Repelente infantil em viagem: por que você não pode esquecer!

Por 0 Comentários


Viajar com criança é tudo de bom! Sou daquelas mães com rodinhas nos pés: falou em viajar, sou a primeira a fazer as malas, desde que Catarina era bebê. Temos uma casa no campo, viajamos várias vezes para a praia, e confesso que existia um item que eu sempre me esquecia de colocar na mala – o repelente para o corpo. Na maior parte das vezes, eu acabava me lembrando apenas quando chegava ao destino, e via aqueles aparelhinhos de tomada dentro do quarto do hotel, indicando que havia mosquitos na área. Aí a solução era apelar para a lojinha do local (pagando três vezes mais do que na farmácia perto da minha casa), para evitar que a pequena fosse picada.

Mas aconteceu um fato na minha família que me fez nunca mais esquecer o repelente. O filho de uma prima, com apenas 1 aninho, inchou tanto com as picadas de mosquito que acabou tendo que tomar uma injeção de anti-alérgico no hospital. Claro que a viagem da família acabou ali, apesar do pequeno ter melhorado relativamente rápido. Se uma picadinha já incomoda tanto um adulto, imagina o desconforto em um bebê? Como nessa fase eles não conseguem falar, é natural que passem boa parte do tempo chorando pelo incômodo (dá até um aperto no coração).

Imagem: 123RF

Mas qual é a melhor solução para crianças? É importante lembrar que nenhum produto é indicado antes dos 6 meses de idade, Mas a partir dessa idade algumas substâncias podem ser utilizadas – sendo que uma das recomendadas é a icaridina (que no rótulo pode vir com seu nome científico, a Hydroxyethyl Isobutyl Piperidina). Além de ter uma longa duração, esse repelente é muito eficaz na proteção contra o Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue, Zika e da Chikungunya.

Até pouco tempo atrás, não havia muitos produtos à base de icaridina que pudessem ser usados em bebês a partir dos 6 meses. Mas é legal saber que recentemente a marca SBP lançou um repelente com icaridina, que pode ser usado em bebês a partir dessa idade, e também por grávidas* (é dermatologicamente testado e não tem fragrância). Até os 2 anos a recomendação é usar até duas vezes por dia, e nos maiores as aplicações podem sermais frequentes, respeitando a recomendação de uso dos rótulos.

Outra questão que muitas mães me perguntam é se o melhor é usar o repelente na forma gel ou spray. Acredito que isso seja uma questão bem pessoal, mas consigo dar algumas dicas para você escolher o melhor para o seu filho: a forma spray é  fácil de passar, porque rapidamente você consegue aplicar numa área grande do corpo do filhote. Já o gel pode não ser tão prático, pois precisará utilizar as mãos para a aplicação. Essa linha da SBP, inclusive, tem as duas formas de apresentação, spray para a família e para as crianças e o gel. Eu tenho ambas, e aplico conforme a necessidade.

Enfim, achei interessante dar essa dica, pois agora no verão é a época de maior incidência de mosquitos, e de maior transmissão das doenças causadas por eles. Vale a pena levar sempre um repente infantil com você, para que o filhote não seja picado!

Maiores informações: http://www.sbpprotege.com.br/produtos/repelente-pessoal/sbp-repelente-advanced/




Arquivado em: Publieditorial Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail