5 dicas para amenizar o ciúme do irmãozinho

Por 0 Comentários


Quando o primogênito nasce, os pais dedicam todo o seu tempo e energia para cuidar dele. O pequeno vai crescendo, observando como as coisas funcionam – tanto a mãe quanto o pai estão disponíveis para atendê-lo quando for preciso. Mas então, um novo bebê surge na família, e é comum que o filho mais velho sinta ciúmes dessa nova situação, manifestando isso de diferentes maneiras: mudando seu comportamento, chamando a atenção dos pais, e até mesmo regredindo em alguns aspectos – como, por exemplo, fazendo xixi na cama e pedindo a chupeta (quando já havia largado o hábito).

ciumes irmao redim

Muitas leitoras do blog pedem dicas de como lidar com esse desafio – e, como não passei pessoalmente por isso, uma vez que Catarina é filha única, pedi a ajuda de outras mães com dois ou mais filhos para contar a vocês seus aprendizados. Tenho certeza de que muito do que elas disseram pode ser aplicado em qualquer família, então vale a espiadinha!

Como surge o ciúme do irmão?

Entender a origem do problema é o primeiro passo para ajudar seu filho. Para a criança, ganhar um irmãozinho é enfrentar uma mudança, sem saber direito quais serão as consequências. É comum que o pequeno se sinta inseguro, com medo de ter que dividir a atenção e o amor dos pais, que sempre estiveram perto dele. Esse sentimento pode ser manifestado de diversas formas pela criança, e seu objetivo é chamar a atenção dos pais e cuidadores para que eles entendam seu conflito. O ideal, nessa fase, é mostrar para o filhote que seu amor não se divide, mas sim multiplica. E você pode fazer isso das seguintes formas:

Converse com seu filho: quando receber a notícia de que está grávida, comunique a boa nova ao pequeno. Diga que ele receberá um presente: um irmãozinho para cuidar, amar e com quem poderá contar para o resto da vida. Reforce essa ideia durante a gestação e quando o outro filho chegar ao mundo. Nós temos a mania de subestimar as crianças, mas elas têm a capacidade de entender o que queremos dizer. Por isso, dialogue muito e sempre explique o que está acontecendo!

Envolva-o em todas as etapas: durante a gravidez, leve-o aos exames de ultrassom e outras atividades relacionadas aos preparativos para a chegada do irmão. Deixe que o pequeno ajude-a nesses momentos, escolhendo a cor de uma roupinha do bebê, sugerindo um nome para o novo membro da família. Quando o segundo filho nascer, você também pode envolver o primogênito nos cuidados do irmãozinho – pedindo que ele pegue uma fralda quando você o trocar, deixando que ele abotoe a roupinha do bebê, se já tiver habilidade motora para isso. Atitudes simples como essas farão com que a criança sinta que ela está participando de todo o processo, e que não será excluída quando o irmão nascer.

Faça adaptações necessárias antes que o bebê nasça: se possível, realize o desmame, desfralde e a adaptação escolar antes do irmãozinho chegar ao mundo (ou espere alguns meses depois do nascimento para fazê-los). Com a chegada do segundo filho, o primeiro terá que lidar com uma situação nova, que gera muitas inseguranças. Para não sobrecarregá-lo, o ideal é que ele esteja adaptado aos outros aspectos de sua vida antes de se preparar para a chegada do bebê.

Eleve sua autoestima: é natural que o pequeno se sinta inseguro –  por isso, reforce o quanto ele é uma criança especial e querida por todos. É muito importante elevar a autoestima do primogênito nessa fase, para que ele saiba o quanto o papai e a mamãe são felizes por tê-lo por perto. Dessa forma, ele poderá enxergar que não há motivos para temer ser excluído.

Reserve um tempo para ficar com ele: com a nova gestação da mãe, a criança começa a perceber que não é mais o centro das atenções. Passar um tempo com o primogênito é importante para que ele compreenda que cada filho pode ter seu momento sozinho com os pais, e que os dois filhos são muito especiais para eles. Tire uma hora por semana para ficar com o pequeno – vale um passeio no parque, uma ida ao parquinho e até mesmo uma sessão de cinema. Isso o ajudará a amenizar o ciúme do irmãozinho.




Arquivado em: Comportamento Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail