Laranja, maçã, banana, mamão, melão… As frutas são dos alimentos mais importantes para a alimentação do filhote, e também dos primeiros a serem introduzidos em sua dieta. Mas nem sempre isso significa que seu filho curta comê-las, certo? Aqui em casa eu tive muita dificuldade com Catarina, como vocês que acompanham o blog já sabem. E confesso: não me sentia nada bem com essa história.

Eu também fui uma criança avessa às frutas, e sei que a mudança de hábito na vida adulta é muito mais complicada. Por isso tentei de muitas formas que Catarina começasse a comer uma variedade maior, ainda pequena. Percebi que errei em alguns pontos (o que dificultou a aceitação de algumas frutinhas), acertei em outros… E da minha experiência, tirei algumas dicas que eu compartilho com vocês agora (espero que ajudem aí na sua casa!).

Imagem: lejmafra via Compfight cc

Imagem: lejmafra via Compfight cc

Dicas para que seu filho coma frutas:

Publicidade

1) Comece da forma correta: apresentar o maravilhoso mundo das frutas ao filhote, ainda quando bebê, é fundamental. E isso significa deixar que ele se lambuze com pedacinhos, que pegue, morda, aperte com as mãos… Esse foi um dos aspectos nos quais eu não coloquei atenção, e faria diferente com um segundo filho. Durante a introdução dos sólidos, evite dar apenas sucos – é importantíssimo que o pequeno tenha contato com frutinhas amassadas/picadas para acostumar seu paladar.

2) Pode ser uma questão de gosto ou consistência: isso eu sei por experiência própria, porque durante anos não conseguia comer frutas “moles”. E justamente porque eu tinha essa dificuldade, acredito que de fato alguns bebês passem pelo mesmo! Respeitar as preferências do seu filho, conforme elas começarem a se manifestar (seja por frutas doces, ácidas, macias ou duras), torna o processo de aceitação das frutas mais fácil. Você começa por aquelas que naturalmente o atraem, e tenta avançar para ampliar o leque de opções. Mas antes de cortar uma variedade do cardápio do pequeno porque você acha que ele definitivamente não curte, insista: muitas vezes é apenas uma questão de perseverança.

3) Evite os caroços: nos primeiros meses do bebê, você mesma irá evitá-los, com receio de que o pequeno engasgue. E com o passar do tempo, pode ser que seu filho não aceite com facilidade as frutinhas com sementes! Seu filho não come uvas por esse motivo? Opte pela Thompson ou Crimson, que não apresentam caroços. Mas continue oferecendo as tradicionais, pois aos poucos ele poderá entender a dinâmica de comê-las (Catarina demorou quase quatro anos para aprender, mas agora sabe!).

4) Inove na apresentação: vale usar a fruta para fazer florzinha, bichinho, avião, barquinho… Criar um prato divertido funcionou por aqui e acabou com as intermináveis guerras na hora da sobremesa. Que tal tentar por aí?

5) Leve seu filho para comer no pé: quem acompanha nosso Instagram viu que hoje foi dia de levar Catarina a um passeio pelas jabuticabeiras! Percebi que a pequena se interessava muito mais por algumas frutas se tivesse a possibilidade de comê-las diretamente da árvore, porque envolvia uma experiência sensorial completa. Por isso, fica a dica – levar o filhote para comer fruta no pé pode mudar completamente a forma como ele se relaciona com ela!