7 passos para evitar que seu filho desidrate!

Por 2 Comentários


Enfim o calor chegou, época do ano em que queremos curtir bastante com os filhotes! Eu me lembro que, desde que Catarina nasceu, eu festejava a chegada do verão, porque conseguia levá-la à praia, passar horas na piscina, e fazer uma viagem mais longa durante as férias. Para quem é mãe de criança pequena esses são pequenos luxos que não têm preço!

Como já comentei aqui no blog, Catarina tinha muitos problemas respiratórios nesses primeiros anos de vida – e o verão também era comemorado por isso (pois a incidência de bronquiolites e crises de asma diminui sensivelmente nesse período). Mas o que eu não sabia é que deveria ficar atenta a outro ponto de sua saúde: a desidratação. Um bebê perde água muito rapidamente e pode desidratar seriamente em menos de 24 horas. Certa vez a pequena teve três episódios de vômito em sequência e, quando cheguei ao pediatra, ela já demonstrava uma leve desidratação (que por pouco não precisou de soro na veia!).

Imagem: 123RF

Depois desse dia, percebi que a desidratação deve ser uma preocupação constante das mães de crianças durante o verão, e por isso gostaria de compartilhar alguns cuidados que você pode ter em casa e que ajudam muito a reduzir o risco do problema. Olha só:

  1. Amamente o máximo possível. Isso porque o leite materno é um alimento rico, completo e cheio de anticorpos. Só por esses motivos, o ideal é que você mantenha o aleitamento exclusivo até os 6 meses de vida do seu bebê, e que continue amamentando enquanto introduz novos alimentos em sua dieta. Outro ponto a se pensar é que o leite artificial requer o uso de água, que pode estar contaminada e levar a quadros de diarreia (que é uma das grandes causas de desidratação em bebês). Principalmente em viagens a locais de difícil acesso, em que você não tem controle sobre a procedência da água, o peito é sempre a melhor opção!
  2. Ofereça água ao seu filho quando ele já não estiver em aleitamento exclusivo. Algo que eu aprendi como mãe é que, muitas vezes, a criança está morrendo de sede, mas não pede água. Isso porque ela está mais interessada em brincar do que em qualquer outra coisa! Por isso, se seu filho já estiver fazendo uso de outros alimentos, ofereça pequenas porções de água durante todo o dia – assim você garante que ele fique bem hidratado no calor intenso.
  3. Mantenha o bebê (e a criança pequena) em locais arejados e frescos e evite horários de sol intenso (entre 10 e 16h). Mesmo com o uso de filtro solar de alta proteção (após os 6 meses, pois antes disso o produto não é recomendado), lembre-se de que a pele do bebê é muito sensível e pode perder água rapidamente. Por isso planeje a ida à praia ou piscina para o início da manhã ou o fim da tarde.
  4. Cuidado com dores de garganta e ouvido. Essa é uma dica importante, porque nem sempre você as relaciona à desidratação. Mas muitas vezes, diante desses quadros, o bebê começa a rejeitar todo tipo de alimento, inclusive os líquidos. Além disso, ele pode ter febre, transpirar e perder muito líquido corporal. O segredo, para evitar a desidratação, é insistir na ingestão de água durante o dia todo, pois certamente o filhote não será capaz de beber muito de uma só vez.
  5. Muita atenção com a diarreia! Como eu disse anteriormente, esse é um dos maiores vilões dos bebês durante o calor. A criança em geral é infectada por um vírus ou bactéria e começa a evacuar com muita frequência, perdendo água e sais minerais nesse processo. E se você não tratá-la, a situação fica realmente grave (tanto é que a diarreia ainda é uma das maiores causas de morte na primeira infância no mundo!). Como eu já comentei nesse post aqui, assim que você desconfiar que seu filho está com diarreia, leve-o ao pediatra para uma avaliação do problema e do nível de desidratação. Se a doença for de origem bacteriana, ele receitará um antibiótico para o tratamento. Atém disso, o médico de Catarina costuma indicar o uso de probióticos (microorganismos “do bem” vivos, que ajudam na recuperação da flora intestinal e no restabelecimento de uma evacuação normal), como o Floratil® (link)- que começa a agir 4 vezes mais rápido do que os concorrentes (os outros chegam a levar 1 dia para fazer efeito). Eu acho o produto bastante prático porque pode ser dado a partir do 1º mês de vida. Antigamente só havia a versão em cápsulas (que pode ser aberta e você coloca o pozinho na comida ou na bebida), mas atualmente existe também a versão em sachê, sabor tutti frutti, que pode ser dada diretamente na boca da criança (ou também misturada ao leite, suco ou comidinhas). Mas, claro, por se tratar de um medicamento, é fundamental que você converse com o médico do seu filho antes de usar.
  6. Doenças com manifestações na boca, como a estomatite herpética e o sapinho (que é, na verdade, um fungo), podem atrapalhar a alimentação. A criança fica com muita sensibilidade na boca, pois tudo o que encosta causa dor (por isso ela para de comer e de beber). Uma dica, nesses casos, é dar água e outros líquidos no canudinho, pois dessa forma o contato com a região mais anterior da boca (que tende a estar mais sensível) é menor.
  7. Aos primeiros sinais de desidratação (que você pode conferir nesse post aqui), não bobeie – procure um médico e tente fazer a reposição de líquidos. Além do leite materno, as melhores opções para fazer isso são o soro caseiro (200mL de água, 1 medida rasa de sal e 2 rasas de açúcar – a colher medidora você encontra na farmácia) e produtos prontos para o consumo, como o Floralyte® (que você abre e a criança já pode tomar).

Espero que as dicas tenham sido úteis para você! E se restar alguma dúvida, me conta nos comentários!

FLORATIL® É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA
Floratil® (Saccharomyces boulardii-17 liofilizado) M.S 1.0089.0090. Floratil® está indicado como auxiliar na restauração da flora intestinal e também como auxiliar no tratamento de diarreias de diferentes causas.
FLORALYTE® É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA.
Floralyte® (cloreto de sódio, citrato de potássio monoidratado, citrato de sódio di-hidratado, glicose anidra). MS 1.0089.0336. Floralyte® 45 é indicado para prevenir a desidratação ou manter a hidratação (após a fase de reidratação), em quadros de diarreia aguda, de qualquer causa, tanto em crianças quanto em adultos. Floralyte® 90 é indicado na reidratação ou para a manutenção da hidratação (após a fase de reidratação), em quadros de diarreia aguda, de qualquer causa, tanto em crianças quanto em adultos.
SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. 




Arquivado em: Cuidados diáriosPublieditorialSaúde Tags:

Comentários (2)

Trackback URL

  1. Jussara Miranda de Jesus disse:

    Minha filha tem 1 ano e 6 meses e dá um trabalho sanado pra fazê-la beber água. O que eu faço?

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Jussara,
      Dê aos pouquinhos, para que, ao longo do dia, ela tenha tomado o suficiente. De golinho em golinho você chega lá! Lembre-se também que as frutas têm alto teor de água, então incentive-a a comer. Beijos!

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail