Os sentimentos da mãe que decide não ter mais filhos

Por 46 Comentários


Eu sou mãe de uma única filha. E sempre que estou em algum lugar público, brincando com Catarina, acabo ouvindo a mesma pergunta: “mas você não vai ter mais filhos?”. Pois bem, a resposta poderia ser apenas não, mas ela vai muito além disso.

Eu tive menopausa precoce. Isso significa que as chances de ter um filho eram menores do que 5%, e por esse motivo posso considerar Catarina um pequeno milagre. Depois dela, eu cheguei a engravidar novamente (coisa que nunca contei aqui no blog, porque ainda não estou preparada para falar sobre o assunto), de forma natural, mas perdi menos de uma semana depois de saber que estava grávida. Ali, naquele dia, eu percebi que provavelmente não seria mãe pela segunda vez.

sentimento de mae

Imagem: 123RF

Mas para quem a probabilidade de engravidar era mínima (e tinha acontecido!), sempre havia a chance de acontecer de novo, certo? Pelo menos era assim que eu pensava, e foi então que tive que tomar a seguinte decisão: fazer minha reposição hormonal de forma a deixar que os 5% de chance continuassem (embora, nessa altura do campeonato, eles estivessem mais para 1%), ou com um anticoncepcional, decidindo de vez que não teria outro filho.

Eu acabei optando pelo segundo caminho, depois de pensar muito (confesso a vocês que vez ou outra me pego analisando se tomei a decisão certa, mas no meu caso achei que era a melhor alternativa). E no fim das contas, apesar de minha história ser um pouco diferente, acredito que o sentimento que essa decisão de “fechar a lojinha” gera é igual ao que todas as mães que escolheram esse caminho tiveram.

No fim, dói saber que seu filho não terá um irmão, com quem compartilhará os bons e os maus momentos da vida. Dói saber que quando você for velha, ele estará sozinho para lidar com a situação (no caso do último filho ser também o único). Dói dar as roupinhas velhas (claro que é bom saber que elas serão úteis para outro bebê, mas dói saber que não haverá mais um bebê na sua casa), o cadeirão, o trocador… E dói também saber que você não vai mais amamentar, dar a primeira papinha, passear de carrinho, segurar as mãozinhas para que ele dê os primeiros passos.

E aí, sabe o que você faz? Você aperta bem aquela coisa gostosa que é o filho, o último, fecha os olhos e finge que ele ainda é seu bebê. Você não consegue mais ninar no ombro, mas o coloca sentado no seu colo e balança, cantando as mesmas músicas que cantava quando ele nasceu. Vocês estica o tempo, alarga, aproveita cada segundo, porque sabe que não vai ter outra chance. Você vive cada dia, cada conversa, tentando gravar tudo, para se lembrar quando for bem velhinha. Você vive se despedindo – de cada fase, das coisas que você sabe que ele nunca mais vai fazer.

E quando alguém pergunta se você não terá mais filhos, você pensa em tudo isso. Dá uma vontadezinha de chorar, mas você engole. Aí você olha e o vê: o pequeno, que será sempre seu bebê. Sempre, sempre… E o ama mais ainda, se é que isso é possível.




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (46)

Trackback URL

  1. Cinthia Arcos disse:

    Nossa Nivea, chorei aqui ao ler o seu depoimento. Um abraço carinhoso!

  2. marina disse:

    Olá! Seu lindo texto me emocionou e me deu um medinho…ando aqui pensando em tentar outro filho visto que pra mim assim como pra você foi dificil vir a primeira. ..tenho tanto medo de me arrepender depois de não ter tido outro…me ajuda..queria não me sentir assim…

  3. Ieda disse:

    Nivea do céu. . Que texto mais lindo. . Estou super tocada aqui porque também tenho menopausa precoce e sei exatamente o que você passou. ..Graças a Deus também consegui ter meu filhinho, por FIV e sei que dificilmente serei mãe novamente. Mas tento pensar igual a você e curtir cada momento com esse meu milagrinho! Um abraço muito carinhoso!

  4. Pryscyla Campbell disse:

    Nivea,

    Tive que tomar a mesma decisão a alguns meses atras.
    Também tenho meu pequeno milagre. Depois dela perdi 3 bebes. Então decidimos que nao era para ser.
    A minha resposta para as pessoas, eh a mae natureza decidiu por mim.

    Muito obrigada por todos os seus depoimentos.
    Bjs no coracao, sede da alma

    Pryscyla

  5. Lucimara disse:

    Nossa, as lágrimas estão escorrendo aqui… Sou mãe de um “bebê” de 4 anos e estou tentando engravidar novamente, mas não está nada fácil…

  6. Andréa disse:

    Que texto comovente!

  7. Patricia disse:

    É tudo isso mesmo que sentimos, doi muito fazer essa escolha necessária, nunca mais amamentar, usar aquelas roupinhas , ver aqueles olhinhos descobrindo o mundo pela primeira vez ….

  8. Talita disse:

    Eu tenho a minha filha de 11 meses, que foi o milagre q Deus me concedeu, depois de quase 6 anos tentando, e qto ela nasceu também tomei a decisão de não ter mais, às vezes me pergunto se estou certa?
    Mas Deus sabe de todas as coisas.
    Lindo seu texto, as lágrimas foram inevitáveis.

  9. Juliana disse:

    Chorei! Lindo texto..O sentimento é exatamente este! Parabéns

  10. Juliana disse:

    Seu texto é realmente lindo, mas a vida é perfeita….um dia vc será avó e todos estes sentimentos voltam com a mesma intensidade de ser mãe 🙂

  11. clarice disse:

    Passo por isso tbm.
    Perdi um bebê aos 9 meses de gestação.
    hj tenho o Davi que tem 3 anos. Meus médicos não recomendam outra gestação, pois tive um tumor no ovário esquerdo durante a gestação, de 930 gr. Perdi a trompa e ovário esquerdos. Meu sonho sempre foi ter mais de um filho. Sofro muito, pois por conta da epilepsia, não pude amamentar meu bebê.sofro muito até hoje, e ler esse depoimento me faz sentir que não estou ficando maluca….
    parabéns…

  12. Cláudia disse:

    Lindo demais!! Super me identifiquei e confesso que chorei tb.
    Obrigada por compartilhar conosco suas experiências.

  13. Patricia disse:

    Ao invés de pensar que você vai viver se despedindo, por que não pensar que vai viver conhecendo novas fases da tua filha? Ter um filho único é poder aproveitar bem cada minuto de vida do teu filho, sem precisar dividir esta atenção. Como tudo na vida, há o lado bom e o lado ruim. O segredo é sempre ver copo meio cheio 😉

  14. Vanessa disse:

    Me emocionou muito o seu texto.Tenho um filho de 15 meses ..Todo mundo também me pergunta se não vou querer outro, só que vejo que o meu esposo não quer mais, pois ele tem uma filha, fruto do seu primeiro casamento, e talvez ele ache que para ele já esta ótimo 2 filhos. Quando toco no assunto , não o vejo muito entusiasmado.Tenho medo de ter outro filho e o meu esposo fazer diferença e também acabar não participando tanto.No momento resolvi não pensar sobre o assunto, ainda mais porque meu filho é muito pequeno.Vou esperar o tempo passar e ver o que acontece.Mas morro de vontade de ter uma menininha…Claro q se vier de novo um menino será ótimo também..Vamos ver o que o tempo nos dirá…bjss

    • Raiane Guerra disse:

      Vanessa, nossa história é quase a mesma, exceto que meu marido teve um menino no primeiro casamento e que nosso bebê agora está com 5 meses.
      Ele também diz não querer mais nenhum, mas eu também sempre sonhei em ter uma princesa..
      Duras escolhas de uma mulher!

  15. Nívea Salgado disse:

    Queridas amigas, lindas, fofas, obrigada pelas doces palavras!

    Elas só me dão ânimo para continuar e valorizar ainda mais cada dia!

    Grande beijo,

    Nívea

  16. Suzana disse:

    Lindo depoimento! Quase ninguém escreve sobre esses sentimentos…

  17. Rosângela Farias disse:

    Emocionante, só quem passa pra saber como é difícil… Sou mãe de uma princesa que é o meu milagre. Por isso sei e entendo muito bem tudo isso. Nosso coração fica em pedacinhos… Curtir intensamente cada fase é tudo o que eu quero.

  18. Vivianne Marcondes disse:

    Nossa. Me acabando de chorar. Sinto td isso ??

  19. Flavia Pires disse:

    Vc conseguiu me descrever. Tenho endometriose severa. Consegui depois de cirurgias e muito tratamento ter o Guga. Mas a endometriose agravou e, depois do Guga, precisei fazer histerectomia total. Hj não posso mais ser mãe de outro bebê. Como dói. Não é apenas a dor de não poder ter outro filho, mas a de saber q o seu filho estará sozinho no futuro. Deus esteja em nossos corações.

  20. Cinthia disse:

    Eu Estou tentando o Segundo Bebê…
    Já faz 1 ano e Dois meses.
    A primeira Vez que CSG engravidar do segundo eu perdi… E agora só me restou o vazio… Por algum motivo não CSG engravidar de novo.. E sofro demais.. Com isso pq sempre quis dois filhos ou até três…. Mas não está fácil.. As vezes acho que nunca vou conseguir.

  21. Danielle disse:

    Lindo depoimento! Chorei. Estou nesse impasse e foi ótimo ler sua história. Que Deus abençoe sua família

  22. Janiere disse:

    Sou mãe de uma menina de 12 anos e um menino de 08 anos, já fiz laqueadura e não pretendo ter outros filhos por opção mesmo, acho que Deus me abençoou com um casal de filhos maravilhosos e estou muito satisfeita com a maternidade. Mas me solidarizo com a autora do texto e com todas as mães que fazem esta opção por quaisquer que sejam os motivos.

  23. Daiana disse:

    To em lagrimas aqui, texto lindo! Um grande abraço

  24. Alexandra disse:

    Acontece comigo também estes questionamentos! Tive pré eclampsia e ruptura precoce de bolsa com 35 semanas de gestação e, embora tenha sido tudo bem, meu filho Prematuro, porém pronto e perfeito, optei por não ter tido mais filhos. Sou Mãe de filho único muito feliz!

  25. Leila disse:

    Dói, né? Como dói… Eu te entendo e passo a me entender mais. Muita gratidão pelo desabafo…

  26. ..... disse:

    ola nivea ,passei a mesma situação que você ,entrei menopausa aos 21 anos tenho 1 filho só ,entendo a dor . Pode me enviar e-mail ?

  27. Thammu disse:

    Onde fica o sentimento da mãe que não PODE ter mais filhos????? Não pararam pra pensar que estas matérias são cruéis???

    • Nívea Salgado disse:

      Olá, acho que você não conhece minha história, que eu cito no post. Pois eu não posso ter mais filhos, tive menopausa precoce. Justamente por isso fiz o texto 🙂

      Espero que ajude na reflexão das mães que podem ter outro filho e no alento das mães que não podem.

      Bjs

  28. Kátia disse:

    Lindo texto , e ao refletir pensei que as vezes o milagre da vida não é gerar uma vida e sim ter uma de coração , não digo que tenha que adotar é obrigatório visto que não poderá ter outro, apenas que as vezes uma força maior trilha nosso caminho para termos um milagre diferente…

  29. Thais disse:

    Foi exatamente isso que passava na minha cabeça. Hoje minha primogênita tem 5 anos e estou grávida de 5 meses. Não consigo imaginar ela sem um laço maior de família quando eu e o pai viermos a faltar.

    • Bella Lanzillo disse:

      Viva a vida!Não “encuque” com isso! Conheço famílias q os irmãos são super unidos e outras q os irmãos são uma praga!Não ter irmãos não quer dizer q estará desamparado! Tenho amigos q muitas vezes fizeram papéis q meus irmãos não fizeram 😉

  30. Luciana disse:

    Lindo texto…confortante. Descobri um câncer de mama qdo meu filho tinha 1ano e 4 meses, o que mais doeu foi não poder mais ter o segundo filho… Ainda dói…porque não foi uma escolha . Agora vivo intensamente cada dia com meu filho.

  31. Lana disse:

    Achei o texto muito tocante. Deve ser muito difícil tomar uma decisão assim. Mas só peço pra que as mamães não esqueçam que tem muitos bebês a caminho do mundo de mães que não podem cuidar. Então, talvez essa seja uma opção pra quem ainda quer ninar no ombro, segurar as mãos para caminhar. Eu ainda não comecei o meu caminho com filhos, mas tenho uma certeza dentro do meu coração: tem amor aqui dentro o suficiente para mais crianças, incluindo as que não venham de meu próprio ventre.

  32. Michele disse:

    Sei como se sente. Passo pela dificuldade de conceber novamente, e a chance de conseguir está acabando pois completei 40 anos e tenho diabetes e hipotireoidismo. Cada vez que uma pessoa me pergunta se não quero outro filho, é como se cutucassem uma ferida com ferro em brasa, dói muito.

  33. Bella Lanzillo disse:

    Gente, o fato de não poder ter mais filhos não significa não tê-los! Q tal adotar um segundo filho? Minha mãe foi adotada pela minha avó e foi sem dúvida a filha mais dedicada a ela 🙂 Tanto q na minha família tenho sobrinhos q também foram adotados! 😉

  34. Vivian disse:

    Não tem como não chorar e não se identificar com o que você escreveu, nunca havia lido um texto nesse assunto… Fiz um longo tratamento, FIV, três tentativas frustrantes, muitas injeções, muitos hormônios, tristeza profunda e sensação de impotência… troquei de médico e descobri que o primeiro estava implantando embriões com sérios problemas que além de não propiciarem uma gravidez, caso ocorresse, o bebê teria algum problema… nunca chorei tanto na minja vida… resolvemos partir para uma nova tentativa e engravidei de gêmeos que viraram trigêmeos, mas com alroximadamente quase 3 meses perdi dois… tristeza profunda e luto, mas não poderia me deixar abater, pois havia um lindo presente em meu ventre que precisava de toda a minha alegria e dedicação para continuar se desenvolvendo…
    Tive uma gravidez de risco, toda cheia de cuidados, meu líquido amniótico teve uma leve queda e obstetra entrou com injeções de anticoagulante na barriga por todo tempo restante…
    minha filha nasceu linda, perfeita, o amor maior do mundo… mas com 18 dias de vida dela fui internada na uti com trombose na perna, o obtetra comeu bola, teu tenho uma alteração sanguínea ( fator v de leiden alterado) que propicia trombose, quase morri, não consegui amamentar, foram poucos esses momentos… Chorei litros por ter que secar o restinho de leite que faltava devido aos medicamentos da internação…
    Tenho verdadeira paixão por crianças, não queria que minha filha fosse filha única, sempre me questionam qndo vem o próximo mas tenho muuuuuito medo por tudo que passei, pois hj não sou mais sozinha, tenho a minha princesa com 2 aninhos, o grande amor da minha vida que precisa muito de mim e tenho medo de qcontecer algo comigo e eu faltar na vida dela…

  35. juliana disse:

    Lindo texto, eu tenho um garotinho de 6 meses, gostaria de ter outro filho, mas infelizmente a situação financeira não permite

  36. Andrea Pereira disse:

    Dói tb em quem tem o último filho e sabe que não irá mais gerar outra criança.
    Um grande abraço.

  37. Chirley Lott disse:

    Gosto da ideia de ser avó. Oportunidade de ser mãe do filho dos meus filhos. É um alento. Fechei a fábrica após 3 filhos devido a problemas hormonais e não fazia ideia de que me sentiria assim, exatamente como você descreveu. Parabéns pela sensibilidade do texto!

  38. patrícia Scavassa disse:

    Sabe quando se sente o unico ser no mundo que vive uma situação, aí me deparei com seu texto. Obrigada por compartilhar, vc conseguiu traduzir em palavras tudo que eu sinto. E o mais engracado é que tbm decidi curtir o Pedro da maneira mais intensa, deixei de buscar respostas, tentar entender e comecei a reposicao tbm a 15 dias. Estou me sentindo mais leve, aquele aperto no peito ainda vem de vez em qdo qdo alguém me pergunta se não quero outro filho. Deus quis assim e pronto, vamos ser felizes com nossos filhos unicos. Bjao e felicidades

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail