Vérnix do recém-nascido: conheça a “capa” dos bebês e saiba para que serve

Por 0 Comentários


Entenda o que é, para que serve e quando deve ser retirado o vérnix caseoso. Suas funções são importantíssimas antes, durante e após o nascimento!

Você já deve ter reparado que os recém-nascidos nascem com uma camada branca pelo corpo. Mas você saberia dizer que substância é essa que reveste os pequenos? Pois eu te conto: é o vérnix caseoso, ou simplesmente vérnix. Esse composto é muito mais que uma “gosma” que parece exigir um banho imediato: trata-se de um verdadeiro creme protetor, com propriedades importantes para adaptar, mesmo que por poucas horas, aquela nova vida no mundo (e sobre as quais eu falo durante esse post). Ele também exerce uma função protetiva importante na vida intra-uterina, pois funciona como uma camada isolante que reduz o contato com microorganismos que possam estar presentes no líquido amniótico.

Esses benefícios do vérnix caseoso fazem com que algumas pessoas defendam, inclusive, que ele deve ser totalmente absorvido pelo recém-nascido ao invés de removido no primeiro banho, sabia?

Ficou curiosa para saber mais sobre o vérnix? Vem ver, eu conto tudo a seguir (e já adianto: o vérnix não é sujeira, ele têm funções específicas para a saúde do filhote!):

Imagem: 123RF

Do que é feito o vérnix?

O vérnix caseoso é um composto gorduroso, branco e formado basicamente por água, lipídeos e proteínas. A “capa” é produzida pelas glândulas sebáceas do bebê, por lanugem (a pelugem macia que reveste o corpo do recém-nascido) e por células epiteliais que sofreram descamação, entre a 18ª até a 38ª semana de gestação.

É justamente a idade gestacional que determina a grossura do vérnix – quanto mais novinhos os bebês, mais grossa a proteção com que eles nascem, devido à exposição da placenta ao meio aquático. Bebês que nascem na data prevista, com 40 semanas, nascem com pouco ou quase nenhum vérnix.

 

E para que o vérnix serve?

Ainda na barriga da mãe, o vérnix é útil na proteção contra micro-organismos do líquido amniótico, mantendo a impermeabilidade da pele. No parto, a camada ainda é útil contra atritos durante a saída do bebê, sendo um facilitador do nascimento.

Já depois que a criança nasce, o vérnix continua agindo como protetor em relação ao ambiente externo, combinando funções antibactericida, hidratante e termorreguladora. Como o bebê ainda não consegue manter a temperatura corporal constante, ele evita a queda brusca de temperatura em seu corpo. O vérnix possui também uma função antioxidante, pois contém vitamina E e melanina. Esses fatores contribuem para a saúde da pele do pequeno e, ainda, para a melhora da imunidade.

 

Removo o vérnix ou não?

O vérnix acaba sendo absorvido pelo próprio corpo do bebê entre 12 a 24 horas após o nascimento. O recomendado é que esse período seja respeitado antes do primeiro banho, justamente para assimilar todas as propriedades benéficas da camada no recém-nascido.

Contudo, casos específicos exigem que o vérnix seja removido logo depois do parto. É o que ocorre, por exemplo, com gestantes que tiveram determinadas infecções na gravidez, que possuem HIV ou quando há mecônio no líquido amniótico.

Mas vale frisar que, depois das 24 horas, o banho deve ser dado em todos os bebês, justamente porque acabam ficando vestígios de vérnix na pele. Mesmo com todos os benefícios citados, se não removidos, esses restos podem acabar causando infecções e alergias devido ao aumento da umidade na pele do bebê depois do nascimento.

 

Dica: segundo a Organização Mundial de Saúde, um período de 6 a 8 horas deveria ser respeitado antes da remoção do vérnix do bebê. Entretanto, nem todas as maternidades seguem esse protocolo, fazendo a retirada logo depois do nascimento. Por isso, converse com a equipe médica que irá te atender sobre o assunto, para entender como tudo acontecerá quando seu bebê chegar.


 



Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário