Os 4 anos: a idade da fofura

Por 10 Comentários


Eu queria começar esse post dizendo para as mães de recém-nascidos, ou com bebês pequenos, ou ainda no auge da birra dos 2 (ou 3) anos, que vocês não podem imaginar a delícia que está por vir. Porque os 4, caras amigas, é simplesmente uma idade apaixonante! Já me contaram também que os 5 são ainda mais gostosos – mas como eu ainda não cheguei lá, não posso falar por experiência. Por enquanto, falo da fofura da fase que começa depois do quarto aniversário, e que ficará para sempre guardada em meu coração.

catarina aos 4 anos

Claro que as crises de choro ainda acontecem, mas é visível que o nível de civilidade dos pequenos, com essa idade, é substancialmente maior do que com um ano a menos. Uma bom termômetro para mim foi observar Catarina na última festinha: ela já não chutava a canela do primo de mesma idade (vocês acham que essa fofinha da foto é uma santa? Pois nem de longe!), quando eles resolviam disputar o mesmo brinquedo. Também grita “mais baixinho”, se é que isso é possível (quem é mãe sabe que, por incrível que pareça, existem graduações de grito – aquele estridente dos 2 anos, que parece colocar a casa à baixo, o “revoltado” dos 3 (de quem já começou a entender um pouco mais sobre o mundo, e percebeu que não é o centro do universo – mas, na tentativa de ser, quer falar mais alto), e, enfim, o magoado dos 4: de quem está entendendo que nem tudo se ganha na base da garganta.

Outra coisa engraçada dos 4 anos é que os filhotes começam a compreender que a vida não é feita só de flores: eles precisam fazer o que gostam, mas também aquilo de que não gostam. Eles continuam a testar a autoridade dos pais, professores, mas de uma forma mais sutil – e você precisa ter pulso para não ser enrolado (se chorar não funciona, eles aprendem rápido que um sorrisinho pode conquistar o mundo!).

Ah, e os 4 anos são carinhosos! Aquele bebezinho espichou, ganhou corpo, e é difícil carregá-lo, mas ele ainda pede colo. Ele quer pegar na sua mão na hora de dormir, e te dá um abraço apertado quando você o chama de manhã (e para as mães que costumavam ter o filho como despertador, um alerta – você vai começar a perder a hora, porque, por vezes, o pequeno só despertará às 10 horas da manhã).

Aos 4, um filho diz, com todas as palavras, que te ama até o infinito; te fala que você é a melhor mãe do mundo (e sabe fazer isso exatamente no dia em que você está precisando de um afago); e se diz, porque tem uma família que adora. E o que pode ser mais importante para uma mãe do que isso?

E eles são extremamente engraçados e espertos (vejam só o que Catarina me disse ontem à noite):

– Mãe, posso dormir na sua cama hoje?

– Não, Catarina, não pode. Você dorme no seu quarto, a mamãe no dela.

– Mas, mãe, é que o Papai do Céu não vai estar hoje no meu quarto, me protegendo. Por isso eu quero ficar com você.

– Que história é essa, Catarina? Claro que o Papai do Céu vai estar lá.

– Não, mãe, não vai. É que eu ouvi dizer que hoje vai ter uma reunião de Papais do Céu, e ele vai precisar ir, sabe?

Agora me fala: como não cair na risada diante dessa resposta?




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (10)

Trackback URL

  1. Emanuele disse:

    Adorei seu relato. bjus.

  2. Michele disse:

    Reunião dos papais do céu foi demais Nívea!
    Adorei! A Lau agora está com 6, você vai ver que fica cada vez mais gostoso!
    Bjs

  3. Que delícia! Estamos nos 3 e meio, e já estou começando a perceber essa fase delícia chegando…. bjs

  4. Carol disse:

    Ai, q alento…!!!

  5. Sandra disse:

    Realmente é tudo isso é muito mais!! Tenho um menino e esta fase é fantástica.

    • Olivia disse:

      Que alívio saber que isto acontece tb cm meninos, tenho um casal e meu filho não o imagino a dizer que me ama e a ser meigo, ele só diz que não gosta de nós quando não fazemos aquilo que ele quer, e o carinho é um pontapé ou algo do género, é bruto.Ansiosa p ele chegar aos 4 para ver se acalma…

  6. Carine Souza disse:

    Nossa, eu devo estar com um problema muito sério aqui em casa, pq minha filha fez 4 anos em abril e está na sua pior fase. Estava mesmo falando com uma amiga que tem uma filha de 4 anos também. Ela está respondona, teimosa, me tira do sério o tempo todo e ainda o que é pior: não respeita o pai, e agora os dois perdem o controle ao gritos um com outro. Olha, estou muito desanimada com essa fase em que estamos. Tenho um menino de 2 anos e só penso nisso, qdo ele entrar nessa terrível fase também. Só o que me resta é rezar…

  7. gunara disse:

    eu tenho uma filha que está nessa fase e realmente só dorme de mãos dadas comigo.também está aprendendo a conseguir o que quer com sorrisos e jeitinho meigo que é bem mais difícil de resistir do que com birras.uma delícia essa fase

  8. Taís Mendonça disse:

    Meu Deus, eu só li verdades! !!!

    Tenho um presente de Deus que mês que vem completa 4 anos,porém, percebo essa mudança há uns 4 meses atrás.
    Meu Davi é um sapeca,e passei pela fase dos 2/3 anos orando pra que ela passase por que meninas, foi brabo!
    Birra,choro,choro, choro,ah!eu já disse choro?
    Pois se o vento soprasse, Davi chorava..
    Eu não sabia lidar com isso,me irritava,descontrolada e a situação só piorava. Aos 3 era a fase da teimosia.. Extremamente teimoso!kkk
    Agora chegamos aos 4 ( ainda é teimoso) porém, sabe das consequências, então na maioria das vezes prefere obedecer..
    Agora uma coisa notável é a forma de amar…
    Ah!!!! É um carinho que não tem fim,fala que me ama a cada 5 minutos,dia que eu sou linda, cheirosa.. kkk
    (As vezes usa essa tática que me derrete pra justificar alguma coisa errada que fez,ou falou )..
    Sim,ele cuida de mim!! Demais!
    Então mamães, esperem com paciência pq dos 4 anos em diante o amor só aumenta por esses anjos ( 1/2/3 tbm tem muita gostosura..)
    Sou apaixonada pelo meu Davi, e serei,em todas as fases da sua vida,até eu respirar!
    Isso é ser mãe.

  9. aurea disse:

    minha filha de 4 anos me perguntou: Ohhh mae!!! qdo eu ser a mãe , quem vai ser o pai?? :/

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail