Por que o sono dos bebês “high need” é diferente?

Por 1 Comentário


Quando Catarina nasceu, eu percebi logo que tinha um bebê mais “complicado” em casa. E não era só eu que tinha essa impressão: minha mãe dizia que nenhuma das três filhas tinha chorado tanto nos primeiros meses. Minha sogra também relatava que percebia o quanto eu sofria para coloca-la para dormir (muito mais do que ela, com seus dois filhos). Enfim, foi realmente muito difícil lidar com a pequena logo que ela chegou – principalmente no quesito sono. Até hoje me arrepio pensando em quanto tempo eu levava diariamente tentando fazer com que ela adormecesse, para logo em seguida vê-la acordar (ainda irritada, por não ter conseguido descansar). Eu achava que a culpa era minha (para variar!), até que percebi que eu estava fazendo o meu melhor (e com muito esforço). E que alguns bebês são REALMENTE mais sensíveis do que outros.

Por isso eu adorei o post de hoje, da nossa consultora de sono Michele Melão. Nele ela fala sobre o sono dos bebês “high need”, exatamente como Cacá era. Venha entender as características desses pequenos, e mande de uma vez por todas embora a culpa de não conseguir fazer seu bebê (que é mais sensível também) dormir como você gostaria.

Por Michele Melão

Vocês já ouviram falar dos bebês que são “high need”? Mesmo que não tenha ouvido a expressão, provavelmente irá reconhecer algumas características dessas crianças, se tiver um bebê assim em casa:

– Necessita dos pais com uma intensidade maior do que as outras crianças.

– Chora mais e mais alto do que a maioria das crianças da mesma idade.

– Quer ficar no colo dia e noite (o contato corporal, especialmente com a mãe, precisa ser contínuo).

– É intenso, hiperativo, imprevisível, carente, muito sensível e difícil de acalmar.

– Come bastante / mama com mais frequência do que a maioria das crianças.

– Está aparentemente sempre insatisfeito.

– Tem um sono muito difícil.

Imagem: 123RF

E por que esse temperamento afeta o sono?

  • Estas crianças podem apresentar a mesma inquietação do dia, durante a noite. Costumam acordar mais e, como são crianças que precisam de muito contato corporal, precisam quase sempre de ajuda para voltar a dormir. Negar essa ajuda pode causar um despertar muito longo.
  • Estas crianças se comportam de forma diferente frente a sons e estímulos. Você já reparou que muitas crianças dormem em festas, restaurantes e passeios, sem o menor problema? Essa é uma capacidade de bloquear estímulos perturbadores – como o barulho ou mesmo algum pequeno desconforto como frio, calor ou um pouco de fome. Isso não acontece com bebês hipersensíveis. Eles reagem de maneira exagerada e acordam com qualquer barulho, não conseguem manter o sono se sentirem qualquer desconforto e não dormem com nenhuma carga sensorial.
  • Todas as transições são mais difíceis para estas crianças. Tirar do carro para a cama, do colo para o berço ou mesmo passar do estado de alerta ou sonolência para o sono profundo. Estas mudanças são difíceis para estes bebês e muitas vezes só conseguimos fazer alguma transição deste tipo se a criança estiver em sono profundo. É bastante difícil (mas não impossível!) que estas crianças durmam completamente sem ajuda.
  • A maturidade do sono destas crianças é diferente. Durante as passagens das fases dentro do ciclo de sono (de sono leve para o profundo e vice-versa), existe um período onde o sono fica bastante vulnerável, onde a criança é facilmente despertada. As crianças muito sensíveis são mais propensas a despertar durante este período de maior vulnerabilidade do sono e, quando isso acontece, geralmente precisam de ajuda para voltar a dormir.
  • Bebês high need têm um alto grau de ansiedade de separação e exigem uma situação de bem-estar durante todo o tempo para conseguir manter o sono. Isso significa manter o contato físico durante a noite, especialmente nas fases em que apresentam a angústia de separação.

 

Claro que é preciso analisar com cuidado para entender as necessidades das crianças. Cada bebê é único e não é porque ele chora, que necessariamente é um bebê high need. Qualquer desconforto ou mesmo a passagem por fases normais do desenvolvimento da criança – como ansiedade de separação ou picos de desenvolvimento – podem aumentar o choro e a irritabilidade da criança. Separações como a volta do trabalho da mãe ou o início em uma escola também podem alterar o sono, o apetite e o comportamento do bebê.

Todas as crianças precisam de atenção, carinho, apoio e afeto. A dica aqui é uma dose extra de paciência, já que o seu bebê não tem nenhum problema. Classificar um bebê como high need não é um diagnóstico, mas sim uma definição de um comportamento.






Arquivado em: Sono do bebê Tags:

Comentários (1)

Trackback URL

  1. Chirleanny Maciel Mendes disse:

    Ufa!creio que agora vou me libetar da culpa que sinto por ter ido tantos problemas com o sono do meu filho. Exatamente um bebê high need! Aos 7 meses recorri à consultoria de sono e consegui ter uuma noite de sono e ver meu filho finalmente descansar e sorrir. Obrigada Nivea e Michele.

Deixe seu comentário