Hoje no Mil Dicas de Mãe o assunto é o sono do bebê. Sim, eu sei que estava devendo um post sobre o assunto, pois já escrevi sobre cuidados diários, alimentação, compras… Talvez porque nesse quesito eu esteja mais na condição de receber do que de dar dicas, rsrs.

Mas vamos lá, quantas horas por dia seu bebê dorme? É claro que isso depende da idade dele, pois os bebês (pelo menos a maioria deles) começam dormindo quase o dia todo (com Catarina essa história de dormir 18 horas por dia quando recém nascida, que a gente encontra como referência em muitos livros e na internet, não aconteceu um único dia) e passam a dormir progressivamente menos tempo. Além disso, inicialmente não há padrão de sono bem estabelecido, e aos poucos esse sono vai se dividindo em sono diurno (as sonecas) e noturno.

Eu sempre tive a ideia de que a Catarina dormia pouco. Muito pouco. Ela vivia chorando (e depois de um tempo eu sabia que não era fome, frio, manha, nada disso; era cansaço) e eu me perguntado por que raios ela só dormia pequenas sonecas de até 45 minutos. E olha que eu me esforçava para prolongá-las! Mas por mais que eu fizesse, não passava disso. Mas à noite Catarina dormia um bom número de horas (o que eu achava que era o tempo médio para os bebês da idade dela).

Até que um dia, por recomendação da pediatra, eu me deparei com o livro “Bom Sono”, do Dr. Richard Ferber. Sim, é aquele mesmo autor do Nana Nenê, mas 20 anos depois que ele escreveu sobre a famosa técnica que ficou conhecida como choro controlado (vamos deixar esse ponto para ser discutido em outro post, porque vai dar muito pano para a manga!). E ali eu encontrei uma tabela que mostrava o padrão de sono do bebê de uma forma bem mais realista (inclusive mostrando as variações médias para os bebês mais e menos dorminhocos).

Publicidade

Aí eu entendi que Catarina não dormia pouco (ela dormia bem na média!), mas que concentrava sono demais à noite e sono de menos durante o dia. Talvez se eu reduzisse um pouco o sono da noite, conseguiria as sonhadas longas sonecas, bem mais reparadoras do que aquelas que ela tirava. Pena que quando comprei o livro, o período crítico de cansaço da Catarina já tinha passado, pois ela tinha quase 1 ano (e aí se dormisse pouco durante o dia já não ficava tão irritada). Mas pode ser que essa dica seja útil para você, não é mesmo?

Então aqui vai a tabela de sono do bebê, para servir de referência para as mães que se interessarem (vejam as horas totais de sono, sono à noite, de dia e número de sonecas – que variam de meia a duas horas – para cada idade do bebê):

Fonte: Bom Sono, Richard Ferber

E você, tem um bebê pouco ou muito dorminhoco? A tabela reflete o que acontece na sua casa? Conta pra gente, deixa um comentário no fim do post!

Quer ler mais sobre o sono do bebê? Clique aqui.