As coisas que eu queria falar para uma recém-mãe

Por 15 Comentários


Há alguns dias eu estive no chá de bebê de uma amiga, que está esperando a chegada do seu primeiro filho. E quando cheguei lá, me deparei com um bonito livrinho, onde as convidadas eram chamadas a deixar uma mensagem para a futura mamãe. Assim como os outros presentes, escrevi algumas palavras de carinho, desejando-lhe toda a sorte na hora do parto, e que o filhote chegasse trazendo muita luz para a família. Mas a verdade é que eram tantas as coisas que eu queria ter dito, que não caberiam na pequena página que eu tinha de espaço. Coisas que eu gostaria de ter ouvido de uma amiga com filhos, nos primeiros meses de Catarina, e que teriam me mostrado que eu não estava sozinha.

Não sendo possível escrever naquele momento, pensei que seria uma boa ideia deixar aqui, para todas as recém-mães que um dia passarem por esse texto. E se assim surgir um alento no coração ou um sorriso no rosto, certamente terá valido a pena!

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

As coisas que eu queria falar para uma recém-mãe:

Eu queria dizer para você, que acabou de ter um filho, que vai ser difícil. Aliás, que será ainda mais difícil do que hoje você consegue imaginar. Porque não são apenas as noites em claro, quando tudo o que você precisava era uma boa noite de sono. Não são apenas as vezes em que o pequeno chora, e você se sente completamente impotente, porque não sabe o que fazer para acalmá-lo. É também a primeira vez em que seu filho te bate (e, sim, nem que seja uma vez, ele irá tentar), as crises de birra que te tirarão do sério, a primeira mentira (que te fará pensar: “mas como ele foi capaz?”). Em todas essas ocasiões e em muitas outras, você vai se perguntar se está fazendo um bom trabalho como mãe (e por vezes achará que não). E quando esse sentimento lhe vier à cabeça, pense também nos sorrisos que seu filho lhe dá todos os dias, nos abraços, no carinho. Você então sentirá a sua felicidade, e isso acalmará seu coração.

Eu queria dizer a você também que vai doer. Vai doer deixar de ser a pessoa mais importante na sua própria vida, mas é essa justamente a beleza da maternidade. Vai doer deixar para trás a vida de liberdade, de não ter hora para voltar, de pegar uma bolsa e estar pronta para passar o fim de semana fora. Mas vai doer muito, muito mais, quando doer no seu filho. Quando ele ficar doente e te olhar com os olhinhos caídos, quando a respiração for tão fraquinha, que você terá medo que ela pare. Vai doer quando o primeiro coleguinha fizer pouco caso dele, e também quando perceber que não foi convidado para uma festa em que muito amigos vão. Nessa hora você só terá seu amor para lhe dar, e acredite: será tudo o que ele precisa.

Eu queria dizer que o tempo passa. Que leva embora as dores, as culpas, os medos… E que leva o bercinho ao lado do qual você dormiu tantas noites, o cadeirão que acompanhou as papinhas, o trocador que você limpava com álcool nos primeiros meses. Mas esse tempo também leva o pequenino que só queria ficar em seu colo, e depois só pensa em correr. Leva embora o filho que te enxerga como super-heroína, mas te traz aquele que te ama por o que você é de verdade.

Por fim, eu queria dizer que você será feliz. Que apesar de todas as dificuldades, você agradecerá pela oportunidade de ser mãe todos os dias. Que nos momentos mais difíceis, seu filho será sua estrela-guia, seu grande motivo para não desistir. E que o vendo crescer você entenderá a grandeza da vida!




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (15)

Trackback URL

  1. Ionara disse:

    Que lindo Nívea! Quantos sentimentos conflitantes na vida de uma mãe! Vou repassar para algumas amigas que serão mamães de primeira viagem!

  2. Itauany disse:

    Simplesmente chorei 🙂

  3. Catarina disse:

    <3 Puro amor!

  4. RITA disse:

    Um dos textos mais comoventes e sinceros que já li sobre maternidade…identificação total…muito bonito.

  5. Eliane disse:

    Nossa !!!!!

    Simplesmente mágicas suas palavras e a mais pura verdade.
    Lindo, Lindo, Lindo.

  6. Aline disse:

    Que lindo Nívea, você consegue descrever todos sentimentos de mãe.

  7. Dienifer disse:

    Simplesmente perfeito…Só de mãe para mãe mesmo para entender todos esses sentimentos, medos, culpas, tudo que passa em nossa cabeça diariamente. Me emocionei muito, pq é pura verdade tudo que falaste. Beijos.

  8. Daniela F. da S. Taffarel disse:

    Bem instrutivos seu texto, eu sigo vários blogs quantas bobagens mas, o seu realmente vale todos os minutos que gasto para ler cada palavra. Minha filha parece Catarina, vai fazer um ano mais me identifico muito com tudo que relatas sobre cada experiências.

  9. Sandra disse:

    Obrigada pelas palavras Nivea… Estou com minha filha há 21 dias… Chorei todos os 21 dias… Por todos os motivos… Seu texto me confortou..

  10. Rose Fernandes disse:

    Muito lindo! A maternidade é agridoce: dói e alegra; cansa o físico e revigora a alma. Meu filho está com 12 anos e quando vejo fotos ou assisto os vídeos dele, o coração dói de saudade. A cada ano, tenho saudade das fases anteriores e penso se estou “aproveitando” tudo que deveria. Esse sentimento será eterno.

  11. Angela disse:

    Lindo, me emocionei muito…

  12. Kaline disse:

    Gosto bastante dos seus textos, mas esse é o meu favorito. Parabéns!!!

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail