Discovery Cove: um dos parques de Orlando mais queridos pelos brasileiros (eu fui e descobri o porquê!)

Por 0 Comentários


Quando estive em Orlando há dois anos com Catarina, eu tinha muita vontade de visitar o Discovery Cove. Alguns amigos que já haviam estado no parque tinham me dito que a experiência havia sido muito bacana, e, claro, queria muito proporcionar isso à pequena. Só que eu não havia me programado com antecedência: achei que poderia incluir o passeio lá, dependendo do ritmo da viagem. Acabou não dando certo – Cacá teve uma febre de 39 graus nos possíveis dias que tínhamos para visitar o local. E mesmo que não tivesse ficado doente, provavelmente não teríamos conseguido ir, uma vez que é necessário fazer reserva prévia para o passeio (há uma capacidade máxima de cerca de 1.000 pessoas por dia). Portanto, fica aqui a primeira dica desse post: se quiser levar sua família, reserve seus ingressos antes!

Visão geral do parque. Imagem: Divulgação

Área de check-in na entrada do parque

O Discovery Cove é um parque completamente diferente de todos os outros que você encontra em Orlando (não é à toa que já foi escolhido por três vezes consecutivas como um dos melhores parques de diversões do mundo pelo TripAdvisor Traveler’s Choice na categoria Parques de Diversão e Aquáticos – que é baseado em avaliações e opiniões dos viajantes pelo site TripAdvisor). Ele não é um parque temático com personagens, e também não é um parque aquático convencional. A ideia aqui é ter um contato surpreendentemente próximo com a vida marinha: o ponto alto, segundo a maior parte dos visitantes, é a possibilidade de nadar com golfinhos (atividade liberada para os maiores de 6 anos, ok?). Outras atrações interessantes são o “The Grand Reef”, uma espécie de piscina de corais onde você pode andar no meio de arraias (que não oferecem perigo, obviamente), ou fazer snorkeling para a observação de diversas espécies de peixes e o Explorer’s Aviary, um aviário com aves encantadoras, que vêm comer na sua mão, e podem pousar, inclusive, em seus ombros ou cabeça!

Nadando com as arraias. Imagem: Divulgação

Vista da área de água doce, que tem até um rio para nado, na entrada do parque

Como vocês sabem, eu voltei a Orlando nos últimos dias, a convite do Sea World, para visitar quatro de seus parques na Flórida: o próprio Sea World, o  Aquatica (parque aquático), Busch Gardens (que fica na cidade de Tampa) e o Discovery Cove. E passando um dia lá consegui perceber por que o público gosta tanto de lá: as vivências que ele proporciona são mesmo inesquecíveis.

Conhecendo um tatu-bola de perto: um dos animais embaixadores do parque

Logo que chegamos, colocamos uma roupa própria de mergulho. Você verá quando estiver lá: a água é mais fria do que o convencional, pois é pensada para se adaptar às necessidades dos animais marinhos. Sim, eu nadei com um golfinho fêmea muito fofo, em uma atividade que dura cerca de meia hora. Antes do contato direto com o animal (sempre sob orientação do tratador especializado), você aprende um pouco sobre essa espécie: seus hábitos, forma de comunicação e até comportamento (sabia que entre os golfinhos tanto os machos quanto as fêmeas podem ser o líder do grupo?). Você consegue passar a mão no dorso do animal, e ao final pode nadar por alguns metros, sendo levado por ele.

Mas a melhor parte do passeio, para mim, ainda estava por vir. O que eu mais curti no Discovery Cove foi mergulhar com escafandro, em uma atração chamada Sea Venture (liberada para maiores de 10 anos). Ela não está inclusa no valor do ingresso, mas se você puder fazer e gostar de mergulho, eu recomendo muito! A proposta é que você desça a uma profundidade de quatro metros, para observar de perto peixes (e até tubarões! Levei um grande susto quando os vi – mas depois de alguns segundos, percebi que havia um vidro nos separando). Todo o percurso é feito a pé – você literalmente anda no fundo da piscina, enquanto respira normalmente (pelo nariz mesmo!) com o escafandro em sua cabeça. Veja no vídeo a seguir como é lindo lá embaixo!

O Discovery Cove funciona em sistema all-inclusive: você pode começar a experiência tomando café da manhã por lá, por exemplo. O almoço, as bebidas (alcóolicas e não-alcóolicas, para maiores de 21 anos), o filtro solar, os armários, as toalhas e o snorkel também fazem parte do pacote. O que não está incluso: o Sea Venture e as cabanas (um espaço mais reservado que você pode alugar para deixar suas coisas e aproveitar o frigobar que fica à sua disposição).

Restaurante do Discovery Cove

O preço do Discovery Cove parece ser “salgadinho” à primeira vista: a partir de 230 dólares mais taxas, aproximadamente (o valor muda conforme a época do ano). Mas além do dia em sistema all-inclusive, ele dá direito a 14 dias de acesso ilimitado a outros dois parques da companhia: o Sea World e o Aquatica. E por mais poucos dólares é possível comprar também o ingresso do Busch Gardens, e ter direito a estacionamento gratuito em todos os quatro parques (coloque na ponta do lápis o benefício e veja que não fica caro, se você pretende também visitar os demais parques).

Como dica final: se seu filho for pequeno (menor de 6 anos), ele não poderá participar do nado com o golfinho. Nesse caso específico, você pode comprar um ingresso com desconto, que custa a partir de 170 dólares mais taxas. Para os adultos ou crianças maiores esse tipo de ingresso não é uma opção, mesmo que você decida não nadar com o animal.

Informações:

Discovery Cove – para acessar o site e saber mais, clique aqui.

Horário: aberto todos os dias do ano, das 8:30h às 17:30h. O check-in dos visitantes começa às 7:30h. O parque pode abrir mais cedo na alta temporada.




Arquivado em: DiversãoViagem Tags:

Deixe seu comentário