5 Dicas para fazer a transição da mamadeira para o copo

Por 0 Comentários


Vocês já pararam para pensar em como, nessa vida de mãe, estamos sempre enfrentando períodos de adaptação com o filhote? A impressão que eu tenho é a de que, ao superarmos um desafio, surge uma nova necessidade logo em seguida. No início, o bebê simplesmente não dorme; depois, quando finalmente aprende a dormir, vem o desafio de adormecer sem a presença dos pais, de dormir apenas em seu quarto, a passagem do berço para a cama! E isso não acontece apenas com as questões relacionadas ao sono – com a alimentação acontece exatamente a mesma coisa! Quando você pega o jeito da amamentação, pouco depois vem a fase das primeiras papinhas. A descoberta de novos sabores, a rejeição de alguns alimentos, o período (por volta dos 2 ou 3 anos) em que eles finalmente descobrem que podem se recusar a comer o que não gostam. E, por aqui, uma das passagens marcantes foi o momento em que Catarina deixou a mamadeira, para se aventurar exclusivamente no copo.

Embora o momento em que essa transição acontece varie muito de criança para criança, em geral ela ocorre ao redor dos 2 anos – e haja criatividade para fazer o pequeno largar a mamadeira (se seu filho mamou apenas no peito até essa idade fica mais fácil, porque, obviamente, ele irá direto para o copo). E, conversando com muitas mães, percebi que, inclusive, algumas crianças deixam de querer tomar leite durante essa mudança (apesar da maioria dos pediatras recomendaram o alimento, em função de sua grande quantidade de cálcio, que é fundamental para ossos e dentes em formação). Por isso, nesse post, reuni algumas dicas para fazer essa transição de maneira suave, tranquila, e sem muito chororô do pequeno. E se você tiver alguma dica adicional, deixe nos comentários!

1) Teste vários copos de transição, até encontrar aquele que satisfaça o filhote. Algumas crianças não têm dificuldade em aceitar o copo de transição, enquanto outras o rejeitam, ficando presas à mamadeira. Se seu pequeno se recusa a aceitá-lo, pode ser uma boa ideia testar outros modelos (às vezes, mudando o formato e textura da ponta, ele acaba aceitando mais facilmente!).

2) Experimente o canudinho. Aprender a sugar com o canudo é algo que seu filho só vai conseguir com treino. E também nesse assunto não há uma regra quanto à idade necessária: alguns bebês de um ano já sabem sugar, enquanto outras crianças só aprenderão por volta dos três anos! Ao invés de tentar o copo de transição, você pode oferecer os líquidos em um copo com tampa (que evita acidentes), e que tenha abertura para o canudinho. Por aqui Catarina adorou a novidade (e até hoje prefere tomar o leite dessa forma – já os sucos ela toma no copo normal! Engraçado como eles fazem essa diferenciação!).

3) Guarde uma mamadeira de reserva, e jogue o restante fora. Depois de explicar ao seu filho que vocês farão essa transição, mande as mamadeiras antigas embora – assim, certamente, a “tristeza” do pequeno será bem menor. Você pode avisar durante uns quinze dias, mais ou menos, assim ele vai entendendo o que irá acontecer. Não adianta falar por um período maior, porque os pequenos têm a percepção de que o tempo passa muito lentamente, e a demora pode gerar ansiedade. Depois de alguns dias sem, algumas crianças chegam a esquecer o objeto, fato que não acontecerá se ele abrir o armário e perceber o “mamá” ali. Mas não custa ser precavida e reservar uma, pois momentos de crise podem, realmente, acontecer. Em geral não voltar atrás, dando a mamadeira, torna a transição mais rápida. É o coração de mãe quem acaba sabendo a melhor forma de lidar com a situação (mesmo que seja liberar apenas no meio da madrugada, se o pequeno acordar, por exemplo).

4) Fique atenta a possíveis mudanças de hábito. Se o filhote aceitar os sucos e a água no copo, mas deixar de tomar o leite, alguns truques podem ajudar. Uma das estratégias mais usadas pelas mães que eu conheço é tornar o leitinho mais atrativo: batendo no liquidificador com a fruta preferida do pequenino, ou adicionando algum produto, como um complemento nutricional. A grande dica, nesse caso, é escolher um produto com pouco ou nenhum açúcar, uma vez que o controle do consumo de sacarose é extremamente recomendado para evitar obesidade infantil e diabetes futura. O Sustain Junior, complemento nutricional da Danone, por exemplo, tem as 27 principais vitaminas e minerais que as crianças precisam, contribuindo para que cresçam saudáveis, e 38% menos açúcar que outras opções para misturar com o leite (e há o sabor vitamina de frutas zero adição de açúcares, que é o ideal para os pequenos que ainda não comem/tomam alimentos adoçados).

5) Seja paciente. Às vezes, nós, pais e mães, achamos que uma transição como essa é algo fácil para o filhote. Mas é importante lembrar que o ato de sugar está fortemente relacionado com sensações prazerosas do filhote, e há um grande envolvimento emocional com o objeto. Por isso, tenha muita paciência durante o processo, e não despreze a dificuldade do filhote. Para ele, essa etapa pode ser um grande desafio, que será superado mais facilmente com muito amor, carinho e compreensão dos pais. Sobretudo, mostre ao seu filho que isso não é uma perda, é apenas uma mudança que indica que ele está crescendo, e deve se orgulhar disso! E tenha certeza de que no fim tudo dá certo, e todas as dificuldades se transformarão em histórias divertidas da infância!

selo




Arquivado em: Publieditorial Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail