Estudo mostra que celulares e tablets diminuem tempo de sono das crianças

Por 0 Comentários


Você deixa seu filho usar celulares e tablets? Acredito que quase todas as mães que leem o blog, e que tem filhos de mais de dois anos, responderiam que sim. Eu não sei se vocês sabem, mas a Academia Americana de Pediatria recomenda que o primeiro contato das crianças com o meio digital ocorra somente a partir dos 18 meses. Entretanto, um estudo publicado recentemente por pesquisadores de universidades do Reino Unido mostrou que 75% da garotada já usam plataformas touchscreen (como celulares e tablets) diariamente, a partir dos 6 meses de vida – o que bate com as informações que obtenho por aqui, por meio das conversas com muitas leitoras do Mil Dicas de Mãe.

Imagem: 123RF

Aqui no país, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que esse mesmo contato com os eletrônicos ocorra a partir dos 2 anos de idade (sendo bastante sincera, Catarina só não pegou um tablet muito antes disso porque não tínhamos na época). E essa recomendação teria um bom motivo para ser feita: vem sendo provado que o maior tempo em frente às telas, inclusive de maneira precoce, está associado, entre outros problemas, ao sedentarismo (e consequente ganho de peso), ansiedade, hiperatividade e dificuldade de aprendizado.

A prática prejudica também o sono, como demonstrado no estudo britânico, que envolveu 715 famílias. Por meio de um questionário online, os pais relataram qual a duração média do sono (diurno e noturno) do filhote, quanto tempo o pequeno levava para adormecer e, ainda, qual a frequência de despertares durante o sono da criança.

Observando as respostas dos pais e outros fatores, como idade, sexo, educação e exposição à TV e aos aparelhos touchscreen por parte da criançada, os pesquisadores observaram que os pequenos que passaram mais tempo em contato com esses equipamentos eletrônicos acabaram dormindo menos e, ainda, demorando mais para pegar no sono.

Em números, os resultados foram os seguintes: cada hora em contato com o touchscreen correspondeu a 26 minutos a menos de sono noturno, além de dez a menos no diurno (ou seja: essas crianças se mostraram com 15,6 minutos a menos de sono total que as demais).

Apesar dessas constatações, o estudo não mostrou relação entre o uso de equipamento touchscreen e o número de vezes que as crianças despertam durante o sono. Já sobre as outras variáveis analisadas, não foi observada relação entre a educação das crianças e o sono, mas os pesquisadores notaram que crianças mais velhas dormem mais (de dia e à noite) e também despertam menos depois de adormecer. Outra curiosidade é que os meninos se mostraram dormindo mais que as meninas durante o dia.

Uso do touchscreen aumenta com a idade

Mais uma descoberta do estudo é que a frequência do uso diário de aparelhos touchscreen pelas crianças aumenta conforme elas vão crescendo. Os pesquisadores constataram que, enquanto pequenos entre seis e 11 meses usam diariamente os equipamentos por cerca de oito minutos, entre aqueles de 26 a 36 meses essa duração muda para 45 minutos por dia.

Também foi observado que, enquanto 51% das crianças entre seis e 11 meses fazem uso desses aparelhos todos os dias, são cerca de 92% da garotada entre 25 e 36 meses que os usam com frequência diária.

Ainda faltam novos estudos que ajudem a explicar por que as telas prejudicam a qualidade do sono das crianças, embora fatores como a exposição à luz desses equipamentos sejam apontados como negativos. De qualquer forma, vale a tentativa de deixar o uso dos aparelhos por pouco tempo entre os pequenos!




Arquivado em: Cuidados diáriosDesenvolvimento Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail