Por que as grávidas devem se proteger das doenças de inverno

Por 0 Comentários


Quando pensamos em doenças de inverno, imediatamente nos preocupamos em proteger bebês e crianças desses males. Porém, outro grupo que merece atenção especial com a saúde nessa época do ano são as gestantes. Isso porque quem está esperando um filho também acaba ficando mais suscetível a pegar gripes, resfriados, infecções respiratórias e, ainda, problemas de pressão (que são graves nesse momento!).

Quando eu estava grávida de Catarina, peguei um resfriado atrás do outro (o que é comum, sabia? É como se o corpo tivesse uma queda na sua resistência natural, para permitir que outro corpinho – o do bebê – permaneça lá dentro sem ser reconhecido como estranho. A parte ruim é que não dá para tomar qualquer medicamento (pois você não pode correr o risco de colocar o feto em perigo), e o que era para ser um simples resfriadinho acaba dando um mal-estar danado!

Por isso, o melhor caminho para as gestantes é, sem dúvida, a prevenção desses problemas. Confira a seguir dicas da obstetra Priscila Cury, da Maternidade Pro Matre Paulista, sobre como se proteger na estação. O post está imperdível!

Imagem: 123RF

Quais doenças podem acometer as gestantes no inverno?

Além das já conhecidas alergias (como a rinite e a asma) e infecções (gripes, resfriados, sinusites), as gestantes devem se preocupar com o aumento da pressão arterial no inverno. Esse fato é justamente mais comum nos dias frios, porque, para conservar o calor do corpo, os vasos sanguíneos acabam se contraindo – o que aumenta a pressão.

“A consequência disso para as gestantes é o aumento da probabilidade de pré-eclâmpsia, doença que eleva a pressão durante a gestação e pode trazer danos graves à mãe e ao bebê”, afirma a obstetra Priscila.

E como se proteger?

O negócio é tentar fazer o frio passar longe!  “As gestantes devem aumentar a ingestão de líquidos, manter-se agasalhadas, evitar variações bruscas de temperatura e aumentar o consumo de vitamina C, principalmente por meio do consumo de frutas como acerola, laranja e limão”, explica a obstetra.

E, como a pré-eclâmpsia não tem prevenção, é fundamental fazer um bom acompanhamento pré-natal (pois quanto mais cedo o diagnóstico, menos perigo mãe e filho correm). “O mais importante é fazer um bom pré-natal para garantir que a mãe e o bebê estejam bem”, ressalta Priscila.

A profissional ainda aponta que as futuras mamães devem fazer atividade física moderada e, também uma limpeza nas peças de roupa e de cama de inverno antes de usá-las. “A primeira providência com a chegada do inverno é lavar tudo que está guardado, para eliminar os ácaros: casacos, cobertores e edredons. Além disso, a grávida deve evitar grandes aglomerações, pois favorecem a transmissão do vírus da gripe, por exemplo”.

Manter as mãos sempre limpas e não compartilhar objetos de uso pessoal são outros cuidados fundamentais que não custam ser lembrados.

A gripe me pegou! E agora?

Quem está grávida não pode esquecer de forma alguma: alguns remédios que não causavam problema antes, podem ser um perigo durante a gestação! Por isso, se a gestante estiver com sintomas de gripe que não passam, deve imediatamente procurar o médico, para saber direitinho o que pode tomar (não se automedique, hein?).

E outra: algumas doenças graves para a futura mamãe e bebê começam com os mesmos sintomas de uma gripe (como a toxoplasmose). Por isso, não hesite em procurar o médico se não estiver se sentindo bem, ok?




Arquivado em: Gravidez Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail