Por favor, não diga a uma mãe que não dorme…

Por 19 Comentários


Eu já comentei algumas vezes aqui no blog que Catarina não dormia bem nos primeiros meses (anos?) de vida. E ter passado pela experiência de ter um filho que custava a dormir foi algo completamente transformador em minha vida (o que só pode ser compreendido por uma mãe que já teve um bebê que acordava diversas vezes na madrugada, ou o que eu acho pior: que não dormia durante o dia! Porque nesse caso não existe trégua, e aquelas duas horinhas que você poderia ter para descansar, tomar um banho e se olhar no espelho, se achando gente de novo, simplesmente não existem!).

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Sim, eu me tornei uma pessoa mais forte, eu passei a acreditar que meu limite ia muito além do que eu pensava (porque ele realmente expandiu, à medida que aprendi a dormir quatro ou cinco horas por dia, para fazer tudo o que era necessário na manhã seguinte). E não foi fácil – aliás, havia momentos em que eu me perguntava se aguentaria o tranco, tamanha era a exaustão! Eu conversava com muitas outras mães, tentando descobrir até quando aquela fase duraria (e se você estiver no meio dela, acredite em mim – passa, passa mesmo! No olho do furacão parece que não, mas em pouco tempo suas preocupações como mãe serão muito diferentes!), e me reconfortava quando ouvia histórias parecidas com a minha (eu não era a única, outras mães tinham passado pelo mesmo e sobreviveram! O que era um ótimo sinal!).

Mas assim como a experiência de outras mães me tranquilizava, apareciam pessoas (muitas vezes bem intencionadas, eu acredito!) que faziam com que eu me sentisse a pior mãe do mundo, por ter uma filha que não dormia. E para elas eu resolvi contar certas coisinhas (sinta-se à vontade para compartilhar, se você também conhecer alguém assim!):

Por favor, não diga a uma mãe que não dorme que a culpa é dela. E falar que ela acostumou mal o bebê, que deu colo demais (e agora ele não quer dormir no berço), que deu peito demais (e agora ele não sabe dormir sem mamar) é dizer exatamente isso! Nenhuma mãe tem um filho que não dorme propositalmente – mesmo que tenha errado no estabelecimento de um hábito, mesmo que não tenha sabido criar uma rotina. Porque eu tenho certeza de que se ela soubesse o que deveria ser feito, ela o faria!

Se uma mãe tem um bebê que não dorme, não diga a ela que a única saída é deixá-lo chorar (“se você tivesse deixado chorar no berço, agora estava dormindo muito bem!”). Em primeiro lugar porque não é verdade – há muitas outras técnicas além dessa a serem aplicadas para ensinar um bebê a dormir! E mesmo que ela já tenha tentado todas, sem resultado, ela ainda tem o direito de não deixar seu filho chorar para aprender o que quer que seja, se isso ferir seu coração (e ela acreditar que nada pode ser pior do que a sensação de abandonar seu filho sem resposta, chorando, sozinho, em seu quarto).

Se você estiver frente a frente com uma mãe que não dorme, não se gabe de dormir a noite toda (“porque, afinal, seu filho dorme dez horas todas as noites, sem acordar, desde o primeiro mês de vida”). Isso pode até ser verdade, mas ela saberá ler direitinho sua intenção: se é apenas relatar sua história pessoal ou tentar se sentir superior nesse mísero aspecto (pois é, ainda existem mães que precisam disso para se sentirem boas mães).

Se você conhece uma mãe com um bebê que não dorme, saiba que ela necessita de ajuda. Ela precisa de algumas horinhas de descanso, antes que entre em depressão (porque eu acredito fortemente que a privação de sono possa levar ao problema), ou que fique doente, pegando um resfriado atrás do outro (já pensou em como seu sistema imunológico vai ficar “fraquinho”, depois de meses sem dormir bem?). Então, se for próxima a ela, arregace as mangas e ofereça ajuda com as tarefas domésticas, com a rotina do bebê e você verá o quanto sua ação pode ser importante.




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (19)

Trackback URL

  1. Debora disse:

    Concordo totalmente! E acho que isso se aplica também a bebês que não comem ou mamam bem. A maternidade é um tubilhão de culpas, inseguranças, tentativas, e a comparação ou comentários dos outros só atrapalha o processo de adaptação a cada etapa. E sim, tudo passa e fica cada vez mais gostoso.

    • Débora disse:

      verdade… passei por isso… e ouvia exatamente tudo isso…. e passou … td certo… estou indo para segunda para encarar outras novidades desses pequenos amados.

  2. Bibi disse:

    Nina nunca foi um bb dorminhoco e agora também não é.
    Ela é igual a mim… igualzinha…

  3. SELMA MEIRE disse:

    Todos, todos, pediatras, psicólogos, psiquiatras, diziam que, se eu tirasse do peito, o bebê dormiria a noite inteirinha sem acordar várias vezes. Não tive coragem para deixa-ló chorando, pedindo peito e eu negar.

  4. Roberta disse:

    Adorei o post!!! É isso mesmo!
    Mãe que é mãe, sabe como ser mãe. 😊

  5. Suelen Castro disse:

    Obrigada por abordar o assunto dessa forma. Me fortaleceu e emocionou, nao e nada facil passar por essa situaçao. E o fato e que so entende quem passa.

  6. Adriana jardim disse:

    Minha filha não dormiu por um ano e um mês eu cheguei a levá-la em um psicopediatra pq achava q ela tinha problemas.. acreditem depois d uma série d axames o médico me disse q era manha e q eu tinha q acostuma-la a dormir e ñ dxar ela dormia de dia apesar dela já ñ fzr isso… Hj depois d quase cinco anos ñ qro mais filhos minha experiência ñ foi mto boa mas acreditem td nessa vida passa…

  7. carol disse:

    estou passando por isso vai fazer 4 meses já, meu bebe não dorme à noite, ja tentei de tudo menos dexar ele chorando, mas ele acorda sempre de 2 em 2 horas e nem sempre é para mamar. às vezes bate sentimento de culpa de estar fazendo algo errado, mas a gente quer sempre acertar, nunca errar, me sinto exausta, sem ânimo para nada , mas ainda tenho esperança que isso vai passar

    • Michelle Scardini disse:

      Bom dia,

      Passei por isso com meu pequeno, ele acordava de uma em uma hora marcadinha no relógio, tentei de tudo, ouvi de tudo, me senti a pior das mães, como ultimo recurso tentei deixar ele chorando no berço mas meu coração ficou completamente destroçado.
      Até que percebi que o que ele queria era ficar junto comigo, passei a coloca-lo no berço e ficar ao lado dele durante a noite, ele acordava aos berros mas como estava ao lado dele fazia um carinho e conversava com ele até que pegasse no sono novamente, com o tempo ele acordava e via que eu estava ali e dormia novamente.
      Claro que demorou um tempo, mas graças a Deus hoje ele dorme a noite toda, então por experiência vivida e sofrida na pele, esta fase demora mas passa.

  8. Larissa disse:

    Concordo que é desnecessário culpar as mães que não dormem e fazer com que se sintam mal, aposto que já se sentem bem mal por estarem nessa situação e não precisam de “ajuda” nesse ponto. No entanto, acho muito perigosa a atitude de considerar que é normal você não dormir dia apos dia, por vários anos.

    Isso não é normal, é algo muito perigoso que deve ser levado a serio.

    Como o post mesmo diz, pode levar a mãe a depressão, o que não é bom para a mãe e muito menos para os filhos. Só o fato de não dormir já torna a mãe mais propensa a acidentes e erros que podem ter consequências graves e irreparáveis para si e para os outros. A vida não para, mesmo sem dormir você vai continuar trabalhando, dirigindo, levando o seu filho a vários lugares, dando remédio quando necessário e estas são coisas serias que exigem atenção. Qualquer pessoa normal fica com a atenção bastante prejudicada depois de vários dias sem dormir. Sem falar que o bebe/criança também precisa dormir bem para se desenvolver, aprender e ter uma boa qualidade de vida.

    Acho que ficou faltando incentivar as mães a procurarem ajuda para melhorar o sono do bebe e consequentemente o seu, e mostrar as varias técnicas e alternativas disponíveis.

    E principalmente, apoiar e dizer que isso é possível SIM e você vai conseguir! E que não tem nada de errado em buscar ajuda e mudar o que não esta funcionando. Isso não faz de ninguém uma mãe ruim, muito pelo contrario! O que não pode é perceber que se está numa situação ruim e perigosa e não fazer nada a respeito porque todos dizem que um dia passa e é “assim mesmo”.

    Resumindo, acredito que todas as mães sempre tentam fazer o melhor, e sempre estão em busca de informação para se tornarem cada vez melhores. Todas queremos ser excelentes mães, a melhor mãe que podemos ser. Então porque não mostrar que existem alternativas e que sim você vai conseguir melhorar essa situação. Não é apenas uma questão de esperar passar. Você pode fazer algo a respeito agora e tentar as diferentes alternativas ate que encontre a que vai funcionar para você, seu bebe e toda a sua família. E vale a pena tentar, e procurar ate encontrar. As vezes algo bem simples que você não tinha pensando muda completamente a sua vida e logo logo você esta muito mais descansada e feliz. O que não pode é aceitar uma situação que não esta boa para você e que inclusive é perigosa e coloca varias pessoas em risco.

    Ser mãe não é sofrer. Se algo não esta bom, se você não esta se sentindo bem, vá atrás de soluções! Sempre haverá uma solução para o seu problema. E muitas vezes é muito mais fácil e rápido que imaginamos.

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Larissa,

      Você tem razão, ficou faltando a parte de falar sobre a procura de ajuda profissional, que é tão importante nessa hora. Quem acompanha o blog de perto sabe que contamos com a participação da Michele Melão, consultora de sono, que faz um trabalho lindo. Vejo o grande número de famílias que ela já ajudou e como seu trabalho pode mudar o sono de um bebê e a rotina dos pais, que passam a poder curtir os momentos com o filho, porque todos dormem melhor.

      Beijos

    • Jessy disse:

      Até Q enfim alguém com um texto coerente! Concordo totalmente com vc. Depois Q tive filhos entendi pq tantas mães têm alguns problemas Q parecem um bicho de sete cabeças, parece Q procurar ajuda em algo Q está errado é um atestado de mãe ruim e é bem o oposto! Mas o pior são as Q se queixam e qdo vc dá uma opinião do Q pode ser ou algo pra ajudar elas ainda acham ruim, como se estivéssemos criticando. Só depois Q temos entendemos Q filho é algo muuuuuuuuito sério, Q tudo Q fazemos de certo ou de errado vai ter uma consequência no futuro e não ensinar um bebê a dormir traz graves consequências, sim pq qualquer pessoa Q lê um pouquinho sobre maternidade sabe Q i bebe tem Q ser ensinado a dormir e isso exige paciência, serenidade e regras. Parabéns pelo texto!

  9. Cláudia disse:

    Achei perfeita a matéria, ao contrário do que muitos pensam, melhor que fazer críticas é arregaçar as mangas e estender a mão à quem precisa. E nós, mães de bebês e crianças que tem dificuldades para dormir só precisamos desse auxílio, porque críticas nós já temos bastante, de nós mesmas! Parabéns Nívea pelas excelentes palavras!

  10. Simone disse:

    Muito bom e verdadeiro este texto. Não durmo há 7 meses e peguei 3 resfriados. Agora mesmo estou com uma sinusite aguda, e com relação a depressão sem dúvida a falta de descanso pode ser um fator, se não fosse o apoio da minha família não estaria bem… isto que não sou mãe de primeira viagem!

  11. Márcia disse:

    Adorei o que disseste, e tens toda a razão. As mães são sempre criticadas, mas o pior nem é isso, o pior é a opinião alheia quando nem sequer a pedimos, e isso sim, é que irrita mais.

    Beijinho

  12. Priscila Lima disse:

    Desculpe o texto foi pela metade sem querer
    Bom descobri que minha filha era intolerante a lactose, e problema na adenoide o que fazia ela ter refluxo, por causa da lactose e ela gritava e acordava varias vezes porque tinha 70% de obstrução que qquando ela deitava para dormir tampava e sufocava.
    No fim se eu tivesse descorberto esses problemas antes poderia evitar muito sofrimento….
    Só queria que você dissesse isso para as outras maes investigarem e não precisarem passar pelo que passei.
    Não é facil, nao dormir prejudica tudo, saude, casamento, trabalho…
    Obrigada

  13. Débora Martins disse:

    Gente, eu estou simplesmente em desespero. Pelo amor de Deus alguém pode me ajudar?
    Minha filha vai fazer 8 meses amanhã, ela é o amor da minha vida, mas há alguns meses eu estava a ponto de enlouquecer de tão desesperada que eu tava porque não dormia. Minha capacidade de raciocínio foi completamente afetada.
    Hoje, de volta ao trabalho após 5 meses e meio de licença maternidade, minha filha dorme no máximo 3 horas por noite. Meu marido quase não me ajuda, e tenho que ir trabalhar no dia seguinte.Fico muito preocupada, chego a pensar que ela pode estar doente e com dor, mas não é o caso.
    Já tentei de tudo, mas simplesmente nada resolve.
    Preciso muito de apoio, e conforme li a postagem, fico mais mal ainda quando as pessoas falam que isso acontece por minha culpa, mas só eu sei o que passo em quatro paredes. Parece até que´é algum espirito perturbando minha bebezinha.
    Algum pode me ajudar ??
    🙁

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail