Que a dengue passou a ser um assunto de interesse de todas as mães brasileiras, não há a menor dúvida. A incidência da doença alcançou níveis preocupantes em muitos municípios do Brasil – só na semana passada, acreditam que recebi algumas mensagens de leitoras que foram infectadas?

mosquito da dengue

mosquito da dengue. Foto: Freepik

E quando as crianças são picadas e desenvolvem a doença, a situação é ainda mais difícil.

Entre os sintomas clássicos estão febre alta, manchas na pele, intensa dor no corpo, na cabeça e atrás dos olhos, falta de apetite, tontura, náuseas, vômitos e um cansaço muito grande (se para um adulto a dengue é debilitante, imaginem para os pequeninos! Muitos chegam a ser hospitalizados – e, em casos extremos, infelizmente podem vir a óbito).

Publicidade

Por isso, é fundamental que estejamos atentos, e que cada um faça sua parte para eliminar o mosquito transmissor.

Mesmo lendo bastante sobre o assunto, confesso que ainda não conhecia algumas informações importantes sobre a dengue, a que tive acesso no site http://www.nossacidadesemdengue.com.br (vale a pena dar uma espiadinha, pois o material é bem bacana!).

menina com picadas de mosquito

menina com picadas de mosquito. Foto: Freepik

5 coisas que você deve saber sobre a dengue

Vem saber um pouco mais e compartilhar, porque espalhar o conhecimento é o primeiro passo para que consigamos vencer a doença:

1- As partes do corpo mais picadas

Como o mosquito voa a uma altura máxima de meio metro do solo, em geral as picadas acontecem nas pernas, tornozelos e pés dos adultos. Crianças (que são mais baixas e ficam bastante tempo no chão) são alvos fáceis para o Aedes aegypti (o mosquito transmissor).

2- A hora em que o mosquito mais ataca

Diferentemente do mosquito comum, que em geral pica à noite, o Aedes Aegypti tem preferência por picar nas primeiras horas da manhã ou nas últimas da tarde. Em geral ele evita as horas mais quentes do dia sob o sol forte – mas dentro de casa ou na sombra pode ficar ativo durante todo o tempo. Por isso é fundamental usar telas e repelentes para evitar o contágio.

Publicidade

3- O ovo do mosquito pode durar até um ano sem água

Quase todo mundo sabe que a reprodução do mosquito acontece em locais de água parada – o que muita gente não sabe, é que o ovo pode se manter vivo por muitos meses em ambiente seco! Por isso, limpe com bucha os locais suspeitos, como vasos de plantas, calhas e caixas d´água.

4- Uma pessoa pode ter dengue até 4 vezes na vida

Como existem quatro sorotipos de vírus da dengue, uma pessoa pode ser infectada até 4 vezes (quando ela “pega” um tipo, ficará imune a ele, mais ainda susceptível aos outros). Geralmente, a dengue hemorrágica (a forma mais grave da doença) acontece quando alguém já teve a forma clássica e se contaminou pela segunda vez, com outro sorotipo.

5- O mosquito consegue picar até mesmo sobre a roupa

Você sabia que a parte que o mosquito usa para chegar picar e chegar até o vaso sanguíneo consegue perfurar o tecido? Por isso, toda a atenção é pouca!

Essas e muitas outras informações você encontra no site http://www.nossacidadesemdengue.com.br, que faz parte da campanha da SBP para o combate à dengue. Então, não deixe de conversar com os amigos sobre a doença e os métodos de combate ao mosquito, porque só com nosso esforço conjunto conseguiremos vencer o problema!

Menina com picadas de mosquito nas pernas

menina com picadas de mosquito nas pernas. Foto: Freepik

Prevenção

Nenhuma vacina pode proteger contra a dengue. Em outras palavras, apenas evitar picadas de mosquito pode evitá-lo.

Publicidade

Portanto, qualquer pessoa que more ou viaje para uma área de risco pode usar várias maneiras para evitar a mordida do mosquito.

Roupas : reduza a quantidade de pele exposta usando calças compridas, camisas de mangas compridas e meias, enfiando as pernas das calças nos sapatos ou meias e usando um chapéu.

Repelentes de mosquitos : Use um repelente com pelo menos 10 por cento de concentração de dietiltoluamida (DEET) ou uma concentração mais alta para longos períodos de exposição. Por outro lado, evite usar DEET em crianças pequenas.

Armadilhas e redes mosquiteiras : as redes tratadas com inseticida são mais eficazes, caso contrário, o mosquito pode picar através da rede se a pessoa estiver ao lado dela. Mas, o inseticida mata mosquitos e outros insetos e repele os insetos de entrarem na sala.

Telas de portas e janelas : barreiras estruturais, como telas ou redes, podem manter os mosquitos do lado de fora.

Evite cheiros : sabonetes e perfumes com muito perfume podem atrair mosquitos.

Equipamentos de acampamento : trate roupas, sapatos e equipamentos de camping com permetrina ou compre roupas que foram pré-tratadas.

Horário : evite sair ao ar livre ao amanhecer, anoitecer e no início da noite.

Água estagnada : O mosquito Aedes se reproduz em água limpa e estagnada. Então, verificar e remover água estagnada pode ajudar a reduzir o risco.

menina espantando mosquitos

menina espantando mosquitos. Foto: Freepik

Veja como reduzir o risco de reprodução de mosquitos em águas estagnadas:

  • Vire baldes e regadores e guarde-os sob um abrigo para que a água não se acumule;
  • Remova o excesso de água dos vasos de plantas;
  • Esfregue os recipientes para remover os ovos do mosquito;
  • Solte o solo dos vasos de plantas, para evitar a formação de poças na superfície;
  • Certifique-se de que os drenos do scupper não estejam bloqueados e não coloque vasos de plantas e outros objetos sobre eles;
  • Use armadilhas de ralo não perfuradas, instale válvulas anti-mosquito e cubra quaisquer armadilhas que raramente são usadas;
  • Não coloque recipientes sob uma unidade de ar condicionado;
  • Troque a água dos vasos de flores a cada dois dias e esfregue e enxágue o interior do vaso;
  • Evite que as folhas bloqueiem qualquer coisa que possa resultar no acúmulo de poças ou água estagnada.