Conheça 4 posições para amamentar seu filho

Por 0 Comentários


Amamentar é um imenso ato de amor. Apesar das dificuldades que surgem (e que são normais – então não desanime, tente mais um pouquinho!), não existe nada mais gratificante do que nutrir seu pequenino com o melhor alimento que ele pode receber: o leite materno. Além de proporcionar ao bebê todos os nutrientes de que ele precisa para crescer com saúde, a amamentação também estreita o vínculo entre mãe e filho. Por isso, no post de hoje, fiz uma seleção das posições para amamentar mais favoráveis, e que poderão ajudar você, que está começando a descobrir esse processo junto com filhote. Vem ver!

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Antes de conversarmos sobre as posições de amamentação propriamente ditas, é importante lembrarmos que muitos fatores influenciam o sucesso da amamentação: receber a ajuda de pessoas queridas, ficar tranquila, beber muita água, ter uma alimentação equilibrada e saudável são alguns deles. Mas achar a pega correta do bebê também é fundamental – o que torna essencial a busca pela posição certa para acomodar o pequeno. Dessa forma, além de estimular a produção do leite e a sucção do bebê, esses momentos se tornam prazerosos tanto para o filho quanto para a mãe (pois a chance de lesões no bico do seio também diminui). Para que isso aconteça, é indispensável que ambos estejam confortáveis e sossegados.

Quando se trata de cuidados com os filhos, não existe uma fórmula pronta que garanta que tudo dará certo. Com a amamentação não é diferente: o bebê e a mãe vão se conhecendo e se adaptando às novas situações conforme o tempo passa. Somente na prática, você saberá qual é o melhor jeito para amamentar o seu filho. Mas antes disso, que tal testar algumas clássicas posições recomendadas? Lembre-se de que variar o modo como você amamenta o pequeno é importante: isso evita que problemas – como dores nas costas, nos seios e a mastite – surjam. Então, vamos ver algumas maneiras:

1) Posição tradicional ou clássica:

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Em primeiro lugar, pegue o bebê no colo e coloque a barriga dele em contato com a sua. O braço do lado do peito que o pequeno mama deve estar, de preferência, apoiado em algum lugar – como o sofá ou poltrona de amamentação. Isto faz com que você tenha firmeza o suficiente para sustentar o peso da cabecinha e do corpo do bebê, que ficarão apoiados nesse mesmo braço.

 

2) Deitada:

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Deite-se de lado e, de preferência, apoie sua cabeça sobre um travesseiro. Depois disso, coloque o bebê paralelo ao seu corpo, próximo ao seio que irá mamar.  É importante elevar um pouquinho a cabeça do pequeno (use o braço ou mesmo uma almofadinha) e certificar-se de que ela está retinha, para evitar o risco de o leite descer e ir para seu ouvido. Esta posição merece um cuidado extra: quando estiver muito cansada, evite-a, pois alguns acidentes podem ocorrer se você adormecer. Fique sempre atenta!

 

3) Posição cavalinho ou cavaleiro:

posicao amamentar cavalo

Imagem: 123RF

Muitos pediatras indicam esta posição para crianças que têm refluxo ou que são prematuras. Para testá-la, você deve se sentar e colocar seu filho no seu colo, de frente para os seus seios. Apoie as suas costas e amamente-o normalmente!

 

4) Posição invertida (ou posição de futebol americano):

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Aqui a ideia é segurar o  pequeno com o esquema de mãos invertido (há quem diga que parece a posição que o jogador de futebol americano usa para segurar a bola, daí o nome alternativo). Utilize o braço do lado do seio que o bebê não está mamando para apoiá-lo. Dessa forma, suas perninhas passarão pela lateral do corpo da mãe, ao invés de ficarem na frente da barriga. Para as mães de gêmeos que desejam amamentar os filhos ao mesmo tempo, essa é uma boa alternativa.

Por fim, busque um lugar calmo e sem distrações para amamentar o bebê e lave bem as mãos antes de iniciar o processo. Não se assuste se a amamentação não der certo de imediato – é com muito amor, jeitinho e paciência que as coisas entram nos eixos. Se por algum motivo você não conseguiu ter essa experiência com o seu filho, não se cobre. Existem vários outros momentos da maternidade que são tão importantes para o desenvolvimento do vínculo com o pequeno quanto a amamentação. No fundo, o que realmente importa é o imenso amor que sentimos por nossos filhos.

Atenção: as fotos foram retiradas de um banco de imagens e são apenas ilustrativas.




Arquivado em: Amamentação Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail