Bebês de 4 a 9 meses dormem mais quando não estão no quarto dos pais!

Por 1 Comentário


Por Michele Melão

Hoje eu trago pra vocês vocês, leitoras do Mil Dicas de Mãe, um estudo novo que achei bastante interessante, publicado pelo periódico americano Pediatrics (veja ele aqui, em inglês, se você se interessar). O principal foco desse estudo era falar sobre a obesidade infantil, mas o que venho compartilhar nesse post é a conclusão dessa mesma pesquisa sobre o tempo, qualidade e a importância de cuidar do sono do bebê. E adivinhem: ela tem relação com o quarto onde o bebê dorme!

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que o quarto compartilhado seja feito até os 6 meses, para evitar a Síndrome da Morte Súbita do Lactente (a morte de berço). Já a Academia Americana de Pediatria tem por recomendação que os bebês fiquem no quarto dos pais até completarem um ano de idade (como falei nesse outro post). Entretanto, muitas pessoas têm questionado esse período maior (de um ano) indicado pela associação norte-americana, uma vez que a grande maioria das ocorrências de morte súbita (90%) acontece entre 0 e 6 meses.

Imagem: 123RF

O estudo que referenciei no início do texto, feito entre 2012 e 2014, mostra uma outra realidade sobre o sono dos bebês, após os 4 meses de idade. Por meio de questionários respondidos pelos pais dos bebês (desde o nascimento até os 30 meses), essas crianças foram subdivididas em três grupos:

1) bebês que dormiam sozinhos, em seus quartos, antes dos 4 meses.

2) bebês que passaram a dormir sozinhos dos 4 aos 9 meses.

3) bebês que dormiam com os pais depois dos 9 meses.

Vejam o que os pesquisadores concluíram sobre eles:

  • Até os 4 meses, a conclusão foi de que não importa onde o bebê dorme. A quantidade e qualidade do sono dos bebês é muito parecida.
  • Aos 4 meses, os bebês que dormiam sozinhos, tinham em média 46 minutos a mais de sono do que os outros dois grupos.
  • Aos 9 meses, os bebês que foram separados dos pais antes dos 4 meses dormiam 40 minutos a mais do que aqueles que ainda estavam dormindo com os pais.
  • Aos 30 meses, os bebês que já estavam sozinhos e foram separados dos pais dos 4 aos 9 meses, dormiam 45 minutos ou mais do que aqueles que ainda faziam o quarto compartilhado.

Resumindo, a conclusão do estudo é a de que colocar as crianças para dormir em seus quartos, separadas dos pais, dos 4 aos 9 meses, melhorará a qualidade e quantidade de sono dessa criança, tanto no curto, quanto no médio e longo prazos. Outro ponto importante do estudo é que o bebê que dorme em quarto separado acorda menos vezes durante a madrugada, ou seja, além da quantidade, a qualidade de sono do bebê também é maior.

Além disso, segundo a Academia Americana de Medicina do Sono e a Academia Americana de Pediatria, o sono inadequado (em qualidade e quantidade) foi associado a um atraso nos desenvolvimentos cognitivo e psicomotor, físico e socioemocional da criança.

Como o foco do estudo era a obesidade infantil, foi também constatado que o sono insuficiente é aceito como um fator de risco importante para a obesidade, começando já na infância, e que o sono irregular em crianças e adolescentes está sempre associado a padrões de sono inadequados do bebê. Ou seja, os bons hábitos precisam ser trabalhados desde pequenos.

O sono é uma habilidade que se aprende. Muitas crianças não têm esta habilidade e estudos como este mostram o quanto é importante darmos atenção a qualidade de sono dos bebês. É um alerta importante para todas as famílias.




Arquivado em: Sono do bebê Tags:

Comentários (1)

Trackback URL

  1. Erika disse:

    Nossa, que interessante!
    Nunca tinha pensado em deixar meu bebê dormir em outro quarto, por superproteção, mas é bom saber dessa pesquisa!

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail