O meu presente de Páscoa (uma história real)

Por 7 Comentários


O ano era 2010. E eu nunca esquecerei que logo em seu início, mais precisamente no dia 04 de janeiro, decidi fazer os exames que meu médico tinha aconselhado. Eu já estava tentando engravidar fazia mais de 12 meses, período em que uma gravidez normalmente aconteceria. Como nada havia acontecido, lá fui eu ao laboratório com o pedido dos exames hormonais na mão, certa de que os resultados seriam completamente normais.

Imagem: Fotoliê/Arquivo Pessoal (reprodução não autorizada)

Imagem: Fotoliê/Arquivo Pessoal (reprodução não autorizada)

Apenas 48 horas depois, minha vida virou de ponta cabeça. Ao pegar os resultados pela internet, eu levei um choque: FSH, LH, Estrógeno, Progesterona… Todos os hormônios dentro de uma faixa considerada normal, mas para uma mulher na menopausa! E eu só tinha 30 anos! Meu mundo caiu, e eu achei, naquele momento, que a vida não era justa. Que eu não poderia mais ser feliz, que não poderia realizar meu sonho de ser mãe. Eu senti uma dor profunda, mas tão funda que doía na alma.

Levei algum tempo para conseguir ir ao meu médico, para receber o fatídico diagnóstico: menopausa precoce. Eu, que vinha de uma família de mulheres que engravidavam rapidamente, não poderia ter filhos, pelos menos não do ponto de vista biológico. E quando ouvi de meu ginecologista que não havia alternativa, tratamento e que nem uma fertilização in vitro poderia ser considerada viável (afinal, para isso eu precisaria ter óvulos, o que não parecia acontecer), eu sofri. Eu vi meu mundinho cair. Eu só não afundei naquela dor, porque tinha um homem gigante ao meu lado, que me segurou, me amparou, e que me mostrou o quanto ele me amava.

O tempo passou, mas eu não estava totalmente conformada com o diagnóstico. A ponto de meu médico recomendar que eu fosse a um especialista em fertilidade, para ouvir dele se haveria alguma alternativa de tratamento real. Marquei a consulta, confirmei na véspera, mas nunca cheguei a ir até lá. Simplesmente porque quis o destino que eu descobrisse que estava grávida, naturalmente.

Eu sei exatamente qual foi o dia em que eu engravidei de Catarina. Era um feriado de comemoração de Páscoa. Época em que nossos corações estão em sintonia com um amor maior, e na qual celebramos uma nova vida!

Naquele ano de 2010 eu recebi meu presente, minha chance de renascer, para cuidar do meu anjo. E desde então, sempre que a Páscoa chega, eu me lembro de agradecer.

Que todos os dias sejam uma nova chance para renascermos: para sermos cada vez melhores, para fazermos as pessoas ao nosso redor mais felizes. Que cada dia seja uma nova oportunidade para vermos a manifestação de pequenos milagres – porque eu não tenho dúvidas: eles acontecem!




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (7)

Trackback URL

  1. Gláucia Silva disse:

    Nossa que lindo!!! Me emocionou! Que Jesus esteja no coração de todos nesta Páscoa!!!

  2. Me emocionei ao ler seu post. A vida é cheia de surpresas boas. Que presente maravilhoso.

  3. Juliana Pintor Furlanetto disse:

    Que lindo e emocionante!!! Um grande beijo pra vocês!!!

  4. Ariane disse:

    Que lindo! Me emociono com histórias assim, pois senti na pele a dor de imaginar que não poderia gerar um filho.
    Meu marido e eu tínhamos problemas de fertilidade e por um milagre, engravidei naturalmente 🙂
    Que Deus nos abençoe sempre! Parabéns pela família que Deus permitiu que vc tivesse!!

  5. Raquel disse:

    Que lindo seu relato Nívea! Os filhos são mesmo grandes bençãos que o Senhor nos dá!

  6. Flávia disse:

    Muito emocionante! parabéns!

  7. grasiele disse:

    Que texto Lindooo, chorei bastante…
    Deus é maravilhoso em nossa vidas, eu tbm só tenho a agradecer a Deus pela minha benção que é ser mãe…

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail