Estudo revela que depressão pós-parto também pode atingir os homens

Por 0 Comentários


O nascimento de um filho promove uma enxurrada de emoções nos corações das mães, não é mesmo? Mas só quem já passou por isso sabe que este momento reserva situações nem sempre agradáveis. Por isso, muitas mães, infelizmente, desenvolvem a depressão pós-parto. Também é comum sentir o famoso “baby blues” (sobre o qual eu falei aqui, inclusive) – aquela tristeza que dura um bom tempo, mas que vai passando aos poucos. E, agora, um novo estudo feito pela Associação Médica Americana trouxe uma nova informação que provavelmente você ainda não sabia: os homens também podem sofrer depressão pós-parto.

A pesquisa sobre depressão pós-parto em homens

Imagem: 123RF

O estudo mostrou que 10% dos homens no mundo inteiro já deram sinais de depressão pós-parto, distúrbio que, apesar do nome, pode começar ainda durante a gestação. Segundo os especialistas, o problema costuma surgir a partir do primeiro trimestre de gravidez e pode durar até os seis meses de vida do bebê.

O número representa mais do que o dobro da taxa de depressão geralmente vista em homens. A pesquisa avaliou estudos realizados com mais de 28 mil homens no mundo e apontou que este é um problema de saúde pública, por isso deve ser tratado com atenção.

Especialistas estimam que um em cada quatro pais de primeira viagem tornam-se depressivos após o nascimento de seus filhos. Outro estudo de 2014 publicado no Jornal Oficial da Academia de Pediatria Americana descobriu ainda que a depressão nos novos papais aumentou cerca de 68% durante os cinco primeiros anos de vida da criança.

Causas da depressão pós-parto em homens

Não é de se estranhar que a depressão pós-parto atinja não apenas as mulheres. Cada vez mais os pais ficam em casa com o bebê, enquanto as mães saem para trabalhar. Além de cuidar dos pequenos, alguns ainda precisam dar conta das tarefas domésticas. O resultado? Poucas horas de sono, estresse, cansaço, entre outros sintomas que favorecem o aparecimento da depressão.

Mas esta não é a única razão. O estudo mostrou que – por razões desconhecidas – os hormônios masculinos, assim como os femininos, são alterados durante a gravidez e após o nascimento do bebê. Os níveis de testosterona caem, enquanto o estrogênio, a prolactina e cortisol sobem. Com isso, alguns homens ainda desenvolvem sintomas como náuseas e ganho de peso.

Será que o meu parceiro está deprimido?

Confira alguns dos sintomas que podem indicar o problema dentro da sua casa:

  • Irritação ou agitação repentina
  • Distanciamento da mãe e do bebê
  • Interesse por jogos, bebidas ou drogas
  • Histórico pessoal ou familiar de depressão
  • Tristeza, choro fácil ou falta de interesse em fazer coisas que gosta
  • Sentimento de inutilidade ou comentários suicidas
  • Passar mais tempo do que o habitual no trabalho
  • Quando a esposa também sofre de depressão pós-parto

Como tratar

Especialistas afirmam que a depressão pós-parto é um problema de família, por isso o ideal é que seu marido converse com você. Lembre-se, vocês são uma equipe! Uma dica: antes de pensar que é você quem tem “direito” a se deprimir e não ele, perceba que ajuda-lo é ajudar indiretamente toda a família, que certamente ficará melhor com seu restabelecimento.

Outra dica é incentivá-lo a praticar atividade física, comer bem e, também, pode ser bacana investir em métodos relaxantes, como ioga, meditação e acupuntura, para reduzir o estresse.

E, claro, não hesite em buscar ajuda profissional. A depressão, seja na mulher ou no homem, é um problema sério e precisa ser tratado como tal. Um psicólogo ou mesmo um psiquiatra podem auxiliar. Grupos de apoio e sites que fornecem informações sobre a depressão pós-parto também contribuem para melhorar o quadro, funcionando como fóruns online em que outras pessoas que sofrem com o problema compartilham suas experiências.


 



Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário