7 Razões pelas quais o sono do seu filho pode piorar

Por 0 Comentários


Ah, os bebês! São verdadeiras caixinhas de surpresas! Sabe quando você finalmente comemora que seu filho passou a dormir bem, e (poucas) semanas depois a coisa desanda novamente? Pois é, acontece mesmo!

E tendo contato com tantas mães por meio do blog, hoje eu vejo que esse é um problema extremamente comum , sobretudo no primeiro ano de vida do bebê. Por isso, nada melhor do que ouvir a palavra da nossa querida consultora de sono, Michele Melão, sobre a questão! Aproveitem a leitura!

Por Michele Melão

A maioria das mães que nos procuram têm histórias parecidas com o sono do bebê. Geralmente seus filhos nunca foram dorminhocos, sempre tiveram o sono muito leve, sensível às mudanças de rotina, dificuldades para adormecer e, praticamente desde o nascimento, dormiam menos tempo do que a maioria da mesma idade.

Mas, e quando o bebê dorme bem e de repente começa a acordar de madrugada? No texto de hoje eu falo sobre isso e dou dicas para as mães passarem por estes momentos difíceis com mais tranquilidade.

Imagem: 123RF

  1. Regressões de Sono: até os dois anos o bebê passa por diversas regressões no sono. Elas acontecem porque o bebê está crescendo, se desenvolvendo, adquirindo novos hábitos, dormindo menos durante o dia – e durante estes períodos, o sono pode ficar ruim por 2 ou 3 semanas. Acontecem geralmente aos 4, 8, 12, 18 e 24 meses. A dica durante estas semanas é fazer o possível para não criar associações de sono diferentes da que seu filho já tem e ter a paciência de esperar pelo fim dessa fase.
  2. Dentição: a dor nos dentinhos pode aparecer até dois meses antes deles erupcionarem (“rasgarem a gengiva”), e esse é um momento difícil para algumas crianças. Muitas nem mesmo sentem o nascimento dos dentes, enquanto outras podem ter febre ou diarreia. A dica neste caso é sempre consultar o pediatra, para que ele receite algo que alivie o desconforto da criança, e usar mordedores (gelados e firmes) – especialmente no fim do dia, quando a criança já está cansada e os incômodos se tornam maiores. Se o problema de sono da criança for só causado pelo dente, geralmente ele atrapalha mais o adormecer: a criança fica mais resistente ao sono por causa da dor.
  3. Picos de Desenvolvimentoos bebês passam por diversos aprendizados, especialmente no primeiro ano de vida. Muitas vezes eles acordam diversas vezes de madrugada e querem praticar o que aprenderam (engatinhar, falar, sentar). A dica é deixar que seu filho pratique muito estas novas habilidades durante o dia. Incentive bastante, para que ele não tenha vontade de fazer isso de madrugada.
  4. Transição das Sonecasmuitas vezes o bebê já tem peso e idade suficientes para se manter acordado durante o dia por mais tempo, mas, como o corpo está acostumado a uma rotina, ele continua dormindo bastante nesse horário. É importante observar estes períodos de transição e, se o sono do dia estiver atrapalhando o noturno, começar a ajudar seu filho a estabelecer um novo hábito. Exemplo: um bebê de 10 meses que faz três sonecas por dia pode acabar compensando esse sono, ficando acordado à noite. Muitas vezes tirando uma soneca do dia, para que ele faça apenas duas, o filhote voltará a dormir melhor. A dica é perceber a capacidade de sono do seu filho dentro das 24 horas do dia e ajustar isso à quantidade de sono noturno e sonecas ideais para o peso e idade dele.
  5. Doença: mesmo crianças que dormem muito bem podem ter o sono difícil quando ficam doentinhos. Algumas medicações podem mexer com o sono, além do incômodo provocado pelos sintomas e muitas vezes a necessidade de ter o sono interrompido para fazer algum tratamento. Nestes casos, assim que a criança estiver bem de saúde, os pais devem retomar os hábitos antigos, para não correr o risco de criar um padrão de sono ruim para o bebê, além de verificar com o pediatra todos os efeitos dos medicamentos e o que pode ser feito para o bebê se sentir mais confortável.
  6. Quebras de Rotina ou Mudanças na Vida da Criança – mudar de casa, viajar por muitos dias, a chegada de um irmão ou um início na escola. Estas mudanças grandes na rotina do bebê podem sim prejudicar o sono. Muitas crianças vão precisar de uma atenção especial para se adaptar à nova vida, especialmente nas primeiras 3 semanas de adaptação. Depois deste período, a dica é voltar a maneira como seu filho era colocado para dormir, para que retome o bom sono o quanto antes.

Mesmo as crianças que dormem muito bem podem ter uma noite ou outra com mais dificuldade. Podem ocorrer pesadelos, desconfortos, e não há nada que podemos fazer para evitar isso. Desta forma, é importante que os pais observem a causa da regressão e trabalhem rapidamente para retomar o bom sono. Muitos me perguntam se a criança desaprende a dormir. O que eu acredito é que a criança aprende uma nova forma, por isso a resposta dos pais para as regressões de sono é o que vai fazer toda diferença depois que o período de dificuldade passar.




Arquivado em: Sono do bebê Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail