5 maneiras inteligentes de enriquecer o lanche do seu filho!

Por 0 Comentários


Aqui em casa, procuro fazer escolhas conscientes para a alimentação de Catarina. Na maior parte das vezes, opto por alimentos naturais – temos arroz, feijão e um tipo de carne fresquinhos em todos os almoços e jantares, e faço o máximo para que a pequena consuma ao menos uma porção de frutas, verduras e legumes.

Mas é claro que também consumimos produtos industrializados, sempre de olho no rótulo. Acredito que é possível proporcionar à filhota uma alimentação mais nutritiva, fugindo de aromatizantes, corantes, e tantos aditivos que podem prejudicar a saúde dos pequeninos. E você me pergunta: mas dá mesmo para fazer isso? Claro que sim! Por isso, no post de hoje, separei algumas dicas de ações inteligentes que você pode tomar para preparar o lanche do filhote – um momento em que, geralmente, lançamos mão de comidinhas mais práticas. Vem dar uma espiadinha: tem opções compradas prontas e outras, feitas em casa, mas com sugestões de como tornar o preparo no dia a dia viável!

5 maneiras inteligentes de enriquecer o lanche do seu filho:

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

1. Substitua a batatinha do pacote por batata cozida. Não sei se já comentei aqui no blog, mas um dos lanches preferidos de Catarina para a escola é batata doce cozida! Ela troca facilmente um pacotinho daqueles salgadinhos cheios de sódio e substâncias químicas por uma boa batata cozida na água, ou no vapor. O melhor é que você pode cozinhar o alimento para o almoço ou jantar e já separar uma porção, que ficará para o lanche. Assim não terá trabalho adicional na hora de montar a lancheira!

2. Deixe o néctar de lado – troque-o por água, um suco natural ou integral (que seja realmente 100% suco) em caixinha. Mas fazer suco no liquidificador e mandar para a escola, é viável? Sim, eu faço isso há três anos! E deixo a dica: prefiro os cítricos (como o de laranja) ou mais ácidos (como de maracujá, abacaxi e acerola), que duram mais tempo fora da geladeira (o suficiente para serem consumidos pelo filhote depois de algumas horas, tranquilamente). Por aqui também faço em grande quantidade – assim já fica para o jantar, sem trabalho adicional.

3. Opte por melhores pães. O pão caseiro é uma ótima opção de lanche – feito no dia, fresquinho, e sem aditivos. Mas sabia que é possível encontrar um produto industrializado semelhante? Aqui gostamos muito do Dunitê, o novo pãozinho do tipo brioche, da Pullman. A versão tradicional, sem recheio, leva como alguns de seus ingredientes leite, ovos e manteiga, sem corantes e aromatizantes (coloco um pouquinho de manteiga no meio e a pequena adora). Tem também as versões doces: a recheada com chocolate e com morango (além dos ingredientes do tradicional, levam chocolate e morango, respectivamente, na fórmula. E a conservação é melhorada pela embalagem com fecho zip: você tira o máximo de ar e fecha, para manter o produto novinho). Eu também como, e acho bem saboroso!

Para quem não conhece, esse é o Dunitê

Para quem não conhece, esse é o Dunitê

4. Troque os embutidos (como o presunto ou peito de peru, que têm uma série de conservantes, corantes, aromatizantes) por produtos mais saudáveis – como a manteiga ou os queijos. Durante muito tempo, achou-se que a velha e boa manteiga poderia ser uma vilã na alimentação (por isso, muitas pessoas passaram a usar a margarina). Hoje sabe-se que ela continua sendo a melhor opção, se usada na quantidade certa. A ricota, como recheio no pão, é outra boa alternativa!

5. Aposte no sushi! Já pensou que esse pode ser um ótimo lanche para o filhote? Pois da próxima vez que encomendar comida japonesa, peça um pouquinho a mais, para que o pequeno leve como lanche, no dia seguinte. Como não ficará sob refrigeração, prefira aqueles redondinhos, pequenininhos, de arroz com alga (o recheio pode ser pepino, manga, e outros), sem peixe cru. Com a pequena é sucesso garantido!

selo




Arquivado em: Publieditorial Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail