Dicas inteligentes para a criança que faz birra na hora de comer!

Por 2 Comentários


Se por aí seu filho faz birra na hora de comer, você sabe o quanto uma refeição pode ser desgastante e demorada! É um tal de “filho, pelo amor de Deus, come um pouquinho”, lágrimas que não param de escorrer pela face do filhote, arroz voando pelos cantos da casa, que só mesmo uma mãe para ter paciência e enfrentar o desafio!

Por aqui as dificuldades na alimentação de Catarina não chegaram a tal ponto, mas quando ela se aproximou dos três anos, ficou bem mais “chatinha” para comer. Já não aceitava mais todo tipo de alimento, ficou bastante restritiva em seus gostos, e, para que a pequena se alimentasse melhor, tive que lançar mão de algumas estratégias (e mesmo de algumas dicas que outras mães compartilharam comigo, e que agora eu repasso a vocês! Espero que sejam úteis, e que diminuam o chororô na sua casa também!).

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

– Não monte um ringue de batalha. O que quer dizer que, se você criar o hábito de brigar com o filhote para que ele coma, em todas as refeições, isso também se tornará um ritual familiar. É como se o pequeno associasse o momento da comida com a discussão (e aí, mesmo que ele não tenha nada contra o que está sendo servido, acaba fazendo caras e bocas, porque é isso o que ele sempre faz!). Parece algo louco, mas muitas vezes as coisas acontecem assim com crianças pequenas: elas continuam a se comportar de uma determinada maneira porque acreditam que o modelo a ser seguido é esse! Sabendo disso, a dica é não entrar na guerra e criar um clima bom enquanto estiverem à mesa.

– Seja esperta. Todo mundo diz que o ideal é que você mostre exatamente ao seu filho o que ele está comendo (a abobrinha, o pepino, o tomate, etc). Mas, como mãe, eu sei que nem sempre isso é fácil, principalmente com crianças que fazem birra ao comer. Por isso, acredito que bater alguns legumes para colocar na sopa (para que o pequeno não ache aquele “pedacinho” que não vai engolir de jeito algum!), fazer bolinho de espinafre, e outras artimanhas são, sim, válidas em algumas ocasiões. E conforme o filhote se acostuma ao sabor, você pode ir mostrando, aos poucos, a “carinha” do alimento – sem traumas, sem briga!

– Torne alguns alimentos mais atrativos. Na época em que Catarina não queria comer frutas, comecei a montar pratinhos divertidos com elas (como na imagem abaixo! Esse não foi difícil de fazer e você pode reproduzir facilmente por aí!). E olha que o resultado foi tão bacana, que fiz dezenas de modelos, até que a pequena aceitasse uma variedade muito maior de alimentos! Você pode fazer isso com o arroz o feijão, a salada… Assim como os adultos, as crianças também comem com os olhos, por isso um prato bonito, com desenhos, pode ser um grande aliado da mãe contra as birras. Aqui em casa o leite é um alimento que às vezes é rejeitado. Sobre ele, a dica de algumas amigas ajudou: se o filhote não aceita mais o leite puro, uma boa opção (especialmente para os maiorezinhos que estão naquela fase de recusar alguns alimentos importantes) é misturar um pó para preparo de bebida, como um complemento, que tenha as principais vitaminas e minerais nas quantidades adequadas para a alimentação das crianças. Por aqui estamos usando o Sustain Júnior de chocolate, da Danone, que tem o menor teor de açúcares da categoria*. Gostei bastante também do sabor Vitamina de Frutas, que é zero adição de açúcares.

– Dê liberdade de escolha a seu filho. Antes que você me chame de maluca (afinal, quem tem que escolher o que o filho vai comer não são os pais?), eu explico – dar a seu filhote a opção de escolher pode fazer com que muitas brigas acabem! Não caberá ao pequeno dizer se quer comer ou não, e sim manifestar de forma aberta suas preferências alimentares. Pode ser, inclusive, que ele prefira a cenoura à beterraba um dia, e faça o contrário alguns dias depois. Mas o simples fato de dar alternativas mostra que você o respeita (sem deixar de ser responsável pela boa alimentação do seu filho, porque quem determina as opções não deixa de ser você).

 

E você, também tem uma dica certeira para ajudar as mamães que enfrentam birra na hora das refeições? Deixe nos comentários, sempre é bom conhecer novas formas de lidar com a situação!

* Comparado à média de produtos de mesma categoria de mercado. Março/2016.

selo




Arquivado em: Publieditorial Tags:

Comentários (2)

Trackback URL

  1. Priscila disse:

    Olá,
    Primeiramente, parabéns pelo site e dicas! Adoro! Meu bebê tem 1 ano e 2 meses e ainda mama no peito, sempre apresentou resistência para introdução alimentar. Tivemos uma fase boa, com 1 ano, onde passou a comer a nossa comida, só que ultimamente não está se interessando mais, hoje só quis pão de salgado.
    Tem alguma dica pra essa fase?
    Obrigada!
    Abraços!!! 💋

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail