Parto de lótus: conheça o parto em que os bebês continuam conectados à placenta depois do nascimento

Por 0 Comentários


Um dos primeiros procedimentos que os médicos fazem, assim que o bebê nasce, é o corte do cordão umbilical, certo? Mas você sabia que há mães que optam por esperar que a ruptura do cordão aconteça sozinha? Pois é! Elas mantêm os filhotes conectados à placenta por dias, depois que eles chegam ao mundo – é o chamado parto de lótus.

Essas mamães acreditam que dar à luz dessa maneira auxilia o bebê a fazer uma transição mais suave entre o útero e o mundo exterior. E, ainda, o parto dessa forma é visto como uma experiência espiritual (não à toa recebe o nome de parto de lótus, em uma referência à flor de lótus, relacionada à vida, pois nasce do lodo).

Se você está grávida ou pretende engravidar, é interessante conhecer sobre os tipos de parto e rituais que envolvem esse momento para fazer suas escolhas – como o parto de lótus, que eu conto nesse post como funciona. Vale a pena saber mais!

O que o parto de lótus tem de diferente?

Geralmente, as mães que optam pelo parto de lótus fazem parto normal, mas isso não é uma regra. Seja normal ou cesárea, a diferença entre o parto de lótus e os demais é que o cordão umbilical não é rompido. Ou seja, o bebê vai para casa conectado e acompanhado da placenta, e a família espera até o momento em que ela se rompa naturalmente, sem ajuda, o que geralmente acontece entre três e sete dias.

Quais os cuidados com a placenta?

Ao pensar em manter uma placenta em casa, muita gente pensa: mas não fica cheiro ruim no ambiente? E a resposta é que pode ficar, sim. Por isso, é necessário tomar uma série de cuidados com o órgão, até para não causar nenhum risco ao bebê.

Até o rompimento, a placenta deve ser cuidada, sendo mergulhada, por exemplo, em uma solução com água morna e sal. Também há quem opte pelo uso de flores e ervas no órgão, como em um verdadeiro ritual.

Durante esse período, muitas famílias decidem que as visitas não carregarão o bebê no colo, para que não haja nenhum risco de rompimento induzido. E durante a rotina da criança, como no banho ou na hora de amamentar, também é necessário ter cuidado.

O parto de lótus oferece algum risco?

Embora o parto de lótus seja feito por muitas mulheres ao redor do mundo, não existe ainda nenhum estudo que comprove cientificamente seus benefícios, assim como possíveis contraindicações à prática.

Contudo, os cuidados com a placenta, como dito anteriormente, visam evitar possíveis riscos aos bebês que permanecem ligados ao órgão fora do útero (como infecções). Por isso, se você resolver optar por esse tipo de parto, converse MUITO com a equipe médica antes, para que ela dê todas as orientações necessárias sobre o durante e o pós-parto. Assim, sua saúde e a do filhote serão garantidas.

E o que é feito com a placenta depois?

Como o parto de lótus é uma opção procurada por famílias que planejam um nascimento mais “natural”, geralmente elas optam também por espécies de rituais após o rompimento do cordão umbilical. Há quem recorra, por exemplo, à placentofagia, que é a ingestão de um pedacinho da placenta. O restante do órgão pode ser enterrado,  ou ainda transformado em cápsula ou tintura mãe, para ser usado posteriormente como homeopatia ou terapia floral.




Arquivado em: MaternidadeSaúde Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail