10 coisas que você não deve falar para uma mãe de primeira viagem

Por 0 Comentários


Se tem uma fase na vida em que os palpites irritam muito, é quando você se torna mãe pela primeira vez (como eu não tenho um segundo filho, não sei se a experiência é a mesma, ou se você vai ficando mais “esperta” ao lidar com os comentários sobre como os outros acham que você deve cuidar do seu filho). O fato é que existem coisas que as pessoas não deveriam falar para uma mãe de primeira viagem – seja porque ela não tem muita segurança (e se irrita mesmo!), porque está se acostumando com essa nova vida, ou pela baixa hormonal típica do pós-parto (e que nos faz virar verdadeiras leoas!).

Por isso, fiz uma pequena lista nesse post de algumas frases que uma mãe não gosta de ouvir – que tal compartilhar “delicadamente” na sua timeline, para dar uma “dica” aos desavisados (hihihi)?

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

1) Se pegar muito no colo o bebê vai ficar mal acostumado!

Tenho certeza de que você já ouviu essa frase em algum momento, estou certa? Eu ouvi muitas vezes, e sabe o que é pior? Eu acreditei que era verdade! Por meses eu evitei que Catarina ficasse muito tempo no meu colo – por isso usei bastante o carrinho de passeio. Sabe o que eu faria com um segundo filho? O inverso! Aproveitaria muito essa fase, porque ela passa rápido! E o contato com a mãe só acalma o bebê – por isso, se seu filho pede, aproveite o sling, ou simplesmente o coloque bem perto do seu coração, para ouvir as batidas!

 

2) Oferece só um pouquinho “disso”, para a criança não passar vontade!

Claro que o “isso” geralmente não é algo saudável, como abobrinha, cará, mandioquinha… E, cá entre nós, que bebê vai “passar vontade” se deixar de experimentar refrigerante, doce, ou fritura? Ele nunca provou! A curiosidade dos pequenos é natural, mas cabe aos pais definirem o que desejam apresentar ao filho, e quando!

 

3) O meu bebê já fazia várias coisas com essa idade…

Cada criança tem o seu tempo, por isso, não importa se o seu filho engatinhou, andou ou falou antes de outro. Que tal respeitar o desenvolvimento alheio e evitar comparações? Engraçado que quase ninguém fala o inverso: que o filho fez algo depois, mais tarde, com mais dificuldade… E isso é normal também!

 

4) Cuidado! O seu filho está muito apegado a você!

Muitas mulheres defendem a criação com apego e isso inclui oferecer amor, carinho e atenção aos pequenos. Eu, pessoalmente, não vejo problema algum nisso! Aliás, virei partidária, depois que comecei a estudar um pouquinho mais sobre o desenvolvimento infantil, e a perceber na prática os benefícios de um vínculo estreito entre mãe (ou pai) e filho. Isso não tem qualquer relação com dependência ou insegurança, muito pelo contrário! Crianças que se sabem amadas se sentem mais seguras para ganhar o mundo, pois sabem que têm para onde voltar!

 

5) A criança não se desenvolve porque você faz tudo o que ela quer…

Não tem nada mais irritante do que ouvir que o bebê não anda porque você oferece tudo em suas mãos, ou que o pequeno ainda não fala porque você entende tudo o que ele quer dizer. Ao ouvir isso, claro que vale uma reflexão (afinal, pode haver conhecimento de quem fala ali), mas se concluir que é apenas o desenvolvimento natural do seu filho, relaxe! E deixe que entre por um ouvido e saia pelo outro!

 

6) Deixe o bebê chorar, porque do contrário ele vai ser muito mimado!

Quando alguém fala isso sobre um adolescente, eu acredito e assino embaixo! Agora com um bebê a história é outra! Já pensou que o choro é a única forma de comunicação verbal, no início da vida? E com tão pouco tempo de vida, um bebê não pode ser manipulador – ele apenas manifesta que precisa de algo! Com o tempo, aprendendo a falar, é natural que ele deixe as lágrimas de lado, e fique mais tranquilo.

 

7) Peito não sustenta!

Tenho certeza de que você já ouviu também por aí: “nossa, mas você ainda amamenta?”, “mas o seu leite é fraco, não vai nutrir o bebê”. Para essas pessoas, a resposta é simples: o leite materno é o melhor alimento que o bebê pode receber! E mais: a OMS recomenda 6 meses de amamentação exclusiva, e aleitamento até pelo menos 2 anos de idade. E fim de papo!

 

8) Mas ele já toma mamadeira?

Como as pessoas não estão satisfeitas em criticar somente a questão da amamentação, elas também vão dar palpites se você der mamadeira para o seu filho. Minha dica é: jamais faça isso com uma mãe, pois você não sabe os reais motivos que a levaram a interromper a amamentação. Respeite!

 

9) Acho que o seu filho está passando fome!

Se os bebês só chorassem por fome, não seria uma maravilha? Afinal, começou a chorar, bota no peito e o assunto está resolvido! Mas na prática… Os pequeninos choram por cólica, por cansaço, por frio, por fralda molhada, e mais uma infinidade de outros motivos! Quem é mãe sabe (mas, infelizmente, nem sempre lembra!).

 

10) Quando você vai arrumar outro filho?

Primeiro, te pressionam para casar. Depois que você casa, deve ter o primeiro filho. Quando este nem bem chegou ao mundo, as pessoas já querem saber quando você terá outra criança. Falar sobre outro bebê com uma mãe de criança pequena é como perguntar a ela se deseja enlouquecer mais um pouquinho! E na hora certa, se esse for o desejo dos pais, essa vontade irá aflorar naturalmente!




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail