Como limpar os ouvidos do bebê (o que deve e o que não deve ser feito!)

Por 0 Comentários


Entre os primeiros cuidados com o recém-nascido em casa, um que gera muitas dúvidas nos papais e mamães é a limpeza dos ouvidos. E o que mais se ouve por aí é que você precisa ter cotonetes sempre à mão para executar a tarefa, não é mesmo? Só que como filha de médica, eu cresci escutando da minha mãe que as hastes flexíveis devem passar bem longe da parte interna dos ouvidos (dos bebês e dos adultos também!) – e a recomendação é exatamente a mesma do pediatra de Catarina (e dos outros com quem eu já conversei sobre o assunto).

A verdade é que a higiene diária deve se restringir à região externa (mais especificamente à parte do pavilhão auditivo, que é a orelha). Já a parte interna é “autolimpante” – e a dica aqui é manter o olhar atento para possíveis anormalidades e evitar os bastões de algodão Os detalhes do procedimento você confere abaixo (e verá que não tem muitos segredos). Vem dar uma olhadinha e tirar suas dúvidas!

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Cuidados com as orelhas

Nossas orelhas são cheias de dobras – e no meio delas acumulam-se sujeirinhas. Por isso, a limpeza dessa região deve ser feita diariamente nos bebês, de preferência após o banho. Para limpá-las, basta usar um cueiro umedecido em água morna (ou até mesmo uma toalha de banho macia, depois de enxugar o filhote com ela) e passá-lo delicadamente em cada curvinha, inclusive na entrada do canal auditivo (mas cuidado para não invadir o buraquinho!). Faça isso com o pequeno deitado de lado, com a orelha para cima, para facilitar o processo.

 

E como cuidar dos ouvidos?

O “buraquinho” não deve ser invadido, pois, se você fizer isso, poderá mexer com o ouvido interno. E essa região não precisa da nossa interferência para ser higienizada, pois é “autolimpante”. O que acontece é que a cera se forma lá dentro (a partir de glândulas, para lubrificar a região e impedir a invasão de microorganismos e consequentes infecções), resseca naturalmente (após ser acumulada) e é expelida pelas orelhas. Por esse motivo é que apenas a região externa deve ser limpa e o uso do cotonete não é indicado, pois o instrumento acaba “empurrando” a cera (que estava para sair) para dentro do ouvido novamente. Isso pode originar acúmulo e daí o corpo não consegue eliminá-la de maneira natural.

Se você é uma grande fã das hastes flexíveis, uma alternativa é o uso de modelos de segurança, com pontas maiores, especificamente desenvolvidos para bebês – veja a imagem abaixo. Dessa forma é possível fazer a limpeza da parte externa sem correr o risco de afetar o ouvido interno do filhote (e, mesmo assim, converse com o pediatra do seu filho para saber se ele libera o uso).

cotonetes de seguranca

 

Atenção com o excesso de cera

Se houver excesso de cera dentro do ouvido do filhote, o canal auditivo ficará entupido. Quando isso acontece, o pequeno sente incômodos, como zumbidos, dor e coceira na região. Além do choro e reclamações do bebê, você pode perceber o acúmulo olhando de fora (e também pode haver muco amarelo ou marrom no local – o que justifica a ida ao médico, para que você se certifique de que não se trata de uma otite).

Como o excesso de cera não é expelido naturalmente pelo corpo, o mais indicado é levar o filhote ao pediatra para fazer a retirada (que é simples e indolor), e verificar se não há infecções. Opte sempre pela ajuda profissional ao invés de tentar resolver em casa, para não acabar piorando o quadro (pois quando se trata de ouvido, às vezes o aparente “excesso” de limpeza é o causador dos problemas!).




Arquivado em: Cuidados diáriosSaúde Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail