Precisamos falar sobre assuntos delicados com nossos filhos (masturbação)

Por 0 Comentários


Outro dia uma leitora do blog me escreveu, com uma sugestão de post. Ela me contou que estava em uma festinha infantil quando, de repente, uma criança da festa, que deveria ter por volta de 5 ou 6 anos, começou a tocar as partes íntimas. Sim, ela fez o que nós chamamos de masturbação – mas a palavra assusta, quando estamos nos referindo a uma pessoinha tão pequena, não é mesmo?

Esse é um assunto que eu costumo colocar na categoria de “delicados”. Porque para a maioria de nós, mães e pais, não é fácil falar sobre ele. Em geral, as pessoas associam imediatamente a masturbação ao sexo – o que deixa a coisa muito estranha, principalmente quando colocada na prática de uma criança. Mas vamos encarar a coisa de uma forma mais natural, para que possamos discuti-la aqui? Porque acontece mesmo, caros amigos – já vi, inclusive, muitas amigas professoras falando que presenciaram o fato em sala de aula (e na educação infantil).

assuntos delicados

Antes de pensar que o que a criança está fazendo é “feio”, vamos analisar o significado da masturbação de uma criança? Esse é um dos meios que ela encontra para descobrir seu próprio corpo (lembra que ela ficou encantada com as mãozinhas, pouco depois de nascer? Que parecia uma bolinha, ao tentar colocar seus dedos do pé na boca? Pois é, mais alguns exemplos de como ela estava tentando perceber o seu corpinho, só que de outras maneiras). E, sim, ela pode descobrir que, ao se tocar nas partes íntimas, há prazer. E aí, portanto, ela repete a ação, para ter aquela sensação de novo (que pode ser inconsciente! Quando você vê, ela já está fazendo, em qualquer lugar – porque a criança não tem o “filtro” que os adultos têm, e que diz que isso não pode ser feito em público).

Bom, mas então o que fazer? Simplesmente deixar que a criança se descubra dessa forma? Acho que aí nos cabe mostrar que existem algumas normas sociais a serem respeitadas, até para a própria segurança da criança. Porque é imprescindível que ela comece a perceber, mesmo que seja pequena, que deve haver cuidado com seu corpo. QUE ELA PRECISA CUIDAR DO SEU CORPINHO. Essa é uma frase que uma amiga querida costumava dizer para os filhos, que são pouco maiores do que Catarina. Desde cedo ela repetia para eles, e eu achava super legal: “você vai brincar na casa do amiguinho, que bacana. Divirta-se, não brigue, seja educado e cuide do seu corpinho”. Acredito que essa seja uma maneira de começar a prevenir que abusos aconteçam.

Assim, acho que precisamos falar com nossos filhos sobre cuidar do corpo, o que engloba uma porção de coisas. Tomar banho, escovar os dentes, cortar as unhas. E também que algumas partes do corpo não devem ser tocadas em público. E outras não devem ser tocadas por outras pessoas, em nenhum lugar.

Eu sei que é complicado falar sobre isso, mas precisamos. É do nosso medo de falarmos sobre algumas coisas que surgem situações ruins que poderíamos ter prevenido.






Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário