Mães adotivas: 4 dicas para estimular a amamentação

Por 0 Comentários


Uma das facetas da maternidade que eu acho mais bonitas é a da adoção. Imagino que mães adotivas sejam dotadas de uma capacidade incrível de doação, e que isso se traduza em cada ato perante o filho. Mas o que muitas mães adotivas não sabem, é que elas também são capazes de amamentar o bebê que receberam com tanto amor. Claro que, apesar dos esforços, a produção de leite não é garantida, mas se você está nessa situação e considera a tentativa válida, esse post é dedicado a você!

Com algumas técnicas usadas inclusive por mães biológicas que, por diferentes motivos, produzem menos leite, é possível à mãe adotiva a oportunidade de amamentar seu filho com leite materno. Para que as chances de sucesso aumentem, vale informar o pediatra sobre o desejo de amamentar antes da chegada do bebê, assim, você tem mais tempo para se preparar (e, se tudo der certo, depois que o filhote vier fazê-lo crescer forte com o alimento que você gerar!).

Vem entender alguns dos procedimentos para estimular essa produção:

Imagem: 123RF

Relactação: essa técnica segue o princípio de que, quanto mais o bebê sugar a mama, mais leite será produzido – isso pelo estímulo aos hormônios (relacionados à amamentação) no corpo da mulher. Para fazer a relactação é necessário uma cânula, que é preenchida com leite artificial (aquele que for indicado pelo pediatra) e colocada junto ao mamilo da mãe. Daí, enquanto o pequeno recebe o leite, ele faz o movimento de sucção no peito da mamãe, e estimula a produção. Nesse post aqui eu conto com mais detalhes como funciona o procedimento, que é o principal para ajudar as mamães adotivas a amamentar.

Bomba: sabia que a bomba de tirar leite, se usada cerca de um mês antes da chegada do bebê, é mais uma forma de estimular a produção de leite materno? É verdade! Nesse post aqui eu mostro mais benefícios da bomba e as dicas para escolher o modelo ideal.

Medicamentos: existem alguns remédios que também estimulam a produção dos hormônios do leite. Contudo, alguns deles possuem diversos efeitos colaterais, por isso é necessário fazer uma boa avaliação com o pediatra para, se realmente não houver risco, ele fazer a indicação desses medicamentos.

Massagem e banho de sol: outras medidas caseiras que auxiliam a amamentação são massagens feitas no peito e banhos de sol nos mamilos. Enquanto o movimento de ordenha é benéfico (oriente-se sobre mais técnicas de automassagem com o pediatra), o sol traz uma pigmentação à auréola que ajuda a prepará-la para amamentar (o que geralmente ocorre naturalmente depois da gestação).

Não deu para produzir o seu próprio leite? Então, quando for dar a mamadeira ao filhote, não deixe de fazer desse momento menos especial. Assim como se fosse amamentar no peito, ofereça a mamadeira com calma e bastante carinho ao pequeno, bem pertinho dele – afinal, mesmo que o leite não seja seu, você não é menos mãe por isso e esse momento ainda é muito importante entre vocês, para fortalecer o vínculo mãe e bebê.

Ah, e sobre o leite artificial, ofereça ao filhote aquele que for indicado pelo pediatra. É fundamental a avaliação médica para garantir que todos os nutrientes de que a criança precisa sejam fornecidos da forma correta.






Arquivado em: Amamentação Tags:

Deixe seu comentário