“Meu bebê bateu a cabeça”: fique alerta aos sinais de problemas e saiba o que fazer

Por 0 Comentários


Estar alerta ao risco de acidentes domésticos com bebês e crianças é uma constante na rotina dos pais. Afinal de contas, há perigos que podem ocorrer em meio a atividades comuns e aparentemente inofensivas, como a troca de fralda do bebê. Não é pequeno o número de mães que me contactam, dizendo que o bebê bateu a cabeça, inclusive! É um pouco difícil de imaginar, mas quedas de trocadores são muito comuns (inclusive, são uma das principais causas de idas ao pediatra e pronto-socorro infantil). E merecem mesmo muita atenção, pois uma pancada na cabeça do bebê (o famoso traumatismo craniano) pode trazer sequelas futuras e até causar deformações no pequeno, dependendo do grau da ocorrência.

Nesse post, eu falo mais sobre os perigos que ocorrem quando o bebê bateu a cabeça e os primeiros-socorros recomendados para a situação. Vale o alerta, para manter o filhote em segurança. Vem ver!

Imagem: 123RF

Meu filho bateu a cabeça, e agora?

Se o trauma foi grave, o primeiro passo é levar a criança ao pronto-atendimento. Já se tiver sido de leve, é válido colocar gelo no local da batida (para diminuir o edema ou inchaço), oferecer um remédio para dor e observar a reação do pequeno nas primeiras oito horas após o acidente. Caso você perceba alguma anormalidade também é necessário procurar ajuda médica – se o filhote está com confusão mental (trocando ou esquecendo informações básicas, como o nome dos pais), perdeu a consciência, apresenta sono excessivo (fora de hora), dificuldade para acordar, dor de cabeça, vômito ou até mesmo convulsões, não hesite em leva-lo ao médico.

Pode dormir depois de bater a cabeça?

Essa é uma dúvida muito comum dos pais. Mas os especialistas dizem que não há problema em deixar o bebê dormir depois de bater a cabeça (pois é normal sentir sono nesse momento). No entanto, verifique se o pequeno está consciente antes de adormecer (se ele chorar é um bom sinal, indica consciência). Atenção: o recomendado é apenas um cochilo, nada de sono profundo por mais de três horas, combinado?

Bebês são mais resistentes a pancadas na cabeça?

O que acontece é que, entre os ossos do crânio, existe um tecido fibroso (a “moleira”, que fornece elasticidade à região, para acomodar o cérebro enquanto o órgão cresce). Isso também faz com que, dependendo do trauma, o crânio possa “tolerar” a batida sem sequelas. Contudo, isso não significa que o bebê seja mais resistente – muito pelo contrário, os ossos dos pequenos, especialmente até os 18 meses, são mais frágeis.

É preciso prestar atenção também ao risco maior de quedas nessa fase, afinal, os recém-nascidos possuem a cabeça maior e mais pesada que o restante do corpo, o que facilita os tombos. Vale destacar que as sequelas de batidas na cabeça são reais, ainda que imperceptíveis em um primeiro momento. Então todo cuidado é pouco!

Quais sequelas meu filho pode sofrer de um traumatismo craniano?

Dependendo da intensidade da queda/batida, hematomas podem ser criados, especialmente se o trauma for na lateral da cabeça (atrás da orelhas), porque ali é uma região onde passam artérias (que podem ser rompidas).

Outro ponto de atenção é a nuca do bebê. Se a batida ocorrer ali, fique atenta, pois a região responde pela regulação de funções vitais do organismo.

Coágulo no cérebro e outras lesões neurológicas também podem ser decorrentes de um traumatismo craniano. Por isso, em casos graves, o pequeno pode até mesmo parar na UTI. Por meio de exames e atendimento médico, o pediatra irá analisar o melhor tratamento para a recuperação mais rápida e eficaz do seu bebê.


 



Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário