6 Dicas importantes para que seu filho não tenha medo do dentista

Por 0 Comentários


Você sente medo de ir ao dentista? Pois saiba que esse é um sentimento relativamente comum entre as pessoas! Na geração de nossos pais (e a nossa pegou um pouco disso também), quase todo mundo tinha receio das consultas – naquela época, praticamente não se trabalhava com prevenção, e ir ao dentista significava ter que tratar uma cárie, ou outro procedimento que estava associado à ideia de sentir dor. E quem gosta disso, não é verdade?

Mas é claro que queremos que com nossos filhos seja diferente. Desejamos que eles encarem a ida ao dentista numa boa, que gostem e que se sintam confortáveis com o profissional. E pensando em tudo o que eu vivi no consultório enquanto clinicava, nas crianças que já chegavam lá morrendo de medo (algumas sem nunca terem ido ao dentista!), e em todo o trabalho que era feito para acolhê-las e proporcionar uma experiência útil e gostosa, eu fiz esse post com algumas dicas bacanas. Espero que vocês gostem!

medo de dentista

Imagem: 123RF

Dicas para que seu filho não tenha medo do dentista:

– Escolha um bom profissional: claro que se você já tem um dentista na família que atende crianças, e com quem o filhote já está familiarizado, é uma boa ideia fazer o acompanhamento de seu filho com ele (como já existe um vínculo pessoal, a adaptação ao ambiente clínico é muito mais fácil!). Se não é o caso, dê preferência a um odontopediatra, que tem formação específica para tratar os pequenos (em geral o ritmo da consulta é outro, muito mais leve!). Além disso, na maioria das vezes, os consultórios desses especialistas possuem um ambiente divertido, próprio para os pequenos – com bichinhos, bonecos, livros, adesivos… E o mais importante: escolher um dentista que te passa confiança é o primeiro passo para garantir que seu filhote também se sinta seguro.

– Leve a criança desde cedo: surgiu o primeiro dentinho? Esse é um bom momento para levar o pequeno ao dentista pela primeira vez (ou até antes! Há mães que fazem acompanhamento desde a gestação!). Dessa forma, ele se acostumará ao ambiente e terá o acompanhamento necessário para fazer uma boa prevenção de saúde bucal. Deixar a consulta para mais tarde pode provocar outro problema: na primeira vez em que for, seu filho pode já estar com um problema instalado, como cavidades de cárie nos dentes. Além de não estar habituado com o local, a criança estará muito mais sujeita a não gostar da experiência, por passar por procedimentos que podem causar um pouco de dor, como a anestesia. Assim, não adie a visita ao dentista!

– Não influencie seu filho negativamente: muitas vezes a família não percebe como frases sutis podem afetar negativamente os pequeninos. Quer um exemplo? “Filho, mamãe vai te levar ao dentista desde cedo, para que você não tenha medo de ir como eu tinha, quando era pequena”. Sabe qual é o recado que ficou para o filhote? “Minha mãe morre de medo de ir lá, boa coisa não deve ser!”. Por isso, é importantíssimo não transferir as próprias inseguranças aos filhos (tome cuidado com conversas paralelas, com outros membros da família ou amigos sobre o assunto – você pensa que não, mas a criança está ouvindo tudo, por menor que ela seja). Então, comentários positivos, sempre!

– Ofereça opções lúdicas em casa: mostrar vídeos, ler livros, contar historinhas – tudo isso faz com que a criança entenda desde cedo a importância de cuidar da sua saúde bucal, de uma forma divertida. Explique para seu filho porque é essencial escovar os dentes, não comer muitos doces, não chupar chupeta por muito tempo, ir sempre ao dentista. Busque sempre uma maneira positiva de dizer isso a ele, pois o objetivo é conscientizá-lo, não traumatizá-lo.

Esses aqui são alguns dos livros bacanas para se ter em casa:

Imagens: Divulgação

Imagens: Divulgação

Livros: “Vamos Escovar Os Dentes?” e “A Guerra dos Mutans”

– Respeite o profissional: se você escolheu levar seu filho a um determinado dentista, é porque provavelmente confia nele. Abrir espaço para que o profissional faça o seu trabalho é muito importante, afinal, ele estudou durante anos para lidar com os pequenos. Assim, converse com o odontopediatra antes do atendimento clínico do pequeno e tire todas as suas dúvidas. Se o dentista solicitar que você saia por alguns instantes (em geral, nesses casos, a porta fica aberta, mas os pais aguardam na sala de espera), tente: é comum que algumas crianças travem verdadeiras batalhas na frente dos pais (sim, papai e mamãe são plateia!), mas se comportem como anjos quando estão só com o profissional. E no fim, é o filhote quem sai ganhando com uma consulta mais tranquila.

– Mantenha o trabalho do dentista: para evitar problemas como cáries ou mesmo tratamentos de canal (porque, sim, dente de leite tem canal!), cujos tratamentos podem gerar certo desconforto nas crianças, cuide da saúde bucal do seu filho continuamente. Isto inclui escovar seus dentes no mínimo três vezes ao dia, depois das refeições, e não oferecer muitas guloseimas (balas, chicletes, sem qualquer valor nutricional). Tomando esses cuidados e lembrando, junto com o pequeno, das orientações do dentista, ele tem tudo para manter uma boquinha sempre saudável, e uma boa lembrança das consultas.




Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail