3 motivos que você ainda desconhece para começar a proteger sua família dos mosquitos já

Por 0 Comentários


Por aqui eu continuo em alerta com relação às doenças transmitidas por mosquitos. Como o inverno chegou, muita gente não tem falado sobre o assunto (pelo menos no Centro-Sul do país, onde as temperaturas baixas diminuem a reprodução desses transmissores, além de ser uma fase do ano em que as pessoas naturalmente estão mais protegidas pelas roupas). Mas o perigo continua aí, e acho importante falar sobre as últimas notícias científicas, para informar as leitoras que seguem o Mil Dicas de Mãe.

Assim, fiz para esse post um resumo de alguns bons motivos para que você continue a proteger toda a família. Vem dar uma espiadinha, porque são informações de saúde pública:

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

1) O Zika vírus pode causar, em pequeno percentual de crianças e adultos, a Síndrome de Guillain-Barré. Eu não sei se você já ouviu falar do problema, mas trata-se de uma síndrome neurológica que paralisa os membros inferiores, e pode acometer também outras partes do corpo (veja esse post aqui, em que falo sobre o assunto). A questão é séria, e mesmo que poucas pessoas sejam atingidas, é importante que você saiba que a necessidade de proteção contra os mosquitos não deve acontecer somente pelas grávidas – tanto os pais quanto as crianças precisam receber medidas para tentar evitar a infecção pelo vírus. Saiba mais aqui.

2) O Zika vírus pode ser transmitido também pelo pernilongo comum. Em um estudo recente realizado por pesquisadores da Fiocruz em Recife, os estudiosos concluíram que algumas espécies de pernilongo comum, o Culex, também podem ser transmissoras da doença. A grande preocupação continua sendo o Aedes Aegypti no momento, mas é possível que tenhamos que modificar as ações de controle à doença. Como o pernilongo comum é mais ativo à noite (diferente do Aedes, que também transmite a dengue), seria necessário, por exemplo, o uso de repelentes também nesse horário. Veja mais aqui.

3) O Zika vírus pode ser transmitido por via sexual. Alguns casos já foram confirmados ao redor do mundo, e, embora a principal fonte de transmissão seja ainda o mosquito, é importante pensar nas implicações familiares desse fato. Se você está grávida, por exemplo, e usa repelente, mas seu marido não usa e é picado, você pode acabar contraindo a doença. Assim, a proteção deve acontecer para a família INTEIRA. Veja mais aqui.

Claro que o objetivo do post não é alarmar as mães e pais que nos acompanham, e sim deixar informações atualizadas sobre o risco de doenças transmitidas por mosquitos. Justamente pensando nisso é que, aqui em casa, continuamos fechando a casa nas horas em que a entrada dos mosquitos é mais comum, fazemos nossa parte na eliminação de criadouros de mosquitos (locais de água parada), e estamos atentos ao uso de repelentes. Em breve publico um post com todas as dicas que usamos aqui em casa para evitar as picadas, combinado?




Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail