voltará atrás, apesar dos resmungos, o processo ficará mais fácil.

Seja paciente

Quando você diz que seu filho não quer dormir no quarto dele e que deseja realizar uma mudança nesse hábito, toda a família será afetada. Seu bebê passará por uma fase de readaptação, que exigirá dele. Consequentemente, você também ouvirá mais choro e reclamações, e precisará ter bastante paciência para lidar com elas. Tenha em mente que a mudança não ocorre em poucos dias – às vezes é preciso mais de um mês para que a nova rotina seja consolidada.

Fique no quarto do seu filho até que ele durma

Muitas crianças precisam da segurança da presença dos pais para adormecer. Não há problema algum nisso, é muito natural. Certamente alguns amigos dirão que deixam seus filhos acordados em seus quartos e fecham a porta, e que assim eles adormecem. Pode ser verdade, assim como também é certo que em muitas famílias isso não acontece. Assim, você pode ficar ao lado da cama do seu filho, ou sentada ali até que ele adormeça tranquilamente.

Torne o quarto do seu filho mais atrativo

Quando a criança já não é um bebê, vai gostar de notar que seu quarto mudou e que está renovado. Conte que a mudança aconteceu porque ele já é um menino grande, que merece uma cama ao invés de um berço, por exemplo. Ao colocar seu filho em outro “status”, você pode explicar que faz parte da nova fase dormir no quarto dele, e não no seu. Deixe que ele escolha alguns objetos para o quarto novo também, assim ele se sentirá mais dono do espaço, e mais feliz ali. Isso facilitará o processo de sono.

Use elementos lúdicos para facilitar o processo

Conte histórias suas, de como era bom dormir em seu quarto quando você era pequena. Sua experiência pessoal é extremamente válida para seu filho: “se a mamãe ou ou papai gostavam de dormir no quarto deles, então também posso gostar!”. Use também livros que falam do sono da criança – inclusive meu último livro infantil fala exatamente sobre isso! Ele conta a história do Pedro, um menininho que só queria dormir na cama dos pais (veja como ele é por dentro aqui). Até que um fato muda tudo, e ele passa a curtir demais seu quarto! Que tal ler esse livro para seu filho na hora de dormir? Para saber como comprar e receber em todo o Brasil, clique aqui.

Livro “Onde é que eu vou dormir”: para ajudar seu filho no processo

Use uma luzinha

Muitas crianças têm medo do escuro – senão todas, em alguma fase da vida! Mesmo aquelas que no início não demonstram medo podem desenvolver depois, com mais idade. Por isso deixar a luz do banheiro ao lado acesa, ou usar uma luzinha de tomada que promove uma leve claridade, pode ajudar demais seu filho a se sentir mais seguro em seu próprio quarto.

Veja também: Seu filho tem medo de dormir? 7 dicas para que ele durma mais rápido e melhor

Irmãos juntos

Há famílias com casas grandes, nas quais há inclusive um quarto para cada filho. Mas já pensou que pode ser extremamente benéfico juntar os dois? Passada a fase em que o menor é bebê e demanda muitos cuidados (como trocas de fralda e amamentação) na madrugada, é uma boa pensar em colocar os irmãos para dormir juntos. Assim um terá a companhia do outro e até os laços entre eles podem ficar mais fortes. O segundo quarto seria um ótimo espaço para os brinquedos, que podem sair da sala, o que você acha?

Use a saída da rotina a seu favor

Seu filho vem dormindo na sua cama nos últimos 300 dias do ano. Então quando você coloca em prática a nova postura de não deixar que ele durma lá, certamente haverá choradeira. Mas e se você fizer isso depois que ele passou uma semana na casa da avó? Ou depois de uma viagem em família? Essas pausas na rotina podem ser usadas para começar um novo ciclo de forma diferente, já pensou nisso?

De novo, e de novo, e de novo

Há crianças que, nesse processo de aprender a dormir no próprio quarto, começam a acordar 3, 4 vezes durante a noite e vão para a cama dos pais. Sim, seu filho pode ser do tipo extremamente insistente! Mas já que você decidiu colocar o plano em prática, seja firme e leve-o para o quarto dele quantas vezes forem necessárias. E considere uma vitória quando ele acordar na caminha dele!

“Não dê corda”

Essa é uma frase que minha mãe usava, quando queria dizer que não se deve dar muita atenção para alguma coisa. Quando seu filho acordar durante a noite e for para sua cama, devolva-o para o quarto dele “sem dar corda”. Não discuta, não brigue, e nem fique lá por muito tempo (diferente do início da noite, em que pode, sim, fazer parte da rotina do sono a sua presença ao lado da cama). Quanto mais atenção você der, mais tempo seu filho insistirá para não ficar lá.

Seja firme, mas não brava

A linguagem que você usa é extremamente importante para que seu filho queira dormir no quarto dele. Seja firme e mostre que o hábito da criança dormir em seu quarto é perfeitamente normal, comum, e que não há problema nisso. Seja direta e franca, pois a criança entenderá o recado. Por outro lado, tente não se irritar (e quem tem filhos sabe que é preciso respirar fundo em alguns momentos!), pois tudo o que você NÃO quer é que seu filho ache que você está brava e triste com ele.

Agora é colocar em prática, como muita paciência, como eu disse anteriormente! E não fique triste se algumas recaídas acontecerem e seu filho voltar para sua cama (quando eles ficam doentinhos, isso pode acontecer). O mais importante é que você já sabe o caminho, e que sabe que dará tudo certo no final. Até porque não tem adolescentes querendo dormir na cama dos pais, não é verdade?


 



Arquivado em: Cuidados diáriosSono do bebê Tags:

Deixe seu comentário