Em alguns aspectos, ser mãe de menina não é fácil, não. Por um lado, a gente fica toda orgulhosa quando vê a filhotinha reproduzindo alguma coisa que aprendeu com a mamãe; e por outro, fica aquele dilema: qual é o limite da imitação da mãe? Vale colocar maquiagem, esmalte? Nas festas infantis em que tenho ido, meninas de 3, 4, 5 anos já adoram passar por uma sessão “fashion”, com direito a cabelo, maquiagem e manicure. Você já parou para pensar nisso? Tem alguma opinião formada?

maquiagem para criança

Minha filha Catarina ainda não fez 2 anos, mas sei que em breve ela manifestará a vontade de experimentar essas coisas. Como no dia-a-dia eu uso pouquíssima maquiagem e esmalte, ela ainda não colocou atenção nesses itens. Mas em uma festinha qualquer, vendo as meninas todas com sombra nos olhos e unhas pintadas, virá a curiosidade. Pessoalmente eu acho que criança tem que ser criança, tem que ter jeito de criança. Por isso, deixá-la usar maquiagem e esmalte no dia-a-dia está fora de cogitação aqui em casa. E vocês irão me perguntar: e numa festinha, ela vai poder? E a minha resposta é: desde que seja considerada uma brincadeira do momento (ou seja, que acaba ao chegar em casa), eventual, e com produtos infantis, tudo bem.

É claro que cada mãe pensa de uma forma, e eu não estou aqui para convencer ninguém de que a minha forma de pensar seja a mais acertada. Não vou entrar agora na discussão sobre vaidade infantil, somente focar na questão da saúde que o uso desses produtos envolve. Assim, acho importante conscientizar as mães da importância do uso de cosméticos infantis para crianças. A pele da criança é muito delicada, por isso exige produtos específicos para ela, que são avaliados pela Vigilância Sanitária e apresentam uma composição diferente das fórmulas para adultos. Apresentam menor chance de provocar alergias e irritações, ao contrário do uso precoce de cosméticos convencionais, que nos pequenos podem promover, a longo prazo, sensibilidade a alguns componentes químicos (pois a criança apresenta seu sistema imunológico ainda imaturo e mais susceptível à sensibilização alérgica). Já imaginou que deixar sua filha usar um cosmético inadequado hoje pode significar que ela se torne alérgica a ele no futuro?

Publicidade

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) montou uma cartilha sobre cosméticos infantis bem interessante. Lá eu fiquei sabendo, por exemplo, que é exigência para as maquiagens infantis que elas apresentem baixa fixação, e que sejam removidas facilmente com água, sem necessidade de um outro cosmético de remoção. E que as maquiagens de boneca NÃO podem ser usadas pela criança, pois não propiciam a necessária segurança. Já os esmaltes devem ser à base de água (portanto não precisam de removedor para serem retirados das unhas); conclusão: lavou a mão, tomou banho, saiu!

Nessa mesma cartilha, você encontra informações sobre outros produtos também considerados cosméticos infantis, como shampoo, condicionador, fixador para cabelo, protetor solar, batom… Vale a pena ler (clique aqui)! E, claro, ficar atenta ao tipo de cosmético com que sua pequena está tendo contato. Procurar o registro da Anvisa no rótulo e ler as recomendações de uso são o primeiro cuidado para garantir a saúde da pele da sua filha.

Clique para ler mais sobre saúde do filhote.