Mais uma novidade do mundo científico: um estudo publicado há três dias no periódico internacionalmente conhecido Pediatrics mostrou que o consumo de peixe por bebês entre 6 e 12 meses pode estar associado a uma menor chance de desenvolvimento de asma. Mais de 7.000 crianças holandesas foram avaliadas nesse trabalho e houve a conclusão de que existe uma janela favorável à inserção de peixe no cardápio das crianças no segundo semestre de vida (período que coincide com um maior amadurecimento do sistema imunológico dos bebês). Não houve relação entre a quantidade de peixe ingerida e a ocorrência de asma, ou seja, aparentemente pequenas quantidades do alimento já promoveriam o efeito protetor. Aos 4 anos de idade, crianças que começaram a ingerir peixe nessa fase apresentaram menor prevalência de chiados no peito.

Quando o consumo de peixe foi iniciado antes ou após esse período, não foi notada relação entre o consumo desse alimento e uma menor prevalência de asma. Essa informação é interessante porque muitos pais se preocupam em postergar a apresentação de peixe e crustáceos aos filhos, justamente por serem conhecidos como causadores de alergias. Os próprios autores do estudo afirmaram que outros estudos precisam ser feitos para esclarecer essa relação de declínio do risco de asma em função da ingestão de peixes por bebês.

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui. E para ler outros posts sobre saúde, clique aqui.

Publicidade