4 atividades (bem dinâmicas!) para mães: para perder peso e recuperar a autoestima!

Por 0 Comentários


Recuperar o corpo (e, principalmente, a barriga) que tínhamos antes da gravidez é um desejo de boa parte de nós, mães, não é verdade? Para mim, equilíbrio nesse desejo é sempre a melhor pedida: acho que a perda de peso deve ser feita com bastante critério, sem expectativas pouco realistas (como falei nesse post aqui), e, sobretudo, sem prejudicar a amamentação. Claro que é direito de toda mãe se cuidar e se enxergar bonita (o que faz bem para toda a família), e dá para fazer isso sem estresse, e com ganho em saúde.

É evidente que logo depois que o bebê nasce, as tarefas com o pequeno ocupam todo o tempo da mulher. E se sobram cinco minutinhos no dia, tudo o que você deseja é se jogar na cama e tirar um cochilo reparador, concorda? Mas, depois de alguns meses (e, obviamente, de uma ida ao ginecologista, para que ele te libere para a volta às atividades físicas), pode ser a hora de cogitar a prática de algum exercício – para perder medidas e, o mais importante, recuperar a autoestima com saúde.

Vale destacar que só a prática de caminhada já é uma atividade com muitos benefícios para a recém-mãe, mas existem outras alternativas que costumam trazer resultados mais rápidos. Por isso, reuni nesse post quatro sugestões de atividades físicas bem diferentes (que fogem das repetições da musculação, que eu, particularmente, acho chatas pra caramba!) – e que são aliadas na perda de peso em menor intervalo de tempo e, ainda, na definição muscular e no condicionamento físico, dando mais energia para as outras atividades cotidianas!

Atenção! Respeite SEMPRE os limites do seu corpo e converse antes com o educador físico e com o ginecologista para se certificar de que já pode retornar à academia e com qual frequência. Vale salientar que, às vezes, a prática da atividade não é vetada, mas é necessária uma adaptação em alguns exercícios.

Imagem: 123RF

Nos primeiros meses após o parto o mais interessante são exercícios de baixo impacto, especialmente durante a amamentação (pois os de alto impacto podem interferir na produção de leite), como pilates e hidroginástica.

Depois de mais um tempinho, estando tudo ok, dá para cogitar uma atividade mais intensa. Daí, pelo menos uma aula experimental de alguma dessas modalidades abaixo pode ser interessante para ver a que mais combina com você!

Balé funcional (ou fitness)

Se você já fez balé clássico em algum momento da sua vida, então você sabe: no início da aula é feito um alongamento caprichado, depois são praticados exercícios envolvendo os músculos que serão trabalhados na dança e, por fim, vem a prática dos passos e da coreografia propriamente dita. Agora, na versão funcional, o foco é especialmente nas duas primeiras partes da aula do balé.

Exercícios na barra e ainda com bolas, fitas e pesinhos (mas principalmente o peso do próprio corpo) compõem uma aula de balé funcional, que trabalha, em cerca de 50 minutos, a parte aeróbica, o tônus muscular, o condicionamento físico e, de quebra, a postura, a flexibilidade e o equilíbrio. O gasto energético de uma aula (claro que depende de cada pessoa, mas) pode chegar a 800 kcal. Eu já fiz uma tentativa e quase morri, mas tenho amigas (que são mães de dois e até três filhos) que mantêm o corpo de uma forma bem legal com esse tipo de exercício!

Circo

Na aula de circo também são trabalhados exercícios que envolvem o peso do próprio corpo e que, a partir daí, desenvolvem a força muscular, a perda de peso e, ainda, o equilíbrio e a consciência corporal. Em uma só aula, até 500 kcal podem ser perdidas.

Exercícios em aparelhos como arcos, tecido e trapézio são alguns que compõem uma aula de circo – depois de uma boa dose de alongamento, claro. Um ônus da prática da aula do circo é que, durante quase toda a aula, é necessário se equilibrar e, com isso, os músculos do abdômen acabam sendo exercitados (além dos das pernas e braços, principalmente).

Muay Thai

Você já cogitou fazer artes marciais? Pois vale a pena conhecer uma delas nesse post: o muay thai (a arte marcial tailandesa). A aula, bem dinâmica, pode acarretar em um gasto calórico de até 450 kcal. Ou seja, emagrece e ainda conta com uma série de exercícios para fortalecer o abdômen.

Imagem: 123RF

Durante uma aula de muay thai, são feitos movimentos repetitivos que trabalham braços, pernas, abdômen e quadril (tchau, gordurinhas laterais!). Só o ato de chutar (movimento mostrado na imagem, feito frequentemente durante a aula) já colabora para afinar a cintura. Todo o resto da prática ainda contribui com a perda de peso, tônus muscular, além da resistência física e melhora do quadro cardiovascular.

Treinamento funcional

O treinamento funcional trabalha o corpo utilizando movimentos naturais que fazemos no dia a dia (mas com mais intensidade, claro), como correr, pular, empurrar e agachar. Em um mesmo treino, podem ser trabalhadas habilidades diferentes, como treino aeróbico e equilíbrio, o que foge da monotonia da musculação (sem deixar de lado a definição muscular e sendo eficiente no emagrecimento).

Para completar os exercícios (embora muitos usem somente o peso do próprio corpo), o uso de acessórios como cones, elásticos, cordas e bolas são recomendados (e ajudam a trabalhar mais profundamente a musculatura). E o mais legal: os exercícios podem ser feitos dentro da academia ou fora – é uma prática bem dinâmica!

Sem pressão!

Essas atividades são só algumas sugestões, combinado?  O mais importante, para a prática de qualquer uma delas, é ter sempre o acompanhamento de um profissional por perto. E para que você fique feliz com o resultado, eu acredito MUITO que o melhor é escolher algo que sinta vontade de fazer! Afinal, o foco é sempre o bem-estar da mamãe.




Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail