A mamãe sempre vem

Por 3 Comentários


São quase duas horas da manhã, e a história desse post acabou de acontecer de verdade. Eu estava na sala, conversando com meu marido, tentando escrever um outro texto e vendo a fan page do Facebook pegar fogo (tudo ao mesmo tempo! Vida de blogueira pode ser tudo, menos monótona!), quando comecei a ouvir um chorinho vindo do quarto de Catarina.

Minha reação foi a mesma de alguns anos atrás, quando a pequena era apenas um bebê: o coração veio à boca, e lá fui eu correndo, para ver o que estava acontecendo. Acho que podem se passar cem, mil anos, que o impulso de sair em disparada para socorrer o filhote permanecerá igual (com vocês também?). E quando cheguei à sua cama, Catarina estava às lágrimas, encolhidinha, sem nem abrir os olhos.

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Eu já esperava uma madrugada conturbada – afinal, na última noite ela não havia dormido bem, e o cansaço estava acumulado (e, como sempre ocorre nessas ocasiões, ao invés de dormir como uma pedra, a pequena acorda a noite inteira). E quando perguntei o motivo do choro, ela disse simplesmente que era porque havia acordado e eu não estava lá (como acontece todos os dias, mas certamente o fato de estar cansada transformou a situação em um bicho-de-sete-cabeças).

Abracei-a com carinho, acalmei-a, e disse que era só ter me chamado. Que todas as vezes em que se sentisse sozinha, ou com algum problema, bastaria um mínimo sinal para que eu estivesse lá. Olhei no fundo dos seus olhos, para ter certeza de que ela estava prestando atenção, e falei: “a mamãe sempre vem. Sempre“. E a vi abrir um lindo sorriso, de quem estava em paz.

Foi quando eu me lembrei da minha mãe, e de como ela não se cansava de repetir isso para cada uma das três filhas. Ela dizia: “quando você estiver em perigo, ou aflita, não se esqueça de que eu sempre estarei aqui. E chegarei antes de toda a cavalaria”.

Eu cresci tendo essa certeza: de que minha mãe estaria ali por mim, de qualquer maneira, acontecesse o que fosse. E, para mim, talvez não existisse conforto maior do que esse. Por isso, se minha filha crescer com esse mesmo sentimento, eu saberei que fiz um bom trabalho.




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (3)

Trackback URL

  1. Adriana disse:

    Lindo texto.
    Também espero que eu possa estar sempre ao lado do meu filho quando ele precisar. Pra que ele se sinta seguro, confortado. Amado.

  2. Vanessa disse:

    Adorei o texto! Aqui em casa é assim também. Sempre pude contar com a minha mãe, em qualquer situação e quero ter certeza que meus filhos saibam que estarei ao lado deles sempre que precisarem (não me canso de repetir isso para eles). Não tem nada melhor do que você saber que poderá contar com alguém sempre.
    Sempre vejo meus amigos do Facebook postando resultado daqueles teste bobinhos que aparecem por lá, mas nunca faço porque acho perda de tempo. Só que outro dia, apareceu um mais ou menos assim: Quem estará ao seu lado para o resto da vida? Todas as amigas postando e aparecendo o marido, me deu curiosidade, cliquei e, para minha surpresa, eis que aparece a foto da minha mãe! Meus olhos se encheram de lágrima, porque lá no fundo sei que ela é a única pessoa que estará ao meu lado me apoiando incondicionalmente para o resto da minha vida.

  3. Claudia @mamaenocampo disse:

    Chorei!!! Que texto lindo!!!!! 😉

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail